Sidebar

18
Qui, Jul

Cerimônia de lançamento do projeto de ressocialização / Divulgação UEM

Um projeto desenvolvido na Universidade Estadual de Maringá (UEM), com a coordenação do professor José Gilberto Catunda Sales, visa a criar uma chance de ressocialização a apenados, usuários de drogas e moradores de rua.

Para recuperar as pessoas vai ser oferecida a capacitação para o trabalho com horticultura e máquinas agrícolas.

A iniciativa faz parte de um trabalho desenvolvido pela Associação dos Moradores Ecologicamente Corretos de Maringá (Amecom), em parceria com a Casa Nossa Senhora da Anunciação, que acolhe moradores de rua, e o Centro de Ciências Agrárias (CCA) da UEM.

Segundo Catunda Sales, que é professor do Departamento de Agronomia da UEM, o projeto de capacitação tem aporte financeiro de R$ 186 mil da Unidade Gestora do Fundo Paraná (UGF), do Governo Estadual, e envolve a atuação de seis estudantes e três professores bolsistas.

Conforme o coordenador, o ensinamento a ser repassado com o objetivo de oferecer a ressocialização a apenados, usuários de drogas e moradores de rua, vai dar condições profissionais de buscar emprego.

No caso da horticultura, os inscritos no curso vão aprender sobre o desenvolvimento de mudas de árvores, flores e o cultivo de verduras em estufa.

O lançamento do projeto “Capacitação em Horticultura, Operação e Manutenção de Máquinas Agrícolas de Apenados, Usuários de Drogas e Moradores de Rua de Maringá” teve a participação, entre outros, do presidente da Amecom, Basílio Baccarin, o vice-presidente da entidade, Aparecido Lopes, o coordenador técnico e o coordenador missionário da Casa Nossa Senhora da Anunciação, Reginaldo Francisco Furtado e Edney Jovani.

De início, o projeto vai beneficiar os moradores de rua acolhidos pela Casa Nossa Senhora da Anunciação, que prevê atividades em estufa de 480 m² construída pela Amecom com recursos da Vara de Execuções Penais (VEPMA).

Depois, se estenderá ao Centro de Ressocialização dos Egressos e ao Recanto Mundo Jovem, onde é feito o tratamento de usuários de drogas e onde a Amecom já trabalha com o desenvolvimento de mudas de árvores.

A capacitação com apoio técnico da UEM é fruto de um termo amplo de cooperação solicitado, pela Amecom, para a universidade em novembro do ano passado.

https://maringapost.com.br/cidade/2019/03/25/projeto-da-uem-cria-chance-de-ressocializacao-a-apenados-usuarios-de-drogas-e-moradores-de-rua/

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) vai ficar com os portões fechados na manhã desta sexta-feira (22/3), quando os servidores vão participar de uma paralisação contra a Reforma da Previdência.

A decisão foi tomada em assembleia realizada pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá e Região (Sinteemar) na segunda-feira (18/3).

Os funcionários que aderirem ao protesto vão se concentrar a partir das 8 horas em frente à Biblioteca Central da UEM.

Depois, o grupo segue até a sede da Previdência Social, na Avenida XV de Novembro, onde são esperados outros grupos e populares para participar da manifestação.

 

https://maringapost.com.br/sala3/2019/03/21/funcionario-vao-fechar-a-uem-em-dia-contra-a-reforma-da-previdencia/

Lua Lamberti de Abreu vai ser a primeira travesti a conquistar o título de mestre na UEM / Arquivo pessoal

A travesti Lua Lamberti de Abreu vai entrar para a história da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e da cidade. Ela vai ser a primeira travesti a concluir um curso de mestrado na instituição. A defesa da dissertação vai ser realizada na sexta-feira (22/3).

O trabalho de Lua Lamberti discute o apagamento e a inacessibilidade de pessoas trans nos territórios formais da educação. Sob orientação da professora Eliane Maio e co-orientação da professora Roberta Stubs Parpinelli, ela vai defender o trabalho intitulado Pe-Drag-Ogia como modo de Tensionar/Inventar Territórios Educacionais Heterotópicos.

Lua Lamberti usa o recurso metodológico da autoficção, em que produz um diálogo entre ela, a autora, com a sua persona Drag.

Dentro deste contexto, ela desloca as noções de edução por um eixo ético-estético-político de ser e estar no mundo e pensa na construção de territórios educacionais mais receptivos e potentes para pessoas que não são bem-vindas aos meios hegemônicos.

