Sidebar

10
Sex, Abr

Maringaenses não tomam cuidados necessários ao ir ao mercado/ Foto: Banco de imagem

Um estudo realizado por quatro integrantes do Grupo de Estudo de Evidências Científicas em Covid-19, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), identificou que os maringaenses não tomam cuidados necessários ao ir ao supermercado.

O ambiente ajuda no contágio do novo coronavírus. Segundo o artigo, as falhas cometidas durante as compras podem expandir ainda mais a transmissão da doença. A distância mínima entre clientes está sendo respeitada, o que é bom, porém durante as compras os clientes sempre estão conversando uns com os outros.

“As pessoas precisam compreender que enquanto falam, eliminam gotículas de saliva que podem contaminar mercadorias e objetos. Na sequência, pessoas que tocarem nos objetos poderão ser contaminadas, dentre elas, os próximos clientes, os operadores dos caixas e por ai vai”,  avalia Marcílio Miranda Neto, um dos pesquisadores do artigo.

De acordo com Neto, até mesmo alguém que não foi ao supermercado mas teve contato com produtos ou embalagens contaminados pode ser infectados. O estudo deixa evidente que as gotículas de saliva de quem conversa e as mãos mal lavadas ou contaminadas por fezes são outro grande perigo.

O uso do celular enquanto escolhem as mercadorias, e a má higienização das mãos após ir ao banheiro, também são ações tomadas pelos maringaenses que contribuem para a proliferação do Covid-19.

Nesse sentido, os autores do artigo flagraram banheiros de supermercado sem sabão, para lavar as mãos, e papel toalha. Isabel Ferreira da Silva Chagas, uma das autoras do estudo, afirma que o vírus pode permanecer viável por até 72 horas em superfícies de plástico e aço inoxidável.

“As pessoas precisam tomar cuidado com torneiras e vasos sanitários, em especial os de uso coletivo. Se o cliente tiver que abrir a torneira, é preciso ensaboar a parte que será tocada. Em seguida, lave muito bem as mãos e enxague a parte da torneira que deve usar para fechar”, explica a autora.

No final do processo de lavagem das mãos, Isabela explica que é importante o cliente  secar aos mãos com o papel toalha e em seguida, usar o papel para fechar a torneira.

Veja onze cuidados ao ir ao supermercado

1 – Quando estiver em um ambiente público ou em um estabelecimento que desempenha atividades essenciais, fale o mínimo possível com as outras pessoas;

2- Não use o celular enquanto escolhe produtos em farmácias e supermercados. De preferência deixe o celular em casa;

3 – Evite conversar com os operadores de caixa e balconistas;

4 – Higienize muito bem as suas mãos, antes e após sair do supermercado ou farmácia;

5 – Não tenha vergonha de usar máscaras durante suas compras, elas protegem as outras pessoas caso você esteja contaminado e não saiba, pois ajudam a reduzir a quantidade de agentes contaminantes que você lança no ambiente (não toque a máscara durante o uso e busque instruções sobre a forma correta de colocar, retirar e descartar);

6 – Se tossir ou espirrar, cubra a boca ou nariz com o ombro. Não cubra com as mãos pois se você estiver com a COVID-19 suas mãos ficarão contaminadas e poderão contaminar tudo o que você tocar antes de higienizá-las;

7 – Só utilize os sanitários públicos em caso de muita urgência. Lembre-se: as fezes e a urina podem contaminar as instalações sanitárias;

8 – Se você é uma pessoa com manifestações alérgicas e que espirra com frequência, evite ir ao mercado, farmácias e outros ambientes públicos que permanecem fechados. Caso o faça, use máscara, pois estudos demonstraram que o coronavírus na forma de aerossóis (similar ao que ocorre no espirro) pode permanecer por até 3 horas no ar e contaminar outras pessoas que passarem pelo mesmo ambiente, inclusive depois que você for embora, ou as gotículas eliminadas podem contaminar superfícies de caixas eletrônicos, balcões, prateleiras e mercadorias (lembre-se você pode ser um portador que ainda não manifestou os sintomas ou que terá apenas sintomas subclínicos, quase imperceptíveis);

9 – Não toque seu rosto durante o tempo que estiver fora de casa. Resista e somente o faça após lavar muito bem as mãos com água e sabão ou após uma boa desinfecção com álcool gel a 70%, pois elas podem ter sido contaminadas por algum objeto que você tocou e que possuía o vírus em sua superfície;

