Sidebar

22
Seg, Abr

Inicia nesta segunda-feira (8) o período de inscrições para o vestibular de inverno 2019 da UEM (Universidade Estadual de Maringá). As inscrições são realizadas exclusivamente pela internet até o dia 8 de maio. A taxa este ano é de R$ 156, e pode ser paga até o dia 10 de maio. 

Estão sendo ofertadas 1494 vagas, com 288 reservadas para cotistas. A prova é realizada nos dias 14 e 15 de junho.

Para que o processo de inscrição seja efetivado, é necessário seguir alguns passos que envolvem preencher a ficha de inscrição, responder ao questionário socioeducacional, imprimir a ficha de compensação e efetuar o pagamento.

O não pagamento da taxa, o pagamento parcial ou o pagamento após o prazo implica o cancelamento da inscrição. Os editais das inscrições homologadas e não homologadas serão publicados no dia 24 de maio. 

Para fazer sua inscrição, acesse CVU (Comissão do Vestibular Unificado) e leias as instruções (http://www.cvu.uem.br/)

https://www.bonde.com.br/educacao/vestibular/uem-esta-com-inscricoes-abertas-para-vestibular-de-inverno-2019-494136.html

Foto: Divulgação

As sete universidades estaduais se fizeram presentes nas duas agendas articuladas pelo deputado do PSD, no Palácio Iguaçu e na Assembleia Legislativa.

Na condição de Líder do Governo e Presidente da Comissão de Educação da Assembleia Legislativa, o deputado Hussein Bakri (PSD) deu os primeiros passos na construção de uma ponte entre as sete universidades estaduais e os poderes Executivo e Legislativo do Paraná. Chamado de “embaixador das universidades” pelos próprios reitores, o parlamentar destacou o novo momento dessa relação, que será calcado no diálogo permanente sob o comando do Governador Ratinho Junior (PSD).

“O passado de enfrentamento e desgaste das universidades com o Governo e a Assembleia ficou para trás. Há um desejo enorme da nossa parte em dialogar e, aproveitando esse novo ambiente, colocar a expertise do ensino superior a serviço do desenvolvimento do estado e dos municípios”, destacou Hussein Bakri.

A agenda articulada pelo deputado do PSD começou no Palácio Iguaçu, numa reunião entre o Governador, os reitores e o Superintendente Estadual de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Nelson Bona. No encontro, Ratinho elogiou a iniciativa do Líder do Governo e se comprometeu a repetir essas discussões periodicamente, para que todos “pensem o Paraná juntos”.

Aos professores, o Governador explicou que o redesenho do organograma do Estado – que transformou a Secretaria da área em Superintendência – pretende dar mais eficiência e agilidade às ações das universidades. A ideia, segundo Ratinho, é que o ensino superior estadual dê apoio a todas as demais secretarias, ao estar diretamente vinculado à Governadoria e à Casa Civil.

“Nossa rede de universidades foi muito pouco demandada pelo Governo do Estado nos últimos anos e isso precisa mudar. Nosso ensino superior tem know how e professores qualificados, e pode contribuir muito para o desenvolvimento regional do Paraná”, ressaltou Ratinho.

Demandas

Na sequência, os reitores estiveram na Assembleia, onde puderam estreitar a relação com os deputados e apresentar uma série de demandas que julgam fundamentais para o dia a dia das universidades. Presidente da Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público e reitora da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), a professora Fátima Aparecida da Cruz Padoan agradeceu os encontros promovidos por Hussein Bakri, a quem classificou como um homem ágil e de palavra.

Como havia dito ao Governador, a professora externou aos deputados que as sete universidades estaduais estão imbuídas do espírito de cooperar com o poder público pelo desenvolvimento do Paraná. Na reunião, ela elencou algumas preocupações, como a definição de um marco regulatório que facilite a relação das instituições com a iniciativa privada, de forma a permitir que o conhecimento se transforme em inovação e chegue ao mercado; a autonomia financeira das universidades; e a reposição de professores e funcionários aposentados.

