Sidebar

22
Seg, Abr

O forno de pizza foi feito em uma ocina, na praça de convivência construída por alunos de Arquitetura e Urbanismo. Foto: ASC UEM

Os espaços de convivência ajudam nas trocas de experiências e no estabelecimento de relações. Foi com este objetivo que alunos do curso Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá (UEM) construíram uma praça, com direito a um forno de pizza, em sua semana acadêmica de 2017.

"Antes disso, o curso não tinha nenhum espaço físico para os alunos se encontrarem”, explica Heloisa Cizeski, que fazia parte do Centro Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo (Caau) na época.

A praça foi feita entre os blocos 9 e 32 da universidade e surgiu a partir de uma vontade antiga dos acadêmicos do curso: construir um forno de pizza.

Heloisa diz que o forno acabou deixando de ser o foco quando começaram a montar o projeto.

“Pensamos em onde iríamos acomodar as pessoas e o espaço acabou sendo o mais importante”, ressalta.

Ela relata que a construção da praça teve apoio de professores do departamento de Arquitetura e Urbanismo e também da Prefeitura do Câmpus – que auxiliou os alunos com mão de obra e o maquinário necessário

O forno de pizza foi feito em uma oficina de permacultura, um tipo de bioconstrução. Heloisa afirma que ele foi utilizado durante algumas rodas de conversa, que ocorreram na praça, mas que após alguns problemas – por ser um projeto experimental – teve que ser desmontado.

A atual gestão do Caau informou à reportagem que o forno (com perdão do trocadilho) "não vai acabar em pizza". A intenção é que ele seja reconstruído antes das aulas da universidade voltarem.

Segundo a presidente da gestão 2018/2019 do centro acadêmico, Heloisa Lança, o projeto está a cargo do Soma, que é o Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da UEM

Outros espaços

Outro fator que Heloisa Cizeski destaca é a iniciativa dos alunos para realizar intervenções físicas permanentes no campus, além da troca de conhecimentos entre alunos e com funcionários da UEM.

Ela explica que depois da realização deste projeto já surgiram outras iniciativas, em cursos como Ciências Econômicas e Engenharia Civil.

O Centro Acadêmico de Economia da UEM (Caeco) deve começar a construir uma praça de convivência para os estudantes do curso no início do ano letivo. O Soma também está responsável por este projeto.

”Acreditamos que esse espaço é fundamental para tornar nossa convivência com a universidade e colegas mais agradável, ocupar mais o campus e aproveitar tudo que ele promove”, diz Laura Denise

Melo, presidente do Caeco.

João Mistrello, presidente do Centro Acadêmico de Engenharia Civil da UEM, relata que a ideia do curso de construir uma praça de convivência surgiu ainda em 2013. A intenção, segundo o acadêmico, é de ocupar o campus, para torná-lo mais “vivo” e seguro.

O espaço, que deve ter sua obra iniciada no começo do ano letivo, ficará localizado entre o bloco de Engenharia Civil e a sede do centro acadêmico do curso.

Além disso, no ano passado, o Diretório Central dos Estudantes também revitalizou a praça em frente à sua sede na UEM, para torná-la um espaço de convivência.

Tradição do forno

Ter um forno de pizza é uma tradição entre os cursos de arquitetura. A atual presidente do Caau diz que é isto uma referência aos tempos passados, “quando as pessoas se reuniam para conversar ao redor do fogo”.

Na Universidade Estadual de Londrina (UEL), um forno foi construído próximo ao Centro Acadêmico de Arquitetura e Urbanismo (Cacau), com ajuda do professor Victor Lotufo, na semana acadêmica de 2004. Este forno estava se desmanchado, então, o Ocas, Escritório Modelo de Arquitetura e Urbanismo da UEL, promoveu uma oficina para a construção de um novo.

Segundo o Cacau, as “pizzadas” fazem parte de uma tradição e simbolizam os momentos de integração do curso. Apesar disto, o forno da UEL não é mais utilizado desde 2017, por causa da proximidade com Hospital Veterinário da universidade.

O forno de pizza da UEL também foi feito por alunos de Arquitetura e Urbanismo. Foto: Reprodução/Facebook

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/voce-sabia-que-uem-tinha-um-forno-de-pizza

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) será multada por conta das árvores que foram cortadas dentro do câmpus sem autorização. A informação é da Secretaria Municipal de Meio Ambiente (Sema). A multa será de R$ 1 mil a R$ 10 mil por cada árvore, sendo que o valor varia conforme a espécie.

A assessora do Comitê Gestor Ambiental da UEM, Elenice Tavares, disse que foi constatado o corte de dez árvores dentro do câmpus, mas que isso ocorreu sem a autorização da Prefeitura do Câmpus (PCU). “Não sabemos quem foi. Fizemos o levantamento que mostrou que dez árvores foram cortadas perto do blogo G-56. Estamos abrindo uma comissão de inquérito administrativo para apurar a responsabilidade”, diz Elenice.

