Sidebar

08
Qua, Jul

No estado, dentre as instituições que anunciaram mudanças no calendário de provas estão UEPG, UEM e UFPR.

 

Otávio estuda para conseguir uma vaga no curso de Educação Física da UEPG — Foto: Arquivo pessoal

Com o objetivo de conquistar uma vaga no curso de Educação Física, o estudante Otávio Santi Cavalli diz ter sentido um baque ao saber que o vestibular de inverno da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG), nos Campos Gerais do Paraná, foi cancelado.

A instituição é uma dentre tantas outras pelo Brasil que alteraram a programação de provas por causa da pandemia do novo coronavírus. A UEPG resolveu promover apenas o vestibular de verão neste ano.

 

Candidatos falam em sonhos suspensos e adaptação

 

A prova será o primeiro vestibular de Otávio que vê sinais positivos e negativos na decisão da universidade de cancelar a seleção de inverno.

 

“Já estava nervoso com o vestibular de inverno. Mas dá para ver um lado bom nisso: vou ter mais tempo para estudar, revisar os conteúdos. Ao mesmo tempo fico nervoso por ter mais candidatos concorrendo comigo”, diz ele.

 

Por conta da pandemia, o estudante também precisou criar uma nova rotina de estudos. Ele frequentava um cursinho voluntário de uma paróquia de Ponta Grossa, mas as aulas foram suspensas pela pandemia.

Mesmo sem as aulas presenciais, agora o Otávio foca nos conteúdos que os professores disponibilizam pela internet.

“Apesar dessa mudança e de já ter me adaptado ao estudo online, tem uma diferença grande. A aula presencial é bem melhor. Mas não dá para desistir e eu continuo estudando”, afirmou.

Estudantes estão recorrendo à internet para manter rotina de aprendizados — Foto: Divulgação

Cancelamento das provas

 

Além da UEPG, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) e a Universidade Federal do Paraná (UFPR), anunciaram mudanças nos vestibulares.

 

Prepara RPC: veja dicas para o vestibular da UEPG

 

A UEPG recebeu, em sua edição do vestibular de inverno, 10,8 mil inscrições, que disputaram 786 vagas em 38 cursos de graduação.

Com o cancelamento por causa da pandemia, a UEPG vai ofertar de uma vez 1.453 vagas, em provas que estão programas para os dias 6 e 7 de dezembro, no vestibular de verão.

 

A estudante de Curitiba Ana Clara Andruszewicz, de 18 anos, estava se preparando para vestibulares de medicina em diversas instituições, como a UEPG e a UFPR. Com o cancelamento, ela disse ter se sentido frustrada.

 

"Agora já não sei como vai ser no final do ano. Mas estou tentando tirar uma lição disso, que eles estão adiando por um bem maior, que é a nossa proteção e de todos que vão estar presentes no dia do vestibular", contou.

 

Assim como Otávio, Ana Clara está matriculada em um cursinho que teve aulas suspensas por causa da pandemia. A estudante disse que teve certa dificuldade no começo estudando apenas em casa, mas já conseguiu se adaptar.

 

"Com toda essa situação mudou muito. Estou tendo aula à distância desde o começo, então não perdi matéria. No começo, não estava conseguindo ter muita atenção, mas agora está sendo quase como se fosse no presencial", disse.

Ana Clara vai concorrer a uma vaga de medicina em vestibulares de universidades paranaenses — Foto: Arquivo pessoal

Rendimento

 

Há 13 anos, o grupo de estudos da Paróquia Imaculada Conceição de Ponta Grossa oferece aulas de graça a estudantes que não têm condições de pagar um cursinho particular e querem prestar vestibular da UEPG.

 

O grupo de estudos conta com mais de 80 professores voluntários. No último vestibular da UEPG, 65 alunos do curso foram aprovados.

 

Com a pandemia, as aulas presenciais do grupo precisaram ser suspensas.

Rodrigo Milleo, que é coordenador do projeto, disse que os professores continuam atendendo pelas redes sociais e até em aulas transmitidas ao vivo. No entanto, o aproveitamento não tem sido o mesmo.

 

“A gente sabe que o presencial é muito mais absorvido eles. Parece que muitos não estão se interessando em ter aula à distância. Mas, por enquanto, é a opção que tem. Infelizmente, a participação cai para menos da metade”, afirmou.

 

Rodrigo conta que, todos os anos, o grupo abre duas turmas para preparação. Só no primeiro semestre foram 220 vagas.

Por causa do cancelamento do vestibular, os professores vão ampliar o período de atividades do grupo. A previsão é que as aulas presenciais voltem a partir de agosto, mas com a mesma turma do começo do ano.

