Sidebar

23
Qui, Mai

Apuração dos votos do primeiro turno foi encerrada nesta quarta-feira (22), e nova votação foi marcada para 4 de setembro.

A Universidade Estadual de Maringá (UEM), no norte do Paraná, terá segundo turno na eleição para escolha do reitor. A apuração dos votos do primeiro turno foi encerrada no início da tarde desta quarta-feira (22).

A nova votação, marcada para 4 de setembro, será disputada entre a Chapa 2, de Roberto Nakamura Cuman, e a Chapa 3, de Júlio Damasceno.

Dos 26 mil alunos, professores e técnicos com direito a voto, 9.255 foram às urnas na terça-feira (21). Desse total, foram 6.065 votos de estudantes, 1.847 de técnicos e 1.343 de professores.

Veja abaixo o resultado da votação:

Chapa 2 - 4.284 votos (Roberto Cuman e Leandro Vanalli)

Chapa 3 - 3.741 votos (Julio Damasceno e Ricardo Silva)

Chapa 1 - 1.136 votos (Ana Lucia e Lilian Mai)

Brancos - 22

Nulos - 72

Mais votado no primeiro turno, Roberto Nakamura Cuman é graduado em farmácia pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). Fez mestrado e doutorado em farmacologia na Universidade de São Paulo (USP) e é professor do Departamento de Farmacologia da UEM desde 1987. O vice na chapa é Leandro Vanalli, engenheiro civil e professor do Departamento de Tecnologia do campus regional de Umuarama, desde 2006.

À frente da Chapa 3, Júlio César Damasceno é formado em zootecnia pela UEM, mestre pela UFRGS, e doutor na área de energia na agricultura pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Ingressou na carreira de professor da UEM em 1993. O vice de Damasceno é Ricardo Dias Silva, arquiteto e professor do Departamento de Arquitetura e Urbanismo.

A chapa de Cuman recebeu 2.869 votos de alunos, 911 de técnicos e 504 de professores. Já a chapa de Damasceno recebeu 2.445 votos de estudantes, 649 de professores e 647 de técnicos. Terceira colocada, a Chapa 1, de Ana Lúcia Rodrigues para reitora e Lilian Denise Mai para vice, ficou com 725 votos de universitários, 238 de técnicos e 173 de professores.

Homologação e nomeação

Após o segundo turno, em 10 de setembro, o Conselho Universitário (COU) deverá se reunir para homologar o nome dos vencedores – coisa reitor e vice –, que deverão ser nomeados pelo governo do estado. A posse está marcada para 10 de outubro, com mandato de quatro anos, até outubro de 2022.

UEM terá segundo turno na eleição para escolher reitor (Foto: UEM/ Divulgação)

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2018/08/22/eleicao-para-reitor-da-universidade-estadual-de-maringa-tera-segundo-turno.ghtml

Exposição "As várias formas de genocídio da mulher negra" está na biblioteca da universidade. Imagens de câmeras de segurança são analisadas para descobrir o autor do ato.

Uma foto da vereadora carioca Marielle Franco que faz parte de uma exposição montada na biblioteca da Universidade Estadual de Maringá (UEM), no norte do Paraná, foi rabiscada. A universidade analisa imagens de câmeras de segurança para identificar o responsável pelo vandalismo. Marielle Franco foi assassinada em março deste ano.

A imagem está na exposição "As várias formas de genocídio da mulher negra – Com Homenagem a Marielle Franco", organizada pelo Núcleo de Estudos Interdisciplinares Afro Brasileiros (Neiab) da UEM.

Na foto foi rabiscada a seguinte frase "Lésbica foi um mal exemplo". Para a coordenadora do Neiab, Marivânia Conceição Araújo, essa foi mais uma demonstração de violência contra a população negra.

“Infelizmente é mais uma forma de violência direcionada. Quando a luta contra o preconceito começa a ter mais visibilidade, a população negra começa ter voz, sempre ocorrem reações contrárias. Isso é desagradável, é uma violência contra a mulher negra e contra a condição pessoal da ex-vereadora”, diz a coordenadora.

Após analisar as imagens de câmeras de segurança e identificar o responsável pelo vandalismo, a coordenadora do Neiab afirma que a universidade pode punir o autor se ele for aluno, professor ou servidor da instituição.

