Sidebar

26
Qua, Jun

Imagem ilustrativa / Divulgação UEM

Começa nesta quinta-feira (25/4), na Universidade Estadual de Maringá (UEM), o prazo de inscrições para o curso de Capacitação em Meditação Transcendental (MT) para formação de grupo de meditantes na UEM, sob a coordenação do professor Celso Conegero, do Departamento de Ciências Morfológicas (DCM).

Só vão ser aceitas inscrições feitas pela internet. O prazo termina no dia 2 de maio, ou quando atingir o limite de 40 vagas oferecidas. O curso é aberto a qualquer pessoa com 18 anos ou mais e disponibilidade para meditar de 20 a 40 minutos por dia, de segunda a sexta-feira, no câmpus sede da UEM, em Maringá, pelo período de seis meses.

A organização vai exigir a frequência mínima de 75% mediante o controle diário por meio de lista de presença.

Gratuito, o curso, que vai ser ministrado de 2 de maio a 1º de novembro, é promovido pelo projeto de extensão “Terapias Alternativas como Ferramentas para o desenvolvimento do Bem-Estar Individual e Coletivo”, em parceria com a Associação Internacional de Meditação (SIM).

O evento visa capacitar pessoas para formação de grupo de meditantes na UEM e verificar os benefícios que a prática regular da Meditação Transcendental traz para as quatro áreas da vida: potencial mental, saúde, relacionamentos e sociedade.

As atividades serão ministradas pelos professores Indra Karina Zubieta Merubia e Gustavo Cerna Herrera, membros da Associação Internacional de Meditação.

Toda a programação do curso está disponível neste link onde é possível acessar também o link das inscrições. Outras informações no telefone (44) 3011-5988.0

https://maringapost.com.br/sala3/2019/04/24/abrem-inscricoes-para-curso-de-meditacao-transcendental-na-uem/

Alunos interagem com animais no lançamento da Força Verde Mirim de 2019 / Divulgação Polícia Ambiental

Foi realizada na manhã desta terça-feira (22/4) a aula inaugural da turma de 2019 da Força Verde Mirim, projeto de Educação Ambiental da 3ª Companhia da Polícia Ambiental de Maringá.

As crianças e adolescentes, com idades entre 10 e 14 anos, tiveram a oportunidade de interagir com alguns animais levados pelo criador conservacionista Prof. Ivan Carvalho.

Ele é professor Doutor da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Mestre em ecologia e escritor de diversos livros ambientais. O professor fez a palestra inaugural e também apresentou vídeos aos novos integrantes da Força Verde Mirim.

O curso de formação tem duração de seis meses e a maioria das aulas vai ser ministrada na sede do Lar Escola da Criança, onde também estudam as crianças e adolescentes.

Os participantes recebem orientações teóricas e práticas sobre questões ambientais e, ao longo do curso, recebem uniformes, bonés, calçados, mochilas e material escolar.

O lançamento da edição de 2019 contou com a presença do procurador do Trabalho, Fábio Alcure, e do professor Rodrigo Barrionuevo, do Lar Escola da Criança de Maringá.

https://maringapost.com.br/sala3/2019/04/22/turma-de-2019-da-forca-verde-mirim-tem-aula-inaugural-com-animais/

 

Estudantes da Universidade Estadual de Maringá (UEM) realizam de segunda-feira (15/4) a quinta-feira (18/4) uma ação social para a arrecadação de doações que vão ser revertidas ao Lar Escola Bom Samaritano de Maringá.

Os pedidos de colaboração são por alimentos não perecíveis, produtos de limpeza e de higiene pessoal. O objetivo é incentivar o trabalho realizado com cerca de 40 crianças em situação de vulnerabilidade social.

A arrecadação vai ser concentrada na Biblioteca Central da UEM, das 10h30 às 13h30 e das 18h30 às 20h30.

O Lar Escola Bom Samaritano fica localizado na esquina da Rua dos Cocais com a Rua das Mangueiras, no Jardim Tropical.

https://maringapost.com.br/sala3/2019/04/14/estudantes-pedem-doacoes-para-o-lar-escola-bom-samaritano/

Estudantes aguardam abertura dos portões para o Vestibular da UEM / ACS UEM

Vão ser abertas nesta segunda-feira (8/4) as inscrições do novo vestibular da UEM. O Vestibular de Inverno de 2019 da Universidade Estadual de Maringá vai ser o primeiro a ser realizado com apenas dois dias de prova.

A primeira edição do novo vestibular da UEM vai ser realizada nos dias 14 e 15 de julho. Além de reduzir um dia de provas, a universidade também passa a realizar o concurso no período da tarde, entre 13h50 e 19 horas. O tempo passou para cinco horas. Até o ano passado, eram quatro horas de provas em cada um dos três dias do concurso.

