Sidebar

13
Qua, Nov

Universidade Estadual de Maringá
Tools

Servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) vão avaliar a proposta do governo do Paraná de implantação da data-base com o pagamento de um reajuste de 5,08%.

A assembleia está marcada para quarta-feira (17). Na semana passada, com a confirmação da proposta, o governo explicou que a primeira parcela de 2% será liberada em janeiro de 2020.

A proposta já foi avaliada pelos professores da rede estadual de ensino, que decidiram suspender a paralisação e marcaram uma nova assembleia para o dia 10 de agosto. A greve afetou principalmente as escolas estaduais. A reposição das aulas deverá ser durante o recesso escolar e caso não haja reposição, as faltas serão aplicadas e os dias parados serão descontados da folha de pagamento. Essa é a informação da Agência Estadual de Notícias.

Já a APP Sindicato diz que a reposição das aulas paradas será negociada com a Secretaria de Educação do Paraná (Seed). Ainda de acordo com a APP, os funcionários da educação básica retornam ao trabalho nesta segunda-feira (15), mas os professores só voltam depois do recesso escolar.

O governo do estado também confirmou a realização de concursos públicos para a seleção de 2.560 policiais militares, 400 policiais civis, 96 peritos e médicos para a Polícia Científica, 1.269 agentes de cadeia, 400 profissionais da Saúde, 80 para a Agência de Defesa Agropecuária e 988 professores.

A CBN Maringá pediu uma entrevista para a Seed, para saber como exatamente fica a reposição das aulas.

Na UEM, esta segunda-feira é dia de vestibular. Os servidores da universidade vão se reunir em assembleia na quarta-feira (17), às 14h30, no Restaurante Universitário, para avaliar a proposta do governo e decidir sobre a greve.

Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/greve-servidores-da-uem-avaliam-proposta-do-governo