Sidebar

18
Dom, Nov

Município de Arapongas, através da Secretaria de Saúde foi convidado pela Universidade Estadual de Maringá(UEM) para apresentar os resultados do Curso de Gestão em Saúde Bucal na 16 Regional de Saúde. O Curso de Gestão Coordenado pelo Programa de Pós-Graduação de Odontologia da  UEM proporcionou a qualificação de profissionais de saúde bucal dos municípios da 16ª Regional de Saúde.

Durante o curso os profissionais puderam analisar as fragilidades e potencialidades dos serviços de saúde bucal de cada município e propor aos gestores ações a serem implementadas.

Entre os principais resultados  destaca-se a proposta de formação de um grupo de gestores de Saúde Bucal dos 17 municípios da 16RS que estarão discutindo periodicamente ações para a melhoria da qualidade dos serviços prestados à população bem como capacitação dos profissionais de saúde bucal.

O Secretário Municipal de  Saúde, Moacir Paludetto Jr, atuou como coordenador do curso na 16ª RS."O curso foi uma ótima oportunidade para que os profissionais de saúde pudessem se capacitar e melhorar o desempenho da gestão da Saúde Bucal dos municípios", ressaltou.

https://tnonline.uol.com.br/noticias/arapongas/46,471804,26,10,saude-bucal-representa-a-16a-regional-de-saude-na-uem

Foto: Divulgação / UEM)

Os interessados em participar das turmas do curso de violão, violino e viola da Universidade Estadual de Maringá (UEM), poderão se inscrever entre os dias 6 e 8 de agosto.

O candidato deve ter no mínimo 12 anos para se matricular, possuir instrumento musical e ser aprovado na entrevista da seleção. Estão disponíveis até 50 vagas.

O valor da mensalidade é R$56, para estudantes da UEM, e para a comunidade R$80. As inscrições devem ser feitas pelo preenchimento do formulário, no Bloco A34, sala 8, no campus da universidade, em Maringá. O horário de funcionamento da secretaria é das 8h às 11h e 13h30 às 17h.

fonte Universidade Estadual de Maringá

https://tnonline.uol.com.br/noticias/regiao/32,468589,22,07,uem-disponibiliza-ate-50-vagas-para-curso-de-violao-violino-e-viola

Foto - Reprodução

Após garantir R$ 8 milhões de recursos do Governo Federal para a construção do bloco didático II do campus de Ivaiporã, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) apresentou o projeto arquitetônico e estrutural da obra. Os recursos para a construção já estão empenhados no Sistema Nacional de Convênios (Siconv) e foram assegurados por emenda parlamentar do deputado federal Sergio Souza (MDB). A solenidade de apresentação do projeto ocorreu anteontem (28) no salão nobre da prefeitura. 

O novo bloco terá área construída de 4,3 mil metros quadrados com quatro pavimentos e capacidade para 400 pessoas. Contará com salas de aulas; laboratórios; área para exposição de trabalhos, atividades de extensão, pesquisa e eventos científicos; setor administrativo; restaurante universitário e auditório com capacidade para 400 pessoas. O projeto também prevê a colocação de placas de captação de energia solar. 

O reitor da UEM, Mauro Luciano Baesso confirmou que o convênio entre a faculdade e o MEC já foi firmado. “Os projetos arquitetônicos e estruturais estão prontos e faltam apenas os complementares, como o hidráulico, bombeiros, essas coisas. Uma vez concluídos, eles serão alimentados na plataforma no site do MEC, e aí é o momento que está preparado para autorizar a licitação”, diz. 

Sergio Souza lembrou que a consolidação da UEM em Ivaiporã é um desafio que foi abraçado pela sociedade. “É um trabalho que começou há bastante tempo, numa persistência muito grande do então prefeito Gil, do prefeito Miguel Amaral, do nosso ex-governador Pessuti, dos Amigos da UEM (ONG), da comunidade como um todo. Como eu estava como relator do orçamento da educação conseguimos carimbar o recurso”, avalia. 

O secretário nacional de educação superior do MEC, Paulo Barone, também destacou a mobilização em torno do projeto. “Isso mostra a interiorização da instituição e a presença junto à comunidade paranaense. O que estamos vendo aqui é um alinhamento de interesses e de atuação raríssimo de se encontrar no país. Onde prefeitura de diferentes gestões se aproximando de universidade de diferentes gestões e produzindo resultado que agrega para toda a comunidade”, destaca. 

