Maringá Post
Tools
O álcool líquido 70% será destinado ao consumo interno do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM)/ Divulgação

Por conta do novo coronavírus, o consumo do álcool líquido 70% aumentou bastante em todas as regiões. Para suprir a demanda de setores importantes, como o Hospital Universitário de Maringá (HUM), o departamento Farmácia Ensino de Manipulação da Universidade Estadual de Maringá (UEM) vai produzir mil litros de álcool líquido 70%.

Desde que tenha os reagentes necessários para a produção, o departamento de Farmácia sempre produziu os próprios materiais de limpeza consumidos pela instituição. Recentemente, a universidade que estava sem material para a produção do álcool, recebeu a doação de 1.000 litros de álcool puro.

A ajuda tão importante para a farmácia de manipulação da UEM veio da Usina Santa Terezinha, localizada no Distrito de Iguatemi. Com a doação da empresa, a produção de álcool líquido 70% que estava parada foi retomada pela instituição nesta quarta-feira (25/3).

“A fabricação do álcool líquido 70% é bem simples. Trabalhando em um bom ritmo produzimos só nesta quarta (25/3) 300 litros de álcool que será destinado ao HU”, conta a responsável pela Farmácia de Manipulação, Marli Miriam de Souza Lima.

Marli explica que para reduzir o álcool 96% até 70% é necessário utilizar um aparelho de vidro chamado alcoômetro. “O aparelho serve para medir a temperatura/densidade do álcool etílico. Controlando essa temperatura eu consigo modificar a densidade da substância, ai por fim, eu corrijo a densidade com água destilada, até chegar em 70%”, explica a responsável pelo projeto.

Segundo pesquisas cientificas, a medida exata do álcool líquido 70% é a única capaz de romper a membrana celular e matar vírus e bactérias. “Essa é a proporção de álcool que tem realmente um efetivo antisséptico. Concentrações superiores não conseguem quebrar a barreira da célula. Se a concentração for menor que 70% não pode ser considerada antisséptico, só desinfetante”, explica Marli.

No que diz respeito a qualidade do álcool produzido pela instituição, todos os produtos feitos pela farmácia de manipulação seguem as Boas Práticas de Manipulação definidas pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (ANVISA).

“O álcool 70% que está sendo preparado na farmácia é feito pelas farmacêuticas responsáveis, nada é feito nos laboratórios de ensino. Pensando que este produto será destisnado ao HUM, a eficácia precisa ser assegurada” explica Marli Miriam.

A Pró-Reitora de Extensão e Cultura, Débora Sant’ana, conta que outras empresas de Maringá também colaboraram com a UEM, doando as embalagens onde vai ser colocado o álcool para distribuição no HUM.

“No geral, a Copos e Brindes doou 3 mil embalagens de 300 ml. A Biofórmula Farmácia de Manipulação doou mais 100 embalagens para álcool. Também recebemos tampas para os frascos de uma empresa que preferiu não se identificar” explica Débora.

A Farmácia de Manipulação da UEM é vinculada ao Departamento de Farmácia, e existe desde 1987. A licença de funcionamento é renovada anualmente pela Vigilância Sanitária.

Todos contra o coronavírus

Nesse momento de pandemia do Covid-19, o HUM está se preparando para o pico da doença, que, segundo especialistas, deve ocorrer no início do mês de abril.

Com planejamento antecipado para a crise, o hospital, juntamente com a Secretaria de Saúde, pede doações de materiais para auxiliar no combate do coronavírus.

Para fazer sua doação, entre em contato em horário comercial pelo (44) 3011-9255. Ou clique aqui para acessar o site da Associação de Amigos do HUM (AAHU).

https://maringapost.com.br/cidade/2020/03/26/uem-volta-a-produzir-alcool-liquido-70-mil-litros-serao-destinados-ao-hospital-universitario/