Sidebar

21
Dom, Jul

Ratinho Junior em coletiva no Palácio Iguaçu / Arnaldo Alves / ANPr

O governador Ratinho Junior apresentou proposta de 5,09% de reajuste parcelados aos servidores do Paraná na manhã desta quarta-feira (3/7). A proposta prevê a concessão de 0,5% em outubro de 2019, mais 1,5% em março de 2020, 1,5% a partir de janeiro de 2021 e 1,5% a partir de janeiro de 2022.

As duas últimas parcelas ficam condicionadas ao crescimento mínimo de 6,5% e 7%, respectivamente, da receita corrente líquida em relação ao ano anterior. Em coletiva de imprensa no Palácio do Iguaçu, o governador também garantiu a manutenção do programa de promoções e progressões.

O benefício, segundo informações do Governo do Paraná, representa um crescimento vegetativo médio de 2,3% ao ano da folha de pagamento de ativos. Este índice significa uma despesa extra de R$ 1,3 bilhão até 2022. Um projeto de lei vai ser encaminhado nesta quinta-feira (4/7) à Assembleia Legislativa do Paraná (Alep).

Além de 5,09% de reajuste parcelados, também vão ser concedidos, segundo o governo, aumentos nos valores do auxílio-alimentação, do vale-transporte e a oferta de perícia médica em oito polos do interior do Estado, o que vai representar um custo adicional estimado em R$ 25,4 milhões em 2019.

Outra medida anunciada por Ratinho Junior foi a contratação, via concurso público, de quase seis mil novos servidores, com impacto direto de R$ 200 milhões ao ano.

A maior parcela é de policiais militares (2.560). Também vão ser contratados professores (988), policiais civis (400), profissionais de saúde (400) e agentes de cadeia (1.269).

O concurso também vai atender a demanda de peritos para a Polícia Científica e profissionais para a Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar), Instituto Ambiental do Paraná (IAP), Departamento de Estradas de Rodagem (DER), Teatro Guaíra e para o Quadro Próprio do Poder Executivo (QPPE).

Proposta foi mal recebida por sindicatos

Segundo coordenadores do Fórum das Entidades Sindicais (FES), “a proposta é indecente”, pois não contempla a real perda salarial e colocaria em risco direitos adquiridos. Uma reunião do comando de greve está marcada para a manhã desta quinta-feira (4/7).

“Não dá pra chamar assembleia pra avaliar essa indecência. O governador prefere chamar coletiva de imprensa do que participar de uma mesa de negociação com os sindicatos”, critica o presidente da APP-Sindicato, professor Hermes Leão.

De acordo com o presidente da Associação Vila Militar (AVM), Coronel Washington Alves da Rosa, a notícia foi recebida com indignação e frustração.

“A greve do funcionalismo somente não ganhou maiores proporções devido ao voto de confiança que foi dado pelas associações das categorias policiais. Infelizmente, novamente acreditando na boa vontade do Governo, fomos traídos”, afirmou.

O Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar), que passou a quarta-feira dedicado a reuniões com servidores do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM), para discutir o envolvimento do hospital no movimento de greve da Universidade Estadual de Maringá (UEM), ainda não divulgou oficialmente uma avaliação sobre a proposta de Ratinho Junior.

https://maringapost.com.br/poder/2019/07/03/ratinho-junior-propoe-509-de-reajuste-parcelados-com-05-em-2019-proposta-e-mal-recebida-por-sindicatos/

 

O Procon de Maringá firmou na manhã desta terça-feira (2/7) um convênio com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) e vai assinar nesta quarta-feira (3/7) um convênio com a Receita Estadual para fiscalizar postos de combustíveis.

De acordo com informações do Procon, os alvos das investigações são o alinhamento de preços, a sonegação de impostos e a adulteração dos produtos.

“A parceria com os demais órgãos objetiva uma ação mais efetiva e busca rápida resposta à população. Operações conjuntas e integradas serão mais eficazes, reduzirão o conflito de competências e vão proporcionar mais celeridade em todo o processo”, explica o diretor do Procon de Maringá, Geison Ferdinandi.

A integração dos órgãos dá continuidade ao anúncio da abertura de investigação sobre os preços dos combustíveis pelo Procon. Segundo o órgão de defesa do consumidor, 77 estabelecimentos forneceram notas fiscais de compra dos produtos das distribuidoras.

Agora, os dados vão ser tabulados e comparados com informações de outros municípios da região que comercializam os combustíveis com valores bem abaixo do que é praticado em Maringá.

O Procon de Maringá tem realizado contato com outros órgão de defesa do consumidor para conhecer ações de combate à abusividade nos preços para fiscalizar os postos de combustíveis.

O órgão, em parceira com o Laboratório de Análises de Combustíveis da Universidade Estadual de Maringá (UEM), também realiza análise da qualidade de combustíveis.

Em março de 2019, dois estabelecimentos comerciais foram autuados em R$ 184 mil por comercializar o produto em desconformidade.