No primeiro dia do vestibular da UEM, os candidatos vão responder a 40 questões objetivas de Conhecimentos Gerais e vão fazer a Redação.

No segundo dia, a prova vai contar com dez questões de Língua Portuguesa, cinco de Literaturas em Língua Portuguesa, cinco de Língua Estrangeira, além de 30 perguntas de Conhecimentos Específicos, de disciplinas que vão ser definidas pelo Conselho Acadêmico de cada curso da instituição.

Na prova de redação, explica a presidente da Comissão do Vestibular Unificado (CVU), Maria Raquel Natali, a UEM passa a exigir apenas um gênero textual. Em anos anteriores, eram exigidos dois textos.

Outra novidade é que as provas vão ser aplicadas em mais cidades. “Além das cidades que a UEM já realiza o vestibular, estaremos presentes em Cascavel e Curitiba. No total, vão ser dez municípios, além de Maringá”, anuncia Maria Raquel.

Os candidatos também vão poder optar por fazer as provas em Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Paranavaí e Umuarama.

As inscrições precisam ser feitas pela internet e o prazo vai até 8 de maio. A UEM vai oferecer no Vestibular de Inverno de 2019 um total de 1.494 vagas, em cerca de 70 cursos de graduação.

Do total de vagas, 20% são reservadas para o sistema de cotas sociais, para estudantes de baixa renda.

A taxa de inscrição, no valor de R$ 156,00, tem que ser paga até o dia 10 de maio. Os pedidos de isenção da taxa vão ser aceitos de 8 a 16 de abril.

Para solicitar o beneficio é preciso estar regularmente cadastrado no CadÚnico para Programas Sociais do Governo Federal. Os pedidos são feitos pela internet.

O resultado do Vestibular de Inverno 2019 será publicado no dia 16 de agosto. Para mais informações consulte o Manual do Candidato.

https://maringapost.com.br/cidade/2019/04/07/inscricoes-do-novo-vestibular-da-uem-abrem-nesta-segunda-e-o-primeiro-concurso-em-dois-dias/

Na quinta-feira (4/4), a Universidade Estadual de Maringá (UEM) começa a trocar 28.436 lâmpadas fluorescentes por lâmpadas tubulares LED. As novas lâmpadas vão ser instaladas em 14.388 luminárias internas em 95% das instalações prediais do câmpus sede.

A modernização não inclui o complexo de saúde na Avenida Mandacaru, onde funciona o Hospital Universitário e outras clínicas.

O investimento se deve ao Projeto de Eficiência Energética (PEE) aprovado pela Copel, pelo qual também está prevista instalação de uma usina de minigeração fotovoltaica de energia.

Para a geração de energia, o projeto prevê a instalação de placas fotovoltaicas em nove edifícios no câmpus, escolhidos a partir da posição da cobertura voltada para o norte geográfico e condições do entorno, resultando em maior eficiência do gerador solar.

Segundo a Prefeitura do Câmpus, a execução do sistema fotovoltaico poderá gerar alguns transtornos em função de barulho e movimentação de pessoas e materiais pelos blocos que receberão as placas fotovoltaicas.

Os blocos serão o C-34, C-56, D-67, E-78, E-90, G-90, I-12, J-35 e P-03, que abriga a Biblioteca Central.

O trabalho de substituição de lâmpadas poderá exigir que alguns ambientes fiquem indisponíveis durante a troca das luminárias, pois por questão de segurança não é adequada a circulação de pessoas no local. Para minimizar estes efeitos, se buscará divulgar antecipadamente as datas de intervenções nos locais.

A UEM recebeu R$ 4,5 milhões para o Projeto de Eficiência Energética (PEE), aprovado em chamada pública da Copel e da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), aberta exclusivamente para instituições de ensino superior, além de cerca de R$ 1,8 milhões, na mesma chamada, para Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento cujo objetivo é o desenvolvimento de uma nova geração de célula solar híbrida para conversão fotovoltaica, com desempenho superior às placas encontradas no mercado.

A proposta é gerar maior quantidade de energia a partir do melhor aproveitamento do espectro da luz solar.

Conforme o prefeito do câmpus, Carlos Augusto Tamanini, o consumo médio mensal atual com energia na UEM é de 782.322 kWh (quilowatts hora) e 30% desse volume são gastos com iluminação.

Segundo ele, a partir da troca das lâmpadas, o consumo de energia com a iluminação tende a cair para 109 mil kWh. Após o término da substituição das lâmpadas fluorescentes e da colocação dos sistemas fotovoltaicos, a expectativa é uma economia anual de R$ 700 mil nos gastos com energia.

https://maringapost.com.br/sala3/2019/04/02/uem-comeca-a-trocar-28-435-lampadas-fluorescentes-por-led/

Mais Artigos...