 

“Isso mexe, acaba atrapalhando. Nós e os professores temos tudo planejado, e como são voluntários, não sabemos se na volta teremos a mesma estrutura e os mesmos professores”, disse.

UEPG vai ofertar 1,4 mil vagas em uma edição única do vestibular 2020 — Foto: Viviane Mallmann/RPC

 

https://g1.globo.com/pr/campos-gerais-sul/noticia/2020/05/30/com-vestibulares-adiados-jovens-no-parana-se-adaptam-para-manter-estudos-e-tentar-vaga-no-ensino-superior.ghtml

Dinheiro será utilizado para a compra de equipamentos para ala nova do hospital e contratação de profissionais de saúde. 108 leitos serão ativados de forma escalonada.

O governo estadual anunciou um repasse de R$15,3 milhões ao Hospital Universitário de Maringá, no norte do Paraná, nesta sexta-feira (24).

Conforme o anúncio do governo, o valor será destinado para a compra de equipamentos para uma ala nova do hospital que está pronta, porém desativada. Além disso, parte do dinheiro também será destinado à contratação de profissionais de saúde de forma emergencial.

Até quinta-feira (23), segundo a prefeitura, Maringá havia confirmado 61 casos positivos de Covid-19. Destes, quatro estão internados, seis em isolamento social e cinco mortes. Além disso, 46 pessoas se recuperaram.

A nova ala do HU tem capacidade para 108 leitos. O espaço foi construído há alguns anos, mas por falta de dinheiro, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) não conseguiu coloca-lo em funcionamento.

Com a injeção de recursos, devido à pandemia do novo coronavírus, essa ala será destinada a atender pacientes com Covid-19.

De acordo com o governo, R$ 7,5 milhões serão destinados a compra de equipamentos e o restante para contratação e pagamento de salários dos profissionais. Estes trabalhadores trabalharão por um período de seis meses.

A previsão é de que 20 leitos sejam transformados em UTIs e comecem a funcionar em maio. À medida que os equipamentos forem comprados e os profissionais contratados, os 88 leitos restantes de enfermaria serão liberados.

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2020/04/24/coronavirus-governo-estadual-anuncia-repasse-de-r-153-milhoes-para-hospital-universitario-de-maringa.ghtml

Interessados devem entrar em contato com o grupo que faz parte do curso de economia da Universidade Estadual de Maringá.

UEM — Foto: Divulgação/UEM

Para manter o equilíbrio financeiro familiar e a organização do orçamento em função das consequências provocadas pela pandemia da Covid-19, o curso de economia da Universidade Estadual de Maringá (UEM), no norte do Paraná, está oferecendo consultoria gratuita.

O Projeto de Educação Financeira Sustentável vai realizar orientações sobre projeto de vida e noções de investimentos. O objetivo é auxiliar as pessoas de forma individual, atendendo aos cuidados preconizados pela Organização Mundial da Saúde.

Os interessados devem entrar em contato por meio do WhatsApp no número (44) 99923-9965 para realizar o agendamento e atendimento.

Curso a distância

A UEM também está oferecendo um curso a distância sobre como manter a saúde física, emocional e a vida financeira em tempo de quarentena.

O curso de extensão "Sobreviver à Quarentena: Ferramentas para a sua Saúde Física e Mental e Vida Financeira" terá a participação de professores na neurociência, psicologia, esporte, administração e informática.

A atividade será realizada do dia 24 de abril até 27 de maio. Serão realizadas videoaulas e o curso será desenvolvido por módulos.

As inscrições devem ser feitas pela internet até esta quarta-feira (22). Todos os módulos serão ofertados de forma virtual por meio da Plataforma Moodle (software utilizado na educação a distância).

Para receber certificado, o participante deverá assistir ao menos 75% das videoaulas.

Veja o cronograma das aulas.

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2020/04/21/projeto-da-uem-oferece-consultoria-gratuita-sobre-equilibrio-financeiro-familiar.ghtml

Prefeitura anunciou que vai comprar 300 mil máscaras para doar a quem não tem condição de produzir ou comprar. Comércio deve reabrir de forma gradual na semana que vem.

O uso de máscaras de proteção passou a ser obrigatório Maringá, no norte do Paraná. No sábado (18), fará 30 dias do decreto sobre o fechamento do comércio e de regras para distanciamento social no município.

Em Maringá, 51 pessoas foram infectadas pelo novo coronavírus desde o dia 16 de março. Do total de número de casos, 34 se recuperaram e tiveram alta médica. A cidade ainda registra cinco mortes pela doença.

