Sidebar

25
Seg, Mai

Blogs e outros sites
Tools

Acompanhe a situação real de cada estado brasileiro – suspensão das aulas por causa do agravamento do coronavírus (covid-19) no Brasil.

No dia 13 de março, o Portal Nacional da Educação (PNE) recomendou a suspensão das aulas nas escolas e universidades do País – para frear a propagação do coronavírus e cuidar do bem-estar dos docentes e alunos. E, consecutivamente, sugeriu um plano de contingência (nível nacional) – proposta foi enviada para as autoridades municipais, estaduais e federal.

Nordeste

Alagoas (AL): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal de Alagoas (UFAL) suspendeu o calendário por tempo indeterminado, a Universidade Est. de Ciências da Saúde de Alagoas (UNCISAL) suspendeu as aulas até o dia 07 de abril, a Instituto Federal de Alagoas (IFAL) suspendeu as aulas até o dia 14 de abril e a Universidade Estadual de Alagoas (UNEAL) ainda não soltou uma nota oficial sobre a suspensão das aulas na universidade.

Bahia (BA): suspenso até o dia 16 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS), Universidade Federal do Oeste da Bahia (UFOB), Universidade Federal do Sul da Bahia (UFSB), Universidade Federal da Bahia (UFBA), Instituto Federal Baiano (IF Baiano), Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia (UESB) e o Instituto Federal da Bahia (IFBA) suspenderam o calendário por tempo indeterminado, a Universidade do Estado da Bahia (UNEB),  Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB) e a Universidade Estadual de Santa Cruz (UESC) ainda não soltaram nota oficial. A Universidade Estadual de Feira de Santana (UEFS) suspendeu as aulas até o dia 19 de abril.

Ceará (CE): suspenso até o dia 03 de maio – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas e públicas). 

Maranhão (MA): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Maranhão (UFMA) suspendeu as aulas até o dia 17 de abril, aUniversidade Estadual do Maranhão (UEMA) e o Instituto Federal do Maranhão (IFMA) ainda não soltaram nota oficial sobre a suspensão das aulas e a Universidade E. da R. T. do M. (UEMASUL) suspendeu as aulas até o dia 26.

Paraíba (PB): suspenso até o dia 27 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal da Paraíba (UFPB) suspendeu o calendário por tempo indeterminado, o Instituto Federal da Paraíba (IFPB) suspendeu as aulas até o dia 14 de abril, Universidade Estadual da Paraíba (UEPB) e a Universidade Federal de Campina Grande (UFCG) suspenderam as aulas até o dia 26 de abril.

Pernambuco (PE): suspenso por tempo indeterminado – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas e públicas).

Piaui (PI): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Piauí (UFPI) suspendeu o calendário por tempo indeterminado, a Fundação Universidade Federal do Vale do São Francisco (UNIVASF) ainda não soltou uma nota oficial sobre a suspensão das aulas e a Universidade Estadual do Piauí (UESPI) suspendeu as aulas até o dia 30 de abril.

Rio Grande do Norte (RN): suspenso até o dia 23 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN), Universidade Federal Rural do Semi-Árido (UFERSA) e o Instituto Federal do Rio Grande do Norte (IFRN) suspenderam o calendário por tempo indeterminado, a Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN) ainda não soltou a nota oficial.

Sergipe (SE): suspenso até o dia 17 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas e públicas).

Tocantins (TO): suspenso por tempo indeterminado – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas e públicas).

Centro-Oeste

Distrito Federal (DF): suspenso até o dia 31 de maio – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade de Brasilia (UNB) e o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia de Brasilia (IFB) suspenderam o calendário por tempo indeterminado e a Escola Superior de Ciências da Saúde (ESCS) ainda não soltou nota oficial sobre a suspensão das aulas na instituição de ensino superior.

Goiás (GO): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal de Goiás (UFG), Instituto Federal Goiano, Universidade Federal de Jataí (UFJ) e a Universidade Federal de Catalão (UFCat) suspenderam o calendário por tempo indeterminado, o Instituto Federal de Goiás (IFG) suspendeu até o dia 15 de abril e a Universidade Estadual de Goiás (UEG) suspendeu até o dia 04 de maio.

Mato Grosso (MT): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas e estadual). A Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) suspendeu as aulas até o dia 14 de maio e o Instituto Federal de Mato Grosso (IFMT) ainda não soltou nota.

Mato Grosso do Sul (MS): suspenso até o dia 03 de maio – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Mato Grosso do Sul (UFMS) suspendeu as aulas até o dia 17 de abril, o Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) suspendeu as aulas até o dia 04 de maio, a Universidade Federal da Grande Dourados (UFGD) suspendeu as aulas até o dia 18 de abril e a Universidade Estadual do Mato Grosso do Sul (UEMS) suspendeu até o dia 18 de abril.

Norte

Acre (AC): suspenso até o dia 10 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). O Instituto Federal do Acre (IFAC) e a Universidade Federal do Acre (UFAC) suspenderam as aulas por tempo indeterminado. 

Amazonas (AM): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade do Amazonas (UFAM) suspendeu o calendário por tempo indeterminado, a Universidade do Estado do Amazonas (UEA) e o Instituto Federal do Amazonas (IFAM) ainda não soltaram a nota oficial sobre a suspensão.

Amapá (AP): suspenso até o dia 01 de maio – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Amapá (UNIFAP) e a Universidade Estadual do Amapá (UEAP) suspenderam o calendário por tempo indeterminado, o Instituto Federal do Amapá (IFAP) ainda não divulgou a nota oficial da suspensão das aulas.