10 – Ao chegar das compras, não entre com o calçado que veio da rua, higienize as mãos, sacolas e seus conteúdos, tome banho e troque de roupas;

11 – Respeite as normas de isolamento social recomendadas pela OMS, pelo Ministério da Saúde e pelo Governo do seu Estado e de seu Município.

https://maringapost.com.br/cidade/2020/04/07/cientistas-da-uem-apontam-que-maringaenses-nao-tomam-cuidados-necessarios-ao-ir-ao-supermercado/

Nesta edição o destaque são as universidades estaduais estão autorizadas a realizar testes de covid-19, entre elas estão a Universidade Estadual de Maringá (UEM). Porém as universidades somente realizaram os exames com o repasse de todos os epis necessários.

Confira todos os destaques

Boletim de covid-19:

O último boletim sobre coronavírus, indica 22 casos positivos na cidade. Os suspeitos em acompanhamento, por terem apresentado algum sintoma do covid-19, são 513. Destes, 49 estão internados. O número de casos encerrados é maior, com 247 descartados. Os óbitos por complicação do coronavírus permanecem 2.

Universidades realizam exame de covid:

Cinco instituições estaduais de Ensino Superior do Paraná deram início nesta terça-feira (31) ao processo de credenciamento junto ao Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública (Sislab) para realização de exames para identificação do coronavírus. Juntas, as universidades estaduais de Londrina (UEL), Maringá (UEM), Ponta Grossa (UEPG), do Centro-Oeste (Unicentro) e do Oeste do Paraná (Unioeste) terão capacidade instalada de avaliar até 700 amostras por dia.

Primeiro caso de covid-19 em Sarandi:

Em Sarandi foi confirmado o primeiro caso de coronavírus (covid-19), em uma mulher de 26 anos que não tem histórico de viagens. Com isso o Prefeito Walter Volpato prorrogou o decreto de isolamento e fechamento do comércio por mais 15 dias.

Destaque político:

O deputado federal Ricardo Barros está defendendo que os servidores públicos de maneira geral tenham redução salarial para contribuir no combate ao coronavirus.

Dr. batista, é o novo presidente do Democratas, e o deputado Delegado Jacovós agora é eleitor maringaense de fato.

Assista à edição completa:

https://maringapost.com.br/jovempan/2020/04/03/governo-anuncia-que-universidades-estaduais-vao-realizar-testes-de-covid-19/

Numape da UEM faz atendimento por WhatsApp, Facebook ou Skype / Agência Brasil

Apesar do período de isolamento, o atendimento do Núcleo Maria da Penha (Numape) de enfrentamento à violência doméstica, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), continua a ser realizado, mas de forma virtual.

Além de informações e orientações às mulheres em situação de violência doméstica, familiar e de gênero, o Numape presta atendimento jurídico e psicossocial.

Em Maringá, segundo a delegada responsável pela Delegacia da Mulher, Luana Lopes, os casos de violência contra a mulher aumentaram cerca de 15%.Independentemente de terem ou não passado por atendimento no Numape, as mulheres podem entrar em contato com o núcleo, de segunda-feira a sexta-feira, das 9h às 15h, via Whatsapp (9 8408-6305), na página do Facebook (acesse aqui), por meio do e-mail ou via Skype.

Em casos de lesão corporal, estupro e tentativa de feminicídio, a Delegacia da Mulher realiza o Boletim de Ocorrência (BO) de forma presencial. Nos demais casos, há um formulário para ser preenchido e enviado por e-mail. Por meio do formulário, a mulher pode solicitar medida protetiva contra o agressor.

O boletim de ocorrência também pode ser realizado via aplicativo da Polícia Militar. Em situações de emergências, a mulher precisa entrar em contato com a patrulha Maria da Penha, pelo 153, que funciona 24 horas por dia.

Fora do horário de atendimento da Delegacia da Mulher, que vai das 9h ao meio-dia e das 14 às 18h, as vítimas devem procurar o plantão da 9ª Subdivisão Policial de Maringá (9ª SDP) para registrar Boletim de Ocorrência, ou enviar e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Para tirar dúvidas o telefone da Delegacia da Mulher é o (44) 3220-2500.

https://maringapost.com.br/cidade/2020/04/03/durante-isolamento-numape-da-uem-abre-atendimento-virtual-as-mulheres-vitimas-de-violencia/

Cinco universidades, incluindo a UEM, deram início ao processo de credenciamento / Divulgação/ Fundação Araucária

O Governo do Estado informou nesta quarta-feira (1/4) que cinco universidades estaduais, incluindo a Universidade Estadual de Maringá (UEM), deram início ao processo de credenciamento junto ao Sistema Nacional de Laboratórios de Saúde Pública (Sislab) para realização de testes de Covid-19.