Em 2018, Lua Lamberti proferiu palestras a funcionários da Biblioteca Central da UEM sobre “O uso do nome social: um direito a ser respeitado” e “Os corpos trans nos espaços públicos: garantias à diversidade”.

 

https://maringapost.com.br/sala3/2019/03/20/travesti-vai-fazer-historia-em-maringa-como-a-primeira-mestre-a-se-formar-na-uem/

Professor Mima dava aulas em cursinho de Apucarana / Reprodução

Vítima do atentado em Maringá, na madrugada deste domingo (17/3), Orivaldo José da Silva Filho, o professor Mima, 22 anos, era estudante do Mestrado em Química da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e pretendia seguir carreira acadêmica. Ele se preparava para ingressar no Doutorado.

Mima nasceu na pequena cidade de Conchas, com cerca de 17 mil habitantes, no interior do estado de São Paulo. No Facebook, ele se apresentava com a frase: “Eu tenho um sonho… Isso é tudo que preciso…”

Em Maringá, o jovem chegou a dar aulas de Matemática no cursinho da UEM, para garantir o sustento. Atualmente, era professor do cursinho Foxtrot Concursos e Vestibulares, de Apucarana.  A empresa lamentou a perda do colaborador nas redes sociais.

“O “ Mima” era como ele gostava de ser chamado. Suas aulas eram inspiradoras e os nossos alunos adoravam sua didática, hoje o nosso mundo caiu com a notícia de sua perda. Deus concedeu a nós um gentil empréstimo e hoje no dia 17-03-2019, foi retomado após excelente cumprimento de missão. O grande exemplo de pessoa que você é ficará guardado em nossos corações eternamente, estaremos sempre juntos e lembraremos sempre do nosso ‘pequeno cientista’. Foi uma honra para nós ter você aqui em nossa família.”

Estudantes também se manifestaram sobre a perda do jovem professor. “Sentirei sua falta meu grande mentor, você sempre irá ser minha inspiração para correr atras dos nossos sonhos. Estou sentindo muito sua falta, mas sei que está bem ao lado de Deus. Sempre estará em meu coração”, escreveu Matheus Souza Alves.

Amanda Mandrot afirmou nas redes sociais que Mima era um excelente profissional. “Você estará sempre na minha memória. Que um dia eu possa ser o profissional que você foi e ter o coração mais lindo que já conheci!”

Centro Acadêmico de Química divulga nota de apoio

O Centro Acadêmico de Química Roberto Verdade, mais uma vez vem a público lamentar o triste ocorrido ontem, na madrugada do dia 17/03 onde o estudante de Mestrado em Química da Universidade Estadual de Maringá, Orivaldo José da Silva Filho foi atacado e brutalmente assassinado dentro do pensionato onde morava.

Repudiamos veemente atitudes de cunho terrorista e extremista, e esperamos que no Poder Judiciário o assassino seja julgado e punido dentro dos parâmetros legais vigentes.

Hoje o Centro Acadêmico, o Departamento de Química e a Pós Graduação em Química da UEM amanheceram sem cor.

Infelizmente o nosso amigo foi mais uma vítima dessa triste e preocupante onda de assassinatos que vem acontecendo dia após dia em nosso país.

Não há palavra que acalme a dor de ver alguém que amamos partir pra sempre, mas nós do CA nos solidarizamos aos amigos e familiares prestando nosso luto e apoio nesse momento tão triste, uma grande perda a todos nós!

 

https://maringapost.com.br/cidade/2019/03/17/vitima-do-atentado-em-maringa-professor-mima-fazia-mestrado-na-uem-e-dava-aulas-em-cursinho-de-apucarana/

O jornalista Caco Barcellos / Divulgação TV Globo

Uma equipe do Profissão Repórter da TV Globo vem a Maringá para uma palestra na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Os bastidores da notícia e os desafios da reportagem são o tema da palestra.

No evento, os participantes vão poder inscrever reportagens audiovisuais no Globo Lab. Dez reportagens vão ser selecionadas e os autores vão ter o direito de passar cinco dias na redação do programa, em São Paulo, para reeditar o material com a mentoria de Caco Barcellos.

As reportagens vão ser publicadas no site do programa Profissão Repórter. O evento é aberto a todos os interessados no tema, não apenas a estudantes de Comunicação e jornalistas.

A palestra é gratuita e vai ser realizada no dia 21 de março, às 20 horas, no Bloco B-33 no campus sede da UEM. As inscrições vão até o dia 14 de março. É preciso preencher este formulário eletrônico.

https://maringapost.com.br/sala3/2019/03/07/equipe-do-profissao-reporter-da-tv-globo-seleciona-reportagens-em-maringa/

Mais Artigos...