Sidebar

21
Seg, Set

Resultado de 2020 representa queda de uma posição no ranking; no ano passado instituição estava em 80º lugar / UEM O Times Higher Education (THE), um

O Times Higher Education (THE), um dos principais rankings de avaliação educacional do mundo, divulgou na quarta-feira (7/7) a edição 2020 do ranking de universidades latino-americanas. A Universidade Estadual de Maringá (UEM) aparece em 81º lugar, o que representa queda de uma posição em relação ao levantamento de 2019, quando a instituição ficou em 80º lugar.

 

A edição 2020 do ranking de universidades latino-americanas reuniu 166 universidades de 13 países, contra 150 instituições em 12 países no ano passado. Entre as universidades estaduais do Paraná, a UEM é a terceira que aparece no ranking. A Universidade Estadual de Londrina (UEL) figura na 50ª posição e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEP) em 65ª.

 

A liderança do ranking ficou com a Pontifícia Universidade Católica do Chile (PUC-Chile). Apesar de não ter conquistado o primeiro lugar, o Brasil é o país mais representado no levantamento, com 61 instituições, seguido pelo Chile com 30 e Colômbia com 23. Entre as 10 instituições mais bem colocadas do ranking, sete são brasileiras – número maior do que no ano anterior, quando eram seis.

 

A avaliação é baseada nos 13 indicadores de desempenho que sustentam o THE World University Rankings, com alguns ajustes nos pesos para refletir as características das universidades da América Latina.

Os indicadores de desempenho estão agrupados em cinco áreas: ensino, que envolve o ambiente de aprendizagem; pesquisa, que engloba o volume, investimentos e reputação da produção científica; citações que dizem respeito à influência da pesquisa; perspectiva internacional envolve pessoal, estudantes e pesquisa; e a transferência de tecnologia que se refere à capacidade da universidade em transferir conhecimento.

Apesar da queda de um ponto em relação ao levantamento de 2019, passando de 41,8 para 39,8 em 2020, a UEM foi melhor avaliada em alguns critérios na comparação com ano passado. No critério de citações de artigos científicos, a instituição alcançou 28,6 contra 22,2 pontos registrados no ano passado.

 

A internacionalização passou de 21,4 pontos para 23,0 e o ensino de 52,4 para 52,9. No entanto, a instituição registrou queda no critério de pesquisa, em que a pontuação caiu de 48,2 para 34,4 neste ano. Em relação a transferência de de tecnologia, que se refere à capacidade da universidade em transferir conhecimento, a UEM caiu de 37,6 em 2019 para 36,7.

 

O professor Bruno Montanari Razza, chefe da Divisão de Planos e Informações, da Pró-Reitoria de Planejamento e Desenvolvimento Institucional, afirma que a queda no critério de pesquisa pode ter influenciado na classificação geral da UEM.

Segundo ele, no índice pesquisa é considerado, dentre outras questões, o valor investido em pesquisa. O professor diz que em 2018, ano base para o ranking, cortes no Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq) impactaram a verba destinada à pesquisa.

 

“De forma geral, o grande peso da metodologia dos rankings está relacionado com a pesquisa, publicações e índice de citações. A redução nos investimentos em pesquisa afeta diretamente essa mensuração e pode ser sentida no desempenho da UEM”, diz Bruno Razza.

 

https://maringapost.com.br/cidade/2020/07/09/uem-ocupa-81a-posicao-em-ranking-das-melhores-universidades-da-america-latina/

Todos os smartphones serão disponibilizados à formação acadêmica dos graduandos/ Foto: Divulgação

 

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) recebeu da Receita Federal (RF) 450 smartphones apreendidos em operações de combate ao contrabando. Os aparelhos, com 64 giga bytes de memória, vão ser incorporados ao Projeto de Inclusão Digital da UEM.

 

Com a hipótese de liberar as aulas remotas nos cursos de graduação, após deliberação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP), os celulares serão disponibilizados para alunos carentes no intuito de contribuir para a formação acadêmica. A análise do assunto se baseia no relatório final do Grupo de Trabalho instituído pela Portaria 186/2020-GRE.

 

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão da UEM já descartou uma vez a possibilidade de implantar aulas remotas para os cursos de graduação da universidade.

“Os celulares vêm a somar com a ação do Governo do Estado, por meio da Superintendência Geral de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti), que nos disponibilizará acesso à internet banda larga para 5.000 alunos, permitindo ao graduando acompanhar as aulas e desenvolver atividades”, explica o reitor da UEM, Julio César Damasceno.

 

Segundo o vice-reitor, Ricardo Dias Silva, um dos responsáveis pelo Projeto de Inclusão Digital, a Seti ainda está definindo a melhor forma de disponibilizar banda larga aos alunos que necessitam do serviço, ampliando as formas de acesso da comunidade universitária à internet.

 

Atualmente, esse acesso ocorre via rede da UEM, mas também por meio do Eduroan (education roaming), que permite a conexão a mais de 2.600 pontos de internet no Brasil, e da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP).

 

Os aparelhos serão disponibilizados aos estudantes na forma de empréstimo por meio da Biblioteca Central.

Além dos smartphones, a UEM estuda a aquisição de mais 200 tablets com recursos próprios e por meio do Núcleo de Educação a Distância da Universidade (Nead). Professores e alunos que ainda não dominam as plataformas Moodle, Google Classroom e Google Hangouts, utilizados em aulas remotas e atividades assíncronas, estão se capacitando para que possam fazer melhor uso dessas ferramentas.