Sobre o convênio do Procon de Maringá com a Receita Federal, a expectativa é reforçar o alcance da Lei Municipal 10752/2018, sancionada pelo prefeito Ulisses Maia, que prevê cassação do alvará de funcionamento de posto de combustível por crime de sonegação fiscal e outras irregularidades.

Núcleo divulga banner de composição de preços

A composição dos preços dos combustíveis em Maringá é divulgada em um banner por 32 postos de combustíveis de Maringá que integram o Nuscom, núcleo de postos do programa Empreender, ligado à Associação Comercial e Empresarial de Maringá (ACIM).

A composição do preço é a seguinte: 43% de impostos, 28% de gasolina A, 12% de etanol anidro, 5% de margem da distribuidora e 12% de margem bruta da revenda.

Os postos informam que os impostos representam 3,5 vezes mais que a margem bruta do estabelecimento comercial e destacam despesas com aluguel, funcionários, água, luz e outras para manter o estabelecimento.

Segundo os empresários, a divulgação dos custos é uma das ações que o Nuscom tem feito em prol da transparência e contra a informalidade.

https://maringapost.com.br/poder/2019/07/02/procon-de-maringa-fecha-convenio-com-o-gaeco-e-com-a-receita-estadual-para-fiscalizar-postos-de-combustiveis/

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) se reúne às 14 horas desta sexta-feira (28/6) para discutir a suspensão do calendário acadêmico da instituição. A reunião vai ser no auditório do Bloco C-34, no campus sede. O encontro vai ser acompanhado por docentes e técnicos em greve.

O pedido de suspensão imediata do calendário acadêmico foi levado ao retor Júlio Cesar Damasceno na quarta-feira (26/6), dia em que foi deflagrada a greve, mas ele optou por não tomar a decisão sozinho e ouvir o CEP.

Uma das preocupações do reitor é com a provas do Vestibular de Inverno 2019, que vão ser realizadas nos dias 14 e 15 de julho. Um ofício do reitor foi encaminhado ao Comando da Greve para que as provas possam ser realizadas.

Na manhã desta quinta-feira (27/6), quase todos os portões do campus da UEM foram trancados com cadeados. Apenas a entrada pela Rua 10 de Maio permanece aberta.

Nesta quinta, professores e servidores das escolas estaduais que estão em greve deste terça-feira (25/6) fizeram nova manifestação em frente ao Núcleo Regional de Educação de Maringá.

Para a manhã desta sexta-feira (28/6), é previsto que o movimento grevista da UEM se una à manifestação na Avenida Carneiro de Leão, na frente do Núcleo.

Em Curitiba, o governador Ratinho Junior, segundo informações do portal Bem Paraná, minimizou o movimento grevista em todo o Estado. Ele também afirmou que não vai negociar com as categorias que estiveram paralisadas.

A APP-Sindicato considerou a postura do governador como autoritária. Na terça-feira, o sindicato que representa os policiais suspendeu uma operação padrão nas delegacias com o compromisso de que o governo apresente uma proposta na próxima semana.

O reajuste pleiteado pelos servidores do Paraná para 2019, para recompor a data-base dos últimos doze meses, é de 4,94%. Também há uma reivindicação de reajuste de mais 1% em outubro e 1% no mês de dezembro.

https://maringapost.com.br/cidade/2019/06/27/conselho-da-uem-decide-nesta-sexta-a-tarde-se-suspende-o-calendario-academico-pela-manha-vao-ocorrer-protestos/

Cerca de 80% dos participantes da assembleia aprovaram a greve na UEM / Valdete da Graça

Técnicos e professores aprovaram a greve na UEM por tempo indeterminado. A decisão foi tomada em assembleia unificada na manhã desta quarta-feira (26/6). O indicativo de greve na UEM havia sido aprovado no dia 18 de junho e só foi confirmado.

Cerca de 80% das pessoas que participaram da discussão no Restaurante Universitário da Universidade Estadual de Maringá votaram a favor da paralisação.

A assembleia unificada é composta pelo Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar), Associação dos Docentes da UEM (ADUEM), Associação dos Funcionários da UEM (AFUEM) e da Seção Sindical dos Docentes da UEM (SESDUEM).

Os técnicos e professores cobram do Governo do Paraná a recomposição salarial com base na inflação dos últimos doze meses, de 4,94%.

De acordo com os sindicatos, os portões da UEM vão ser fechados até que o governo faça uma contraproposta de recomposição salarial.

Por meio de nota, a Reitoria da UEM se solidarizou à decisão dos técnicos e professores. Ao mesmo tempo, demonstrou preocupação com os serviços essenciais da instituição, como o funcionamento do Hospital Universitário e a restrição ao direito de ir e vir.

“Nossa preocupação agora é manter as atividades essenciais em funcionamento, bem como a preservação do direito de ir e vir, mantendo o acesso à Universidade. Nesse sentido, iremos dialogar com o comando do movimento grevista para, juntos, encontrarmos uma solução possível.

A Reitoria da UEM também se dispõe a contribuir, junto com os demais reitores das universidades estaduais paranaenses, na interlocução com o Governo do Estado buscando sempre o diálogo e a negociação quanto à pauta apresentada pelo movimento grevista, cujo ponto principal é a reposição de parte das perdas salariais”.