“Se for identificado que a pessoa não faz parte da instituição, há a possibilidade de entrar com uma ação judicial proibindo o acesso à biblioteca”, explicou Marivânia.

Além dessa foto rabiscada, a exposição conta com mais duas fotos de Mariele Franco. A exposição foi montada no dia 23 de julho na biblioteca da UEM e segue até 30 de julho.

A exposição traz fotos de 21 mulheres negras que foram assassinadas nos últimos anos. Entre elas está uma foto de Vilma Yá Mukumby, que foi líder do movimento negro de Londrina, mas foi assassinada em 2013.

Investigação sobre a morte da vereadora

Há quatro meses as investigações sobre as mortes de Marielle Franco e do motorista Anderson Gomes estão sob sigilo. Na terça-feira (24), a Polícia Civil comunicou a prisão de dois suspeitos de envolvimento na morte da vereadora, um ex-policial militar e um ex-bombeiro.

Foto de Marielle Franco que faz parte de exposição na UEM foi vandalizada (Foto: Neiab/Divulgação)

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2018/07/26/foto-de-marielle-franco-e-rabiscada-em-exposicao-na-universidade-estadual-de-maringa.ghtml

Candidatos têm prazo de 24 horas para entrar com recurso contra questões das provas. Processo seletivo oferta 1.492 vagas em 70 cursos de graduação.

 

UEM divulga gabarito do Vestibular de Inverno 2018 (Foto: UEM/Divulgação)

Universidade Estadual de Maringá (UEM), no norte do Paraná, divulgou pouco antes das 15h desta quinta-feira (26) o gabarito provisório do Vestibular de Inverno 2018.

Clique aqui para acessar o gabarito provisório do Vestibular de Inverno da UEM.

A partir da divulgação do gabarito provisório, os candidatos têm um prazo de 24 horas, até as 15h desta sexta-feira (27), para entrar com recurso contra questões das provas.

Para isso, é preciso preencher um formulário disponível no site da universidade e entregá-lo no Protocolo Geral da UEM, Bloco A-01, que tem expediente das 7h40 às 11h e das 13h30 às 16h30.

Cada formulário deve se referir a apenas uma questão, e o pedido deve ser fundamentado com precisão “lógica e consistente”, segundo o edital do vestibular.

Após análise dos recursos, será publicado o gabarito definitivo.

As notas individuais da prova e da redação devem ser disponibilizadas no Menu do Candidato, na página da universidade, a partir das 15h do dia 20 de agosto.

O Vestibular de Inverno 2018

Mais de 13,7 mil candidatos fizeram as provas do Vestibular de Inverno 2018 da UEM, que foram aplicadas entre os dias 22 e 24 de julho. Eles concorrem a 1.492 vagas em 70 cursos de graduação.

A lista de aprovados no vestibular será divulgada em 30 de agosto, a partir das 10h, exclusivamente no site da universidade.

Datas e procedimentos para realização da matrícula serão informados página da Diretoria de Assuntos Acadêmicos da UEM, a partir da data de divulgação do resultado final do vestibular.

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2018/07/26/uem-divulga-gabarito-do-vestibular-de-inverno-2018-veja-respostas.ghtml

Relatório foi divulgado nesta quarta-feira (25) pelo Tribunal. Algumas instituições se anteciparam e já iniciaram mudanças

TCE encontra irregularidades na gestão de universidades estaduais

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) fez 25 recomendações para as universidades estaduais após encontrar irregularidades nas instituições, em 2017, durante a realização de uma auditoria. O relatório foi divulgado nesta quarta-feira (25).

De acordo com o documento, foram identificados pelo menos cinco problemas principais, que impactavam diretamente no orçamento e nos gastos públicos das instituições de ensino superior.

Um deles, foi o excesso de cargos comissionados. Na Universidade Estadual do Oeste do Paraná (Unioeste), por exemplo, foram encontrados dois cargos a mais do que o previsto em lei para a função de direção acadêmica.

Outros problemas apontados foram as irregularidades no pagamento de horas extras e na concessão do Tempo Integral e Dedicação Exclusiva (Tide). O excesso de horas extras foi encontrado na Universidade Estadual de Londrina (UEL), na Universidade Estadual de Maringá (UEM), na Unioeste e na Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG).

Na Universidade Estadual do Centro-Oeste do Paraná (Unicentro), de Guarapuava, foi apontado ainda o pagamento de adicional de titulação que, de acordo com o TCE-PR, não está previsto em lei.