Também estiveram nas duas reuniões os reitores Sérgio Carlos de Carvalho, da Universidade Estadual de Londrina (UEL); Júlio Cesar Damasceno, da Universidade Estadual de Maringá (UEM); Miguel Sanches Neto, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG); Antonio Carlos Aleixo, da Universidade Estadual do Paraná (Unespar); Osmar Ambrósio de Souza, da Universidade Estadual do Centro-Oeste (Unicentro); e Paulo Sergio Wolff, da Universidade Estadual do Oeste (Unioeste).

Informações da Assessoria de Imprensa.

https://d.arede.info/cotidiano/254830/bakri-leva-demanda-de-reitores-ao-governo-e-deputados

O Paraná conta com uma rede de sete instituições estaduais de ensino superior, em todas as suas regiões...

Um encontro, na manhã desta quarta-feira (3), entre os sete reitores das universidades estaduais e os deputados paranaenses, marcou a disposição da Assembleia Legislativa do Paraná (ALEP) em promover o debate pela ciência, tecnologia e inovação do Paraná. Proposta pelo líder do Governo, deputado Hussein Bakri (PSD), a troca de experiências e colaborações contou com as presenças do presidente do Legislativo, deputado Ademar Traiano (PSDB) e do primeiro secretário, deputado Luiz Claudio Romanelli (PSB).

“O Poder Legislativo sempre tem como função ser o mediador dos problemas que possam surgir nas estruturas do Estado. Por isso é importante o diálogo e harmonia que está se construindo em encontros como este”, afirmou Traiano. Os reitores foram recebidos, ainda pela manhã, pelo governador Carlos Massa Ratinho Junior (PSD), no Palácio Iguaçu, em Curitiba. Para Romanelli, a aproximação é fundamental, sendo estendida ao Legislativo, “por onde passam todos os projetos relativos às universidades. Este canal é institucional e, ao mesmo tempo, qualifica o debate do Parlamento com a rede de ensino superior público”.

Participaram do encontro os deputados: Alexandre Amaro (PRB), Arilson Chiorato (PT); Coronel Lee (PSL); Emerson Bacil (PSL); Evandro Araújo (PSC); Goura (PDT); Soldado Fruet (PROS); Nelson Luersen (PDT); Marcio Pacheco (PDT); e Tercilio Turini (PPS). Representando o Governo do Estado, o superintendente para Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona.

Compareceram os reitores Fátima Aparecida da Cruz Padoan, da Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP); Sérgio Carlos de Carvalho, da Universidade Estadual de Londrina (UEL); Júlio Cesar Damasceno, da Universidade Estadual de Maringá (UEM); Miguel Sanches Neto, da Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG); Antonio Carlos Aleixo, da Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR); Osmar Ambrósio de Souza, na Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO); e Paulo Sergio Wolff, da Universidade Estadual do Oeste (UNIOESTE).

Diálogo – O Paraná conta com uma rede de sete instituições estaduais de ensino superior, em todas as suas regiões, atendendo cerca de 100 mil alunos. São 377 cursos graduação, 304 de especialização, 187 mestrados e 83 doutorados. Atuam no sistema 7.685 docentes, além dos 8.847 agentes universitários. De acordo com Hussein Bakri, esta estrutura necessita de atenção constante. “O Governo do estado investe muito em ensino superior, mas ainda há muito que se discutir sobre o uso de suas expertises. Hoje foi apenas o começo de um novo tempo neste debate entre as universidades, o Governo do estado e a Assembleia”, falou.

Segundo Emerson Bacil, presidente da Comissão de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior da Assembleia, audiências públicas com pautas específicas das demandas de cada região serão realizadas em todo Paraná com a participação de cada uma das sete universidades. “Precisamos de diretrizes, alinhar situações que ainda não foram debatidas”, explicou.

De acordo com o superintendente para Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, “busca-se construir uma nova relação das universidades com o Poder Legislativo, valorizando o potencial delas na execução de políticas públicas em todo o estado”, afirmou, destacando a participação dos 32 campi presenciais em municípios paranaenses, mais os polos de educação a distância e projetos financiados.