Segundo o prefeito Miguel Amaral (PSDB), este é o maior recurso da União para a região central do Estado. “São R$ 12 milhões que o deputado Sergio Souza empenhou no Governo Federal para a UEM, dos quais R$ 8 milhões ficaram para Ivaiporã. É a consolidação do campus e o ganho é para todo o Paraná. Com isso, o campus poderá ofertar novos cursos de graduação e a expansão para os cursos de pós-graduação e até mesmo mestrado”. 

CAMPUS - O prefeito também lembrou ainda que o campus está recebendo outra emenda no valor de R$ 1,5 milhão para a infraestrutura do campus. “O recurso, que já estava no Sincov, foi autorizado e, em breve, será feita a licitação pela UEM para cercar a área de 2,5 alqueires do campus, além de construir o estacionamento e implantar iluminação, galerias pluviais, paisagismo e pavimentação asfáltica na área interna”, destacou Mig

https://tnonline.uol.com.br/noticias/regiao/32,467905,30,06,uem-vai-investir-r-8-mi-em-ivaipora

Engenheiros agrônomos e técnicos agrícolas de Maringá e dos demais municípios integrantes da comarca, do Norte-Central paranaense, participarão no dia 29 de junho de evento que discutirá questões relacionadas à responsabilidade desses profissionais na emissão do receituário agronômico (prescrição para uso de agrotóxico em lavouras). A iniciativa é uma realização conjunta da 6ª Promotoria de Justiça de Maringá e do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Paraná (Crea).

O debate contará com palestrantes especialistas no assunto, entre eles o promotor de Justiça do MPPR, Alexandre Gaio, que atua no Centro de Apoio Operacional das Promotorias de Justiça de Proteção ao Meio Ambiente e de Habitação e Urbanismo e falará sobre a responsabilidade civil e criminal por danos ambientais relacionada à emissão dos receituários; e o procurador de Justiça Ciro Expedito Schereiber, coordenador do Caop de Defesa do Consumidor e da Ordem Econômica, que abordará o tema a partir da perspectiva dos direitos do consumidor. O promotor de Justiça Mauricio Kalache, que atua no Ministério Público em Maringá, fará a mediação de um dos debates do encontro.

O evento conta com o apoio da Universidade Estadual de Maringá, do Centro Universitário de Maringá (Unicesumar), do Centro Universitário Uningá, da Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) e de outros órgãos integrantes da Rede de Segurança e Vigilância Alimentar do município.

Profissionais da área, estudantes e demais interessados em participar podem inscrever-se aqui.

Serviço

Data: 29/06/2018

Horário: a partir das 8 horas

Local: Auditório Dona Etelvina - Unicesumar

Inscrições no endereço eletrônico: http://creaweb2.crea-pr.org.br/creaweb.eventos/inscricao/inscricao

 

https://tnonline.uol.com.br/noticias/regiao/32,467343,15,06,seminario-em-maringa-discute-responsabilidade-sobre-a-emissao-de-receituario-agronomico

Imagem ilustrativa

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) vai instaladas 157 câmeras de segurança no campus até setembro. A informação dada pela universidade é que as obras devem iniciar no dia 15 de maio e o prazo máximo para conclusão é de quatro meses.

Conforme a UEM, o bloco B-10 será a Central de Monitoramento, de onde serão observadas as imagens geradas pelas câmeras. O prédio vai passar por uma reforma de readequação, que deve durar cerca de 60 dias.

Além da Central, o monitoramento também será feito por equipamentos instalados nas guaritas do campus, que terão um sistema de vigilância com cobertura por área de atuação.

A universidade afirma que a implantação das câmeras é um projeto antigo de reitorias passadas e muito desejada pela comunidade universitária. Divulgou em seu site que o valor total do investimento é de aproximadamente R$ 1,8 milhão.

A diretora de Serviços e Manutenção da UEM, Ezeni Claro da Silva diz que “apesar do baixo índice de violência registrado no campus, a administração pensa ser fundamental investir em um sistema de segurança que proporcione mais proteção àqueles que frequentam a universidade”.

Ainda segundo Ezeni, a maioria dos casos relatados está voltada à assaltos, furtos e depredação do patrimônio público.

Serão vários modelos de câmeras a serem instaladas, de acordo com as especificidades e necessidades de cada área.

As informações são do Maringapost

https://tnonline.uol.com.br/noticias/regiao/32,466147,08,05,uem-investe-r-18-milhao-na-implantacao-de-sistema-de-vigilancia-com-157-cameras

 

Mais Artigos...

Página 1 de 2