Para quem não tem condições de comprar ou produzir a própria máscara, a prefeitura vai comprar 300 mil itens, por cerca de R$ 800 mil.

 

Uso de máscara passa a ser obrigatório — Foto: Heloise Hamada/G1

Contratação de testes

Além de determinar o uso de máscaras, a prefeitura anunciou a contratação de realização de 5 mil testes, sendo mil junto à Universidade Estadual de Maringá (UEM) e 4 mil na rede privada.

O município também pretende contratar 100 leitos da rede hoteleira para destinar a profissionais de saúde e pacientes com suspeita da doença.

A Prefeitura de Maringá ainda não definiu como será a reabertura do comércio. Adiantou que a retomada será em duas partes, na segunda-feira (20) e quarta-feira (22), em horário diferente da indústria. Os detalhes ainda estão sendo definidos.

Feiras

É estudada a retomada das feiras livres com menos barracas, em círculos, sem consumo no local. Feiras em locais onde há elevada concentração de casos da doença, como a da Avenida Mauá, não vão ocorrer.

Rodoviária e aeroporto

Rodoviária não tem data para ser reaberta. Aeroporto segue aberto.

Aulas

Prefeitura vai seguir o que determinar o governo estadual, portanto ainda não há data definida para retorno das atividades escolares.

Exercícios

Academias não serão reabertas na próxima semana. O prefeito Ulisses Maia disse que ninguém é proibido de sair caminhar sozinho, mas, reforçou que essas pessoas devem usar máscara.

Aglomerações em espaços públicos, como grupos que se exercitam na praça da Catedral, seguem vetadas. Trabalho individualizado com personal está autorizado.

Pesquisas

A Prefeitura de Maringá assinou um termo de cooperação com a Universidade Estadual de Maringá (UEM), Unicesumar e com a Uningá para realização de uma pesquisa que reforçará o banco de dados sobre a Covid-19 na região.

A intenção é mapear a velocidade de expansão do vírus e seu potencial de disseminação na cidade e em Sarandi e Paiçandu. O estudo também pretende quantificar o percentual de infectados assintomáticos.

Dados

O município apresentou vários dados sobre o desenvolvimento da doença do início de março até agora.

Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, a transmissão do vírus em Maringá ocorreu por moradores que visitaram países da Europa, os Estados Unidos, Oriente Médio e alguns estados do país.

Das 51 confirmações, 59% são homens e 41% mulheres. Do total, 37% dos doentes apresentaram alguma comorbidade e 63% não apresentava nenhuma doença pré-existente.

A maioria, 71%, tem entre 14 e 59 anos. Idosos de 60 anos ou mais representaram 27% dos pacientes com o vírus. Apenas 2% são jovens ou crianças.

Casos confirmados de Covid-19 com comorbidades

Da quantidade de leitos de UTI adulto disponíveis no sistema, 53,74% estavam ocupados com pacientes até 13 de abril.

Veja mais notícias da região no G1 Norte e Noroeste.

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2020/04/17/coronavirus-uso-de-mascaras-passa-a-ser-obrigatorio-em-maringa.ghtml

Decisão foi assinada pelo reitor e anunciada nesta terça-feira (31). Inscrições começariam na próxima segunda-feira (6), e provas seriam realizadas em julho.

Vestibular de Inverno da UEM está suspenso — Foto: Divulgação/UEM

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) suspendeu a realização do Vestibular de Inverno 2020.

A decisão, assinada pelo reitor Julio César Damasceno, foi anunciada nesta terça-feira (31). De acordo com a UEM, a medida foi tomada por causa da pandemia de coronavírus.

As inscrições para o vestibular estavam previstas para iniciar na próxima segunda-feira (06). As provas ocorreriam nos dias 12 e 13 de julho, de acordo com o calendário acadêmico da universidade.

As novas datas para inscrições e provas não foram definidas pela Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU).

Aulas suspensas

Também por causa do coronavírus, a UEM está com as atividades suspensas desde o dia 16 de março. Como as aulas dos cursos de graduação deste ano começariam no dia 4 de abril, apenas os estudantes de pós-graduação foram atingidos inicialmente pela medida.

A universidade também suspendeu todo e qualquer tipo de evento com reunião de pessoas. Um comitê de crise foi criado para avaliar diariamente como a doença está evoluindo.

https://g1.globo.com/pr/norte-noroeste/noticia/2020/03/31/universidade-estadual-de-maringa-suspende-vestibular-de-inverno-de-2020-por-causa-do-coronavirus.ghtml

Mais Artigos...