Sidebar

23
Qui, Mai

RIO - A Universidade Estadual de Maringá (UEM) divulgou o resultado do vestibular de inverno 2010 para ingresso no ano letivo de 2011. Foram convocados 1.682 candidatos. Confira a lista completa de aprovados.

Os aprovados para os cursos do campus Ivaiporã deverão efetuar a matrícula nos dias 11, 12 e 13 de agosto. Neste campus, o início das aulas está previsto para 23 de agosto. Os demais candidatos devem se matricular entre os dias 16 e 19 de janeiro de 2011 e suas aulas começaram em março.

A matrícula será realizada somente pela internet no endereço eletrônico www.daa.uem.br. A documentação necessária pode ser consultada no manual do candidato.

Neste processo seletivo, 21.984 candidatos disputaram 1.682 vagas em mais de 50 cursos de graduação. Os candidatos inscritos para o curso de Medicina enfrentarão a maior concorrência. Foram 267,1 candidatos por vaga. Entre os cotistas a concorrência é um pouco menor, mas ainda assim é alta: 106,5 candidatos/vaga.

Para mais informações acesse o site www.vestibular.uem.br ou entre em contato com a Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU) pelo telefone 44 3011-4450.

 http://oglobo.globo.com/vestibular/estadual-de-maringa-divulga-resultado-do-vestibular-de-inverno-2969668

 

 

Outro dia publiquei aqui as conclusões de um relatório divulgado pelo BID, que aponta relação direta entre infraestrutura nas escolas e nível de aprendizagem.

Para o pedagogo e professor Luiz Carlos Faria da Silva, porém, a afirmação não tem base científica.

O raciocínio é simples: de um lado, os pesquisadores olharam as notas dos estudantes num teste internacional (Serce) e, do outro, as instalações das escolas.

Mas, segundo Luiz Carlos, o método não exclui a possibilidade de que outros fatores, na verdade, sejam a causa real das variações.

- Estamos fazendo muita onda e disseminando muita confusão por conta disso. Muito estudo vai sendo jogado para a imprensa e os resutlados, divulgados, sem que passem por uma crítica de quem entende de metodologia científica - diz.

Doutor em educação pela Unicamp, Luiz Carlos é professor de filosofia e história da educação na Universidade Estadual de Maringá, além de especialista da Oscip Instituto Millenium. Foi membro do grupo de estudos sobre aprendizagem infantil da Academia Brasileira de Ciências.

Ele afirma que o professor é o fator isolado que mais contribui para explicar diferenças de desempenho escolar:

- Só tem um problema: quando você tenta entender o que faz um professor ser bom ou ruim, a gente ainda não conseguiu descobrir.

http://oglobo.globo.com/blogs/educacao/posts/2011/10/23/professor-contesta-estudo-do-bid-412791.asp


 

Nesta quarta (7), docentes de universidades estaduais fizeram paralisação.
Proposta será discutida com técnicos das instituições e do governo.

O governo do Paraná informou, nesta quarta-feira (7), que irá apresentar, até o dia 20 de março, uma proposta de equiparação salarial dos professores e agentes universitários, das instituições de ensino superior da rede pública estadual. Também nesta quarta, professores de várias universidades estaduais pararam por um dia.

Ainda de acordo com o governo, após uma conversa entre o secretário de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Alípio Leal, e representantes dos professores, foi formado um grupo de trabalho para definir a proposta a ser apresentada. O grupo reunirá técnicos das universidades e das secretarias envolvidas e será coordenado pelo vice-governador Flávio Arns.

A paralisação foi decidida em assembleia do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região (Sindiprol/Aduel). O objetivo da mobilização dos professores é conseguir 31,73% de reajuste aos professores e técnicos. Os docentes pedem também a equiparação salarial com os técnicos. Um professor em início de carreira ganha R$ 1.800,00, já um técnico tem salário inicial de R$ 2.300,00.