Já os portais da transparência de algumas instituições também não estavam completos. Segundo o relatório do Tribunal, essa prestação de contas era apresentada de forma confusa para a população.

Depois da divulgação o trabalho, o TCE-PR enviou um documento para todas as universidades com as recomendações, para que algumas mudança sejam adotadas.

De acordo com Mauro Munhoz, coordenador-geral de fiscalização do TCE-PR, o objetivo da auditoria era corrigir ilegalidades e irregularidades, e algumas instituições se adiantaram e já deram início a medidas para correções.

“Muitas vezes são problemas muito antigos. O gestor que está no momento não tinha conhecimento que essas pessoas estavam recebendo uma verba ilegal, e ficaram sabendo a partir da atuação do Tribunal. E alguns deles já implementaram, inclusive, medidas corretivas e saneadoras”, pontua.

O que dizem as universidades

A UEPG disse que não há excesso de horas extras na universidade. As horas extras não são permitidas para funções com gratificação, mas que eles precisam de horas extras para manter serviços essenciais.

A UEL informou que já regularizou a maioria das situações apontadas no relatório, mas também disse que precisa das horas extras de funcionários para manter serviços essenciais, como o Hospital Universitário.

A Unicentro informou que o relatório causou surpresa e estranhamento, já que os itens apontados pelo TCE-PR não tinham sido informados durante a auditoria.

A universidade também afirmou, em nota, que os adicionais de titulação pagos pela instituição estão previstos em lei.

Já a UEM informou que o volume de horas extras é motivado pelo déficit de cerca de 700 funcionários. O reitor Mauro Baesso disse que está viajando para Curitiba na noite desta quarta para negociar uma solução para o problema.

A Unioeste não se manifestou até a publicação desta reportagem.

Relatório do TCE-PR aponta irregularidades e faz recomendações para universidades estaduais (Foto: Reprodução/RPC)

https://g1.globo.com/pr/parana/noticia/2018/07/25/apos-encontrar-irregularidades-tce-pr-faz-recomendacoes-a-universidades-estaduais.ghtml

Vestibular de Inverno da Universidade Estadual de Maringá (UEM), no norte do Paraná, terminou nesta terça-feira (24) com abstenção de 13,9% dos candidatos, a maior registrada nos últimos três anos.

Vestibular de Inverno da UEM tem maior abstenção em três anos (Foto: UEM/Divulgação)

Do total de 15.940 inscritos, 2.220 (13,9%) não compareceram em ao menos um dos três dias de provas.

Porcentual de abstenções nos vestibulares de inverno da UEM:

2018 - 13,9%

2017 - 12,5%

2016 - 13,2%

2015 - 21%

Segundo a presidente da Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU) da UEM, Maria Raquel Marçal Natali, o porcentual de faltosos na edição deste ano é considerado dentro da média. Ainda de acordo com Natali, o vestibular foi marcado pela tranquilidade. "Não tivemos nem que fazer correções em questões das provas, o tema da redação também foi muito bem aceito, foi de extrema tranquilidade", diz. O tema da redação deste ano foi a amizade.

Os candidatos deste processo seletivo disputam 1.492 vagas, com Medicina na liderança entre os cursos mais concorridos – com uma média de 336 inscritos por vaga.

Além de Maringá, as provas foram aplicadas em Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Paranavaí e Umuarama.

O gabarito provisório será divulgado nesta quinta-feira (26), às 15h. Já o resultado do vestibular será publicado pela UEM em 30 de agosto.

Lei seca

Junto com vestibular termina também, às 23h59 desta terça-feira, a proibição da venda e consumo de bebidas alcoólicas no entorno do campus da universidade, na Zona 7. A proibição é estabelecida por lei municipal e vale para o quadrilátero formado pelas avenidas Colombo e Morangueira, com as ruas Vitória e Quintino Bocaiúva. A lei seca começou a vigorar às 20h da última sexta-feira (20).

De acordo com o setor de fiscalização da Prefeitura de Maringá, até o fim da tarde desta terça-feira não havia sido registrado nenhum flagrante de desrespeito à proibição do comércio e consumo de bebidas.

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2018/07/24/vestibular-da-uem-termina-com-abstencao-de-139-dos-candidatos-a-maior-em-tres-anos.ghtml

Mais Artigos...