As manifestações da UEM reforçam o movimento deflagrado na terça-feira (25/6) pelos professores e servidores das escolas estaduais de Maringá. Parte dos funcionários da rede estadual de ensino está em greve.

O grupo fez nova manifestação na manhã desta quarta-feira (26/6) em frente ao Núcleo Regional de Educação de Maringá.

https://maringapost.com.br/cidade/2019/06/26/greve-na-uem-e-aprovada-por-tempo-indeterminado-reitoria-pede-manutencao-de-servicos-essenciais/

Vespersaurus era um pequeno dinossauro predador do deserto com comprimento de até 1,5 metro / Reprodução

Encontrada no sítio paleontológico de Cruzeiro do Oeste, a 150 km de Maringá, Vespersaurus paranaensis é a primeira espécie de dinossauro descoberta no Paraná. Inédita no mundo, a nova espécie pode ajudar os pesquisadores a compreenderem a vida pré-histórica do planeta e revela que, há milhões de anos, a região noroeste do Estado era habitada por dinossauros.

A descoberta foi apresentada nesta quarta-feira (26/6) pela Universidade Estadual de Maringá (UEM) em parceria com a Prefeitura de Cruzeiro do Oeste e o Laboratório de Paleontologia da Universidade de São Paulo (USP-Ribeirão Preto). Os pesquisadores divulgaram imagens e detalhes da pesquisa que culminaram no achado da nova espécie.

Vespersaurus paranaensis viveu no período cretáceo, há cerca de 85 milhões de anos. A região, que hoje compreende o município de Cruzeiro do Oeste, fazia parte de um grande deserto batizado de Deserto do Caiuá. A espécie era um pequeno dinossauro predador do deserto com comprimento de até 1,5 metros. 

O dinossauro paranaense se locomovia com base em um dos três dedos do pé. Os outros dois eram usados como garras para fisgar e cortar as presas.

O paleontólogo da USP, Max Langer, explicou que foram encontrados dinossauros semelhantes na Argentina e na África, mas a descoberta em Cruzeiro do Oeste é inédita. A espécie encontrada é a oitava de um grupo de dinossauros chamado de terópodes, que compreende animais bípedes e carnívoros, e é a mais completa encontrada até o momento. Segundo os pesquisadores, as mãos e os pés do Vespersaurus estão melhor preservados do que de qualquer outro dinossauro descoberto. 

O nome escolhido para a descoberta vem de Vesper, quem em latim significa para oeste, em referência ao nome da cidade, e sauros do grego que significa lagarto. Segundo Max Langer, a descoberta revela que a região noroeste do Paraná foi habitada por dinossauros. “Aqui existia um grande deserto que ocupava a parte oeste do Estado, sul de São Paulo e Mato Grosso do Sul. Nesse deserto, se conhecia muito pouco, e agora com essas descobertas podemos conhecer melhor”.

Historiadora identificou em 2017 que se tratava de um dinossauro  

Quem se deparou com o o bloco retirado do sítio paleontológico e identificou, ainda em 2017, que os ossos encontrados poderiam ser de uma espécie de dinossauro, foi a historiadora e diretora do Museu de Paleontologia de Cruzeiro do Oeste, Neurides Martins. “Em determinado dia estava mexendo nos blocos e falei: ‘Vou preparar esse bloco aqui’. Não imaginava que fosse encontrar uma surpresa tão grande”.

Ela conta que logo no primeiro momento que começou a analisar o bloco identificou que se tratava de uma espécie de dinossauro. “Tinha o pterossauro e os ossos que vi eram diferentes. Comecei do meu celular mesmo a fazer pesquisas, entrar em artigos, e vi ali que eram ossos de dinossauro, porque o osso do pterossauro é muito fraco e o osso do dinossauro é mais firme”.

Bloco de fósseis que levou a descoberta do Vespersaurus / Murillo Saldanha

O Vespersaurus não é o primeiro fóssil encontrado na cidade. Em 2014, uma espécie de fóssil de réptil voador (pterossauro) foi descoberta no local. Os fósseis foram encontrados em 1971 por Alexandre Gustavo Dobruski e o filho João Gustavo Dobruski, ao escavarem valetas para escoamento de água em uma estrada rural.

O pterossauro chegou a ganhar destaque na revista National Geographic em 2017. Em 2015, também foi encontrada uma espécie de lagarto chamada de Gueragama sulamericana. A historiadora, Neurides Martins, não descarta a possibilidade da descoberta de novas espécies de pterossauros e dinossauros em Cruzeiro do Oeste. No entanto, ela afirmou que agora é necessário identificar a maneira como esses animais viviam e como se alimentavam.

Nova espécie foi apresentada na manhã desta quarta-feira (26/6) / Murillo Saldanha

https://maringapost.com.br/cidade/2019/06/26/descoberta-inedita-no-mundo-vespersaurus-paranaensis-e-a-primeira-especie-de-dinossauro-do-parana/

Mais Artigos...