Pará (PA): suspenso até o dia 15 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Pará (UFPA) suspendeu as aulas até o dia 12 de abril, o Instituto Federal do Pará (IFPA) e Universidade do Estado do Pará (UEPA) suspenderam as aulas até o dia 15 de abril, a Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA) suspendeu o calendário por tempo indeterminado, a Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA) ainda não soltou a nota.

Rondônia (RO): suspenso até o dia 17 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal de Rondônia (UNIR) ainda não soltou a nota oficial e o Instituto Federal de Rondônia (IFRO) suspendeu as aulas até o dia 13 de abril.

Roraima (RR): suspenso por tempo indeterminado. O Instituto Federal de Roraima (IFRR) suspendeu as aulas até o dia 30 de abril, a Universidade Federal de Roraima (UFRR) suspendeu o calendário por tempo indeterminado e a Universidade Estadual de Roraima (UERR) sem nota.

Sul

Paraná (PR): suspenso por tempo indeterminado- medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). O Instituto Federal de Educação Ciências e Tecnologia do Paraná (IFPR) ainda não divulgou nota oficial, a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR) suspendeu o calendário por tempo indeterminado e a Universidade Federal do Paraná (UFPR) suspendeu as aulas até o dia 02 de maio de 2020, o Instituto Federal do Paraná (IFPR) suspendeu as aulas até o dia 30 de abril. A Universidade Estadual de Londrina (UEL), Universidade Estadual do Centro-Oeste (UNICENTRO) e a Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG) não divulgaram nota oficial, a Universidade Estadual de Maringá (UEM), Universidade Estadual do Norte do Paraná (UENP), Universidade Estadual do Oeste do Paraná (UNIOESTE e a Universidade Estadual do Paraná (UNESPAR) suspenderam o calendário por tempo indeterminado. 

Santa Catarina (SC): suspenso até o dia 16 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade do Estado de Santa Catarina (UDESC) suspendeu as aulas até o dia 17 de abril, a Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC) suspendeu as aulas até o dia 17 de abril, o Instituto Federal de Santa Catarina (IFSC) suspendeu as aulas até o dia 16 de abril, a Universidade Regional de Blumenau (FURB) ainda não divulgou nota, a Universidade Federal da Fronteira do Sul (UFFS) ainda não divulgou nota e a Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC) suspendeu as aulas até o dia 19 de abril.

Rio Grande do Sul (RS): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A  Universidade Federal de Santa Maria (UFSM), Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), 

Universidade Estadual do Rio Grande do Sul (UERGS), Universidade Federal de Ciências da Saúde Porto Alegre (UFCSPA) ainda não divulgaram nota, o Instituto Federal do Rio Grande do Sul (IFRS) suspendeu até o dia 18.

Sudeste

Espírito Santo (ES): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal do Espirito Santo (UFES) suspendeu até o dia 06 de abril e o Instituto Federal do Espirito Santo (IFES) suspendeu até o dia 17.

Minas Gerais (MG): suspenso até o dia 30 de abril – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). A Universidade Federal de Uberlândia (UFU), Instituto Federal do Triângulo Mineiro (IFTM) e o Instituto Federal do Sul de Minas (IFSULMINAS) suspenderam o calendário por tempo indeterminado, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Universidade Federal de Viçosa (UFV), Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), Universidade Federal de Lavras (UFLA), Universidade Federal de Ouro Preto (UFOP), Universidade Federal de São João del-Rei (UFSJ), Universidade do Estado de Minas Gerais (UEMG), Universidade Estadual de Montes Claros (Unimontes), Centro Federal de Educação Tecnológica de Minas Gerais (CEFET-MG), Instituto Federal de Minas Gerais (IFMG), Instituto Federal do Norte de Minas Gerais (IFNMG), Instituto Federal do Sudeste de Minas (IFSEMG), Universidade Federal de Alfenas (UNIFAL-MG) ainda não soltaram.

Rio de Janeiro (RJ): suspenso por tempo indeterminado – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). O Instituto Federal do Rio de Janeiro (IFRJ) suspendeu até o dia 17 de abril e o CEFET suspendeu até o dia 12 de abril, a Universidade Estadual do Norte Fluminense (UENF), Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), Universidade Estadual da Zona Oeste (UEZO), Instituto Federal Fluminense (IFF), Universidade Federal Fluminense (UFF), Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ) e a Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO) ainda não divulgaram nota oficial sobre a suspensão das aulas nas instituições de ensino.

São Paulo (SP): suspenso por tempo indeterminado – medida vale para as escolas (municipais, estaduais e privadas) e universidades (privadas). O Instituto Federal de São Paulo (IFSP), Universidade do ABC (UFABC) e a Universidade Federal de São Carlos (UFSCAR) suspenderam o calendário por tempo indeterminado, a Universidade Estadual de Campinas (UNICAMP) suspendeu as aulas até o dia 30 de abril, a Universidade Federal de São Paulo (UNIFESP),  Universidade Paulista Júlio de Mesquita Filho (UNESP) e a Universidade de São Paulo (USP) não divulgaram nota oficial sobre as aulas.

Com informações da Assessoria de Comunicação Social dos governadores estaduais (por decreto estadual), instituições públicas de ensino superior e das secretarias de educação).

https://portalpne.com/enem/covid-19-acompanhe-a-situacao-real-de-cada-estado-sobre-a-suspensao-das-aulas/