Folha de Maringá
Tools

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP) da UEM (Universidade Estadual de Mariná) aprovou a resolução n° 014/2012, que prevê a inclusão do nome social nos documentos para uso interno na instituição. A medida favorece transexuais e travestis, que agora, se desejarem, serão referidos pelo nome que utilizam habitualmente.

A resolução partiu de uma proposta do Grupo de Estudos das Pedagogias do Corpo e da Sexualidade (Gepecos) e do Núcleo de Estudos e Pesquisa em Diversidade Sexual (Nudisex) da UEM.

De acordo com a professora Patrícia Lessa, do Departamento de Fundamentos da Educação (DFE) da UEM e coordenadora do Gepecos, a medida visa diminuir a discriminação e ampliar o número de transexuais e travestis na Universidade.

“A luta agora é que se respeite o nome social em todas as instituições municipais, ampliando a participação de pessoas trans em todos os espaços”, disse Luiz Modesto, representante local da ABGLT (Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais).

No momento, uma comissão está sendo formada para elaborar um regulamento próprio, no qual se defina os procedimentos necessários para a aplicação da medida.

http://www.maringay.com.br/uem-aprova-resolucao-que-assegura-uso-de-nome-social/