Segundo a Sema, o levantamento ainda está sendo realizado, mas já se sabe que foram mais de dez árvores cortadas sem autorização da pasta. Entre as árvores cortadas está um pau-brasil, espécie que consta na lista do Ministério do Meio Ambiente como ameaçada de extinção.

Em entrevista ao portal GMC Online, o gerente de Fiscalização Ambiental da Sema, Erival Adorno, disse que é no mínimo estranho terem ocorrido cortes de árvores dentro da instituição e ninguém ter ficado sabendo.

Na internet, um abaixo-assinado foi publicado denunciando os cortes irregulares. Para a UEM, a denúncia chegou na última segunda-feira (28) por meio de uma professora.

A assessora do Comitê Gestor Ambiental da UEM informou que será realizado o replantio das mesmas espécies o mais breve possível.

Foto: Divulgação UEM

http://www.gmconline.com.br/noticias/cidade/uem-vai-ser-multada-por-corte-irregular-de-arvores-dentro-do-campus

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) divulgou, às 10h desta quarta-feira (30), a lista de candidatos aprovados no Vestibular de Verão e na terceira etapa do Processo de Avaliação Seriada (PAS), ambos de 2018

As provas da mais recente edição do vestibular da UEM foram realizadas entre os dias 9 e 11 de dezembro. Segundo a Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU), 12.772 candidatos inscritos concorrem a 1.518 vagas.

Os aprovados devem efetivar a matrícula pela internet, entre os dias 31 de janeiro e 1º de fevereiro. O prazo é o mesmo para os estudantes que foram aprovados no Vestibular de Inverno 2018. O ano letivo terá início no dia 7 de março.

Mais informações com a CVU pelo telefone (44) 3011-4450.

A rádio Mix FM Maringá realizou uma ação com aprovados do Integral Curso e Colégio. A equipe da rádio levou cabelereiras para realizarem um corte no cabelo dos alunos que passaram no vestibular

http://www.gmconline.com.br/noticias/cidade/uem-divulga-resultado-do-vestibular-de-verao-veja-a-lista

Bolsas de estudo de até 70% também são ofertadas em instituições privadas da região

A Universidade Estadual de Maringá divulgou nesta quarta-feira (30) o resultado do Vestibular de Verão UEM 2018. Fora 1.518 vagas ofertadas no processo seletivo, em 60 graduações diferentes. Mais de 10,6 mil pessoas se inscreveram e realizaram as provas aplicadas em dezembro do último ano.

Confira a lista de aprovados UEM 2018 Segundo o relatório divulgado pela universidade, o curso mais concorrido foi de Medicina, com 159,2 candidatos por vaga na ampla concorrência e 113,3 candidatos por vaga entre os cotistas. Em seguida, aparecem a Licenciatura em Educação Física (30,5, entre cotas) e Arquitetura e Urbanismo (29,7, ampla concorrência). Todos ofertados em Maringá.

Matrícula UEM 2019

Os selecionados na primeira chamada farão a matrícula a partir de amanhã (31). O resultado da segunda chamada deve ser divulgado em 11 de fevereiro e as aulas estão previstas para 07 de março.

Bolsa de estudo no Paraná

Estudantes residentes em Maringá e em outros municípios do Paraná podem também contar com as bolsas de estudo do Educa Mais Brasil para dar início à graduação em 2019. São mais de 400 mil oportunidades para o ensino superior, que incluem também as pós-graduações. Confira as oportunidades disponíveis em www.educamaisbrasil.com.br.

https://www.educamaisbrasil.com.br/educacao/noticias/uem-publica-resultado-do-vestibular-2018-confira-a-lista-de-aprovados

Foto: ASC UEM

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi classificada entre as 351 melhores universidades de acordo com o Emerging Economies University Ranking da revista inglesa Times Higher Education. O resultado foi divulgado nesta terça-feira (15) e apresenta 442 universidades de 43 países.

O ranking inclui apenas instituições em países classificados pela FTSE como “emergentes avançados”, “emergentes secundários” ou “de fronteira”. O Brasil é o país latino-americano mais representado e o terceiro na tabela geral, com 36 instituições.

São utilizados os mesmos 13 indicadores de desempenho do THE World University Rankings para julgar instituições sobre seu ensino, pesquisa, transferência de conhecimento e perspectivas internacionais, porém com foco nas prioridades de desenvolvimento das economias emergentes.

A China continua sendo a nação mais representada na listagem de 2019, com 72 instituições, acima das 63 do ano passado. A Índia é o segundo país mais representado, com 49 instituições incluídas, acima das 42 de 2018.

O desempenho da Rússia é misto, com 35 instituições incluídas, acima das 27 do ano passado. A África do Sul, membro final do grupo dos BRICS, tem nove instituições, contra oito no ano passado, e mantém sete entre as 200 primeiras.

Em outros lugares, as nações emergentes na Europa geralmente diminuíram, enquanto vários países no Oriente Médio e Norte da África e regiões do Sudeste Asiático avançaram.

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/uem-esta-entre-as-principais-universidades-das-economias-emergentes

Mais Artigos...