Em Londrina, os acessos à UEL foram bloqueados com pneus na manhã desta quarta, para impedir a chegada dos estudantes. Já em Maringá, os professores devem se reunir no auditório da UEM com a reitoria, para discutir o posicionamento do governo quanto a reivindicação de aumento salarial e o indicativo de greve.

Docentes da UEPG e da Unioeste, dos campus de Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Toledo, viajaram para Curitiba para participar de uma manifestação nesta quarta.

http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/03/governo-do-pr-define-data-para-propor-aumento-para-professores.html 

 

Categoria pede reajuste de 31,73%, mas governo diz que não tem como pagar.
Mobilização atinge acadêmicos de cinco instituições do interior do estado.

Professores das universidades estaduais de Londrina (UEL), do Norte do Paraná (UENP), de Ponta Grossa (UEPG), do Oeste do Paraná (Unioeste) e da Faculdade Estadual de Ciências Econômicas de Apucarana (FECEA) fazem uma paralisação das atividades nesta quarta-feira (7). A mobilização foi decidida em assembleia do Sindicato dos Professores do Ensino Superior Público Estadual de Londrina e Região (Sindiprol/Aduel).

O objetivo da mobilização dos professores é fazer com que o governo do estado encaminhe à Assembleia Legislativa um projeto de lei para reajustar os salários da categoria. De acordo com o sindicato, as secretarias de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a de Administração prometeram enviar uma proposta que concederia 31,73% de reajuste aos professores, em novembro de 2011. Os docentes pedem também a equiparação salarial com os técnicos. Um professor em início de carreira ganha R$ 1.800,00, já um técnico tem salário inicial de R$ 2.300,00.

Porém, em 3 de fevereiro, o secretário de Ciência, Tenologia e Ensino Superior teria dito que cancelaria o processo do reajuste, pois o governo não teria como arcar com os custos.

Em Londrina, os acessos à UEL foram bloqueados com pneus na manhã desta quarta, para impedir a chegada dos estudantes. Já em Maringá, os professores devem se reunir no auditório da UEM com a reitoria, para discutir o posicionamento do governo quanto a reivindicação de aumento salarial e o indicativo de greve.

Docentes da UEPG e da Unioeste, dos campus de Cascavel, Foz do Iguaçu, Francisco Beltrão, Marechal Cândido Rondon e Toledo, viajaram para Curitiba para participar de uma manifestação ainda nesta quarta.

  http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/03/professores-de-universidades-estaduais-do-pr-fazem-paralisacao.html

 

Pesquisadores da UEM e Cesumar encontraram espécies raras na região.
Plantio de árvores é positivo para atrair mais espécies, diz bióloga.

Pesquisadores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) e do Centro Universitário de Maringá (Cesumar) já catalogaram mais de 100 espécies diferentes de pássaros em áreas urbanas da cidade, que fica no norte do Paraná. A maior parte dos pássaros encontrados estava nos campi das duas instituições. O objetivo da pesquisa é identificar as espécies que melhor se adaptaram às mudanças climáticas.

Para os biólogos foi uma surpresa encontrar tantas espécies em uma área urbana. Mas nos campi das universidades, as aves podem encontrar comida e água com certa facilidade. Isso fez com que algumas espécies fossem encontradas pela primeira vez na região. Dentre essas espécies estão os periquitos e o beija-flor tesourão.

Outro pássaro, conhecido como choca-barrada, também não costuma ser encontrado na cidade. Essa ave chama a atenção pela grande diferença na plumagem do macho e da fêmea. Alguns desses animais, inclusive, já montam ninhos nas árvores das universidades.

Para a bióloga Evanilde Benedito, o plantio de árvores tem sido positivo não só para atrair os pássaros. “[O plantio de árvores] fornece um serviço ambiental”, afirma ela ao lembrar, ainda que essas aves são também polinizadoras.

http://g1.globo.com/parana/noticia/2012/03/biologos-acham-mais-de-100-tipos-de-passaros-em-area-urbana-em-maringa.html 

Mais Artigos...