Tools

Alunos arquitetura 4_110120119

Revista Exame divulgou ranking com base nas notas do Conceito Preliminar de Curso (CPC) do MEC

O site da Revista Exame, vinculada à Editora Abril, destacou, nesta quinta-feira, dia 10 de janeiro, o curso de Arquitetura e Urbanismo da UEM (Universidade Estadual de Maringá) como o terceiro melhor do Brasil. A análise levou em consideração os indicadores de qualidade do MEC (Ministério da Educação).

Em primeiro e segundo lugares estão dois centros universitários privados com fins lucrativos, respectivamente, de Santa Catarina (nota 4,6834) e Pernambuco (nota 4,4737), o que classifica a UEM como a primeira entre as universidades públicas (nota 4,1184).

O ranking divulgado pela Exame é resultado dos dados de qualidade divulgados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), considerando as notas do Conceito Preliminar de Curso (CPC), que avalia os cursos de graduação.

O Inep divulgou, em dezembro, o Índice Geral de Cursos (IGC) referente ao ano de 2017. A UEM obteve pontuação 3,58, o que a classifica na faixa 4, conceito que mantém desde 2007.

A avaliação considerou os cursos de bacharelado e licenciaturas em Ciências Exatas e dos cursos superiores de tecnologia em Controle e Processos Industriais, Informação e Comunicação, Infraestrutura e Produção Industrial. Entre eles, as graduações de Arquitetura e Urbanismo.

Acesse o ranking dos cursos de Arquitetura e Urbanismo.

IGC

O IGC é resultante dos conceitos do Enade (Exame Nacional de Desempenho dos Estudantes) e do CPC (Conceito Preliminar de Cursos), além de outros fatores. O MEC compõe três grupos de cursos, que são avaliados anualmente. O mesmo grupo é avaliado a cada três anos. Nessa avaliação, o IGC é calculado por instituição e considera a média do CPC dos cursos avaliados da instituição, no triênio de referência, ponderada pelo número de matrículas, além da média dos conceitos da avaliação trienal da Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior), dos programas de pós-graduação stricto sensu.