No texto publicado na Agência de Notícias do Paraná, o governo afirma que as universidades têm capacidade de realizar 700 exames por dia, o que aumenta em quase 120% a atual condição do Estado. Hoje, o Laboratório Central do Estado (Lacen-PR) executa 600 exames por dia.

No entanto, o governo não pretende liberar recursos para compra de materiais, que são caros. “Os kits para os exames e os insumos para a extração de amostras dos materiais coletados ficariam por conta das universidades, municípios ou entidades civis”, diz um trecho do texto.

O Laboratório de Ensino e Pesquisa e Análises Clínicas (Lepac) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) pediu o credenciamento para realização de exames de Covid-19.

O coordenador do Laboratório de Virologia Clínica do Lepac, Dennis Armando Bertolini, explica que os insumos são caros e, por esse motivo, o laboratório ainda não definiu a metodologia de testagem.

De acordo com ele, a UEM pode dar início a realização dos exames, mas para ampliar e manter as testagens a universidade vai precisar de apoio.

“Para um pontapé inicial a universidade tem condições de comprar, isso também depende do volume de testes que faríamos. Depois, precisamos ajuda da comunidade externa, pois são insumos muito caros”, diz.

Segundo Dennis Bertolini, o Lepac pode buscar auxílio junto a Prefeitura de Maringá, que apoia o processo de credenciamento e a entidades da sociedade civil organizada como a Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim).

“Nós não recebemos pagamento pela execução do teste. Os exames são gratuitos, mas precisamos comprar os insumos”, explica.

Para o Maringá Post, o prefeito Ulisses Maia (PDT) informou que o município vai apoiar o Lepac na realização dos exames. “A prefeitura compra, inclusive, os testes”, diz Maia.

https://maringapost.com.br/cidade/2020/04/02/governo-anuncia-que-universidades-estaduais-vao-fazer-testes-de-covid-19-desde-que-tenham-condicoes-de-adquirir-insumos/

Datas de realização do Vestibular de Inverno 2020 foram suspensas / UEM

Em razão da pandemia de Covid-19, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) decidiu suspender as datas previstas para a inscrição e realização das provas do Vestibular de Inverno 2020.

A decisão foi tomada por meio de ato executivo 1/2020, assinado pelo reitor Julio César Damasceno.

De acordo com informações da Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU), as inscrições estavam previstas para o período de 6 de abril a 11 de maio. E as provas do vestibular ocorreriam em 12 e 13 de julho.

A presidente da CVU, Maria Raquel Marçal Natali, informa que ainda não há novas datas para as inscrições e provas. Assim que forem definidas em deliberação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) da UEM, as mudanças vão ser informadas.

O ato executivo da Reitoria, além de respeitar as recomendações de isolamento domiciliar da Organização Mundial da Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde, segue as normas deste decreto estadual e portaria do Gabinete da Reitoria.

A UEM também informou que as aulas presenciais dos cursos de graduação não vão ser iniciadas no dia 6 de abril, conforme previsto no calendário acadêmico da instituição.

A decisão atende à determinação estabelecida em decreto, assinado pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior, sobre a paralisação obrigatória das aulas na rede pública e privada de ensino, bem como nas universidades estaduais e entidades conveniadas. 

A decisão tem como objetivo amenizar a proliferação do novo coronavírus. A pró-reitora de Ensino, Alexandra de Oliveira Abdala Cousin, disse que a Câmara de Graduação do Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) tem uma reunião agendada para quarta-feira (1/4) para discutir sobre as alterações do Calendário Acadêmico de 2020.

“As decisões serão levadas, posteriormente, para deliberação em plenária do CEP, que é o órgão competente para definir estas alterações”, destacou a pró-reitora.

Embora não se tenha conhecimento do período de suspensão das aulas, Alexandra Cousin, reitera sobre a necessidade de assegurar o cumprimento da carga horária e número de dias letivos mínimos anuais previstos na Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional para todos os cursos e modalidades.

https://maringapost.com.br/cidade/2020/03/31/vestibular-de-inverno-2020-da-uem-que-aconteceria-em-julho-e-suspenso/

Mais Artigos...