Sidebar

17
Seg, Jun

Medida era espécie de alerta para cobrar melhoras condições na unidade.
Principal pedido era o aumento de vagas em alas além do pronto-socorro.

O Conselho Regional de Medicina do Paraná (CRM) suspendeu a "interdição ética" do pronto-atendimento do Hospital Universitário de Maringá, no norte do Paraná, após vistoria realizada nesta quinta-feira (2).

A medida era uma espécie de alerta para cobrar melhores condições de trabalho e de atendimento no local, e foi baixada em dezembro de 2015, com prazo estipulado de 180 dias para readequação.

Entre os pedidos, estavam melhorias em outras alas, como a Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e o centro cirúrgico, para evitar que pacientes fiquem em macas pelos corredores do PA (o que ainda ocorre, em menor escala).

Além disso, o aumento no número de leitos também foi solicitado - o que, segundo a direção do hospital, já foi providenciado. No fim do ano passado, eram 123; agora, são 150, diz o HU.

Os conselheiros que visitaram o hospital, nesta quinta-feira, consideraram que houve melhora e, portanto, a interdição ética poderia cair. A suspensão, contudo, ainda depende de aprovação em plenária a ser feita no dia 6 de julho.

Outros cem novos leitos estão em construção, de acordo com o superintendente do HU, Maurício Chaves Junior. As obras devem terminar no fim de 2017.

"Aí sim [com a conclusão das obras], nós estaríamos com a capacidade de 250 leitos no hospital e aqueles pacientes que estão no pronto-socorro, aguardando internamento, terão os leitos de retaguarda disponíveis", diz Chaves.

O HU também vai ganhar mais 138 servidores, conforme a direção. Entre eles, 23 são médicos. Eles já foram convocados e têm 30 dias para se apresentar ao hospital.

http://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2016/06/conselho-suspende-interdicao-etica-do-hospital-universitario-de-maringa.html

 

 

 

Foram nomeados 255 novos servidores para três hospitais universitários.
Do total de nomeados, 94 trabalharão no Hospital Universitário de Londrina.

O decreto de nomeação de 255 novos servidores estaduais que trabalharão nos hospitais universitários de Londrina, Maringá, ambos no norte do Paraná, e também da região oeste do estado foi assinado pelo governador Beto Richa (PSDB) na quarta-feira (25). Os agentes universitários foram aprovados em concursos públicos realizados pelas universidades estaduais.

Do total de nomeados, 94 vão trabalhar no hospital da Universidade Estadual de Londrina (UEL), 138 no hospital da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e 23 no hospital da Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste).

As nomeações acontecem mais de 30 dias depois da UEL anunciar que fecharia o Centro de Tratamento de Queimados (CTQ) por falta de funcionários. A reitora da UEL, Berenice Jordão, diz que o setor voltará a funcionar tão logo os servidores sejam empossados.

“Com estas contratações, o CTQ funcionará normalmente. Estes servidores atenderão a vários setores do hospital universitário e vamos recompor o quadro do centro. Assim, o centro não vai interromper as atividades”, declarou a reitora da UEL.

Após publicação, os convocados terão 30 dias para se apresentar, e mais 30 para começar a trabalhar. A previsão é de que em 60 dias todos os convocados tenham sido empossados.

Os hospitais universitários são referência em atendimento de alta complexidade e atendem apenas paciente do Sistema Único de Saúde (SUS).

As contratações devem reduzir a superlotação do hospital universitário da UEM. Com demanda maior, devido a abertura de 27 novos leitos este ano, a instituição precisava com urgência de mais servidores. O hospital possui 150 leitos para atender toda a região.

http://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2016/05/governo-assina-decreto-de-nomeacao-de-novos-servidores-para-hospitais.html

 

 

 

 

 

Mais Artigos...