Para a reitora da UENP, Fátima Aparecida da Cruz Padoan, que preside a Associação Paranaense das Instituições de Ensino Superior Público (APIESP), é preciso manter esforços pelo trabalho em rede da estrutura universitária. “Juntas, as universidades poderão contribuir para o planejamento do Governo do estado, focado na inovação tecnológica. As universidades entendem que devem estar à frente deste processo, por isso queremos demonstrar nossos potenciais também aos deputados”, destacou.

https://www.cgn.inf.br/noticia/6553/deputados-querem-aprofundar-dialogo-com-as-universidades-estaduais

 

Guru dos Beatles, Maharishi agora é também venerado em universidade do Paraná

A UEM (Universidade Estadual de Maringá), no Paraná, assinou um convênio de cooperação com a Associação de Meditação Transcendental, que versa sobre um assunto que não possuiu nenhuma evidência científica. 

Trata-se de mais uma “terapia integrativa”, que as universidades deveriam, no mínimo, questionar, e não promover.

A “meditação transcendental” foi inventada por Maharishi Mahesh Yogi (1918-2008) [foto], que é mais conhecido como o “guru dos Beatles”.

A pregação guru se tornou um negócio que movimenta milhões de dólares por ano em todo o mundo.

O início do convênio Maharishi-UEM foi marcado no dia 2 de abril de 2019 por uma palestra do ex-jogador do Barcelona Rubén Sánchez Yepes.

Ele falou em auditório da universidade sobre a aplicação da meditação transcendental nos esportes.

Apresentado como bacharel em “ciência védica de Masharishi” “coach de alto rendimento” e "coaching holístico", Yepes defendeu a promoção do “esporte baseado na consciência”.

Afirmou coisas como “a meditação transcendental é uma técnica de aceleração do máximo rendimento, que mora em cada um de nós, com integração entre físico, mental, emocional e transcendental”.

Yepes tem uma empresa de palestra que se chama Al200%.

Depois de terem se alastrado no SUS, as “terapias integrativas” começam a avançar nas universidades, com a conivência dos professores, como se vê em Maringá.

Da esquerda para direita, o coaching holístico Rubén Yepes, professor Celson Conegero, Maria Bernadete de Cerna (presidente da Associação Internacional de Meditação), Júlio Damasceno (reitor da UEM) e o instrutor Gustavo Cerna. Todos a serviço da pseudociência

Com informação da UEM, Maharishi University, Al200% e outras fontes e fotos de divulgação.

https://www.paulopes.com.br/2019/04/maringa-pseudociencia.html#.XKXxejhKjZ5

 

 

Este será o primeiro concurso que a UEM realiza depois das mudanças aprovadas no início deste ano

O Vestibular de Inverno da UEM (Universidade Estadual de Maringá) será realizado em julho, nos dias 14 e 15, mas as inscrições serão abertas já na próxima segunda-feira, dia 8. Será o primeiro concurso que a Universidade realiza depois das mudanças aprovadas no início deste ano.

O que mudou? Inicialmente a UEM optou por aplicar as provas em dois dias e não três como fazia antes. Outra alteração é que o concurso será realizado no período da tarde, das 13h50 às 19h. O candidato terá um tempo máximo de cinco horas para resolver as questões.

A presidente da CVU, Maria Raquel Natali, explica que na prova de redação será exigido apenas um gênero textual. E adianta uma novidade para este concurso. "Além das cidades que a UEM já realiza o vestibular, estaremos presentes ainda em Cascavel e Curitiba, totalizando dez municípios fora de Maringá", anuncia Maria Raquel. As provas serão realizadas também em Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Paranavaí e Umuarama.

Pedidos de isenção

As inscrições devem ser feitas pela internet, no site: http://www.cvu.uem.br/, e o prazo se estende até 8 de maio. Para este concurso a UEM oferece um total de 1.494 vagas, em cerca de 70 cursos de graduação. Lembrando que a Universidade reserva 20% das vagas pelo sistema de cotas sociais, para estudantes de baixa renda.

A taxa de inscrição, no valor de R$ 156,00, pode ser paga até o dia 10 de maio. Os pedidos de isenção da taxa serão aceitos de 8 a 16 de abril. Para solicitar o beneficio é necessário estar regularmente cadastrado no CadÚnico para Programas Sociais do Governo Federal. Os pedidos devem ser feitos pela internet.

O resultado do Vestibular de Inverno 2019 será publicado no dia 16 de agosto. Para outras informações consulte o Manual do Candidato do Vestibular de Inverno UEM 2019.

https://www.diariodoscampos.com.br/noticia/hussein-bakri-se-reune-com-reitores-e-leva-demandas-ao-governador

Mais Artigos...