 

https://maringapost.com.br/cidade/2020/07/08/uem-vai-emprestar-smartphones-a-estudantes-aparelhos-foram-doados-pela-receita-federal/

 

Projeto da Enactus UEM tem foco socioambiental e econômico e atende entidade Lar Esperança de Sarandi/ Foto: Divulgação UEM

Foi uma disputa com 72 projetos inscritos por todos os cantos do Brasil, e a Enactus UEM, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), foi a grande vencedora da 2ª edição do “ComMc Mudamos o Mundo”.

O evento faz parte de um programa Nacional do McDonald’s, que tem como objetivo potencializar projetos de empreendedorismo social.

A escolha do vencedor, que elegeu a Enactus UEM, foi por voto popular e aconteceu na segunda-feira (15/6), no canal da Enactus Brasil no Youtube.

Os finalistas estavam divididos em três categorias, educação, descarte de resíduos e reaproveitamento de alimentos. O projeto Motirô, da Enactus UEM, se encaixa como descarte de resíduos. Com a vitória, a inciativa ganha R$ 10 mil para impulsionar os resultados e investir mais no projeto.

Atuando na comunidade Lar Esperança, em Sarandi, por meio da compostagem, o projeto atende 120 crianças em período de contraturno escolar. Por meio das sobras de alimentos, os alunos aprendem a fazer a compostagem e como aplicar a educação ambiental.

Diniara Munhoz Dias, estudante de Biomedicina e gerente do Motirô, explica que a equipe quer “transformar problemas ambientais em soluções sociais e econômicas no Lar Esperança”.

“O capital gerado com a futura venda do composto será revertido para benefícios à comunidade. Além disso, a educação ambiental é trabalhada com as crianças através de módulos didáticos sobre meio ambiente, compostagem, reciclagem, entre outros”, declara Diniara.

A Enactus UEM é um projeto de extensão coordenado por Leila Pessôa Da Costa e Carlos

Augusto de Melo Tamanini. O time surgiu em agosto de 2013 com um grupo de universitários que se uniu com o propósito de solucionar problemas de comunidades, melhorando a qualidade de vida delas por meio de projetos sociais, ambientais e econômicos.

Atualmente, o time da Enactus UEM tem três projetos em andamento e 29 membros, contando com estudantes de oito cursos de graduação.

O programa “ComMc Mudamos o Mundo” é uma parceria da Enactus Brasil e da Arcos

Dorados, a maior franquia independente de McDonald’s no mundo. O total de prêmios distribuído aos três primeiros colocados foi de R$ 20 mil.

 https://maringapost.com.br/cidade/2020/06/17/projeto-da-enactus-uem-vence-premio-nacional-realizado-pela-rede-mcdonalds/

 

Vão ser contratados 47 servidores temporários para o Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM) / Divulgação UEM

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) lançou edital de abertura de Processo Seletivo Simplificado (PSS) visando contratar 47 servidores temporários para o Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM), onde irão atuar no enfrentamento da Covid-19.

A seleção consistirá da avaliação de títulos e currículo. Os aprovados serão contratados de imediato, pelo período de seis meses.

São 47 vagas oferecidas para as funções de assistente social, bioquímico, enfermeiro, farmacêutico, fisioterapeuta, fonoaudiólogo, nutricionista e técnico em laboratório.

As inscrições estão abertas, somente pela Internet, na opção “funções administrativas”, e os interessados têm até sexta-feira (19/6) para se inscreverem, mediante pagamento da taxa de R$ 60,00, exceto para a função de técnico em laboratório, que é de R$ 43,00.

As remunerações variam de R$ 3.423,53 a R$ 4.566,94. O valor do recebimento mencionado no edital é a soma do salário base mais a gratificação de atividade de saúde.

O recebimento dos comprovantes dos títulos e currículo será somente pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. Outras informações no edital nº 51/2020 – PRH (Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários) da UEM.

https://maringapost.com.br/cidade/2020/06/16/uem-lanca-edital-para-contratar-profissionais-da-saude/

 

Nesta edição o destaque é o novo decreto em Maringá pensando na contenção da disseminação do coronavírus e último boletim mostra 6 crianças infectadas, e ainda o prefeito Ulisses Maia diz que quer rescindir contrato com a TCCC.

Confira todos os assuntos

Novo boletim do covid-19 em Maringá:

O boletim divulgado ontem tem 48 positivados em 24h. A cidade está em situação de risco moderado segundo levantamento da secretaria de saúde. Cálculo de referência são os 28% de taxa de positividade e 65% de ocupação de UTI. O boletim também indica o maior número de crianças já registrado, 6. Dos 41 casos adultos, a maioria é de homens (26).

Segundo a prefeitura o índice de isolamento social também está fora do ideal, 37%. O ideal é estar acima de 50%.

Novo decreto em Maringá:

Com esses números em mãos o prefeito declarou ontem que num primeiro momento descarta o lockdown. Divulga novo decreto com novas regras para combater a disseminação do coronavírus.

O prefeito falou também da questão do transporte coletivo, segundo o prefeito ele quer rescindir o contrato com a TCCC desde que assumiu a prefeitura.

Testes do covid-19 realizados pela LEPAC:

Finalmente o lepac da universidade estadual de Maringá (UEM), recebeu ontem do laboratório central do paraná (lacen-pr) a habilitação final para realizar os testes da covid-19. O pedido de credenciamento é analisado desde o final de março.

Assista à edição completa:

https://maringapost.com.br/jovempan/2020/06/11/prefeito-de-maringa-anuncia-novo-decreto-que-estabelece-o-fechamento-de-algumas-atividades/

Mais Artigos...