Sidebar

25
Seg, Mai

Blogs e outros sites
Tools
Divulgação/SETI

As universidades estaduais do Paraná vão usar laboratórios e farmácias-escolas para aumentar a produção de álcool em gel. O produto tem sido procurado devido à eficácia para combater o novo coronavírus (Covid-19).

O álcool em gel pode ser útil quando não há acesso fácil à água e sabão. Em tempos de epidemia, é fundamental estar com a higiene em dia para evitar o contágio. Assim como a água com sabão, o álcool 70% pode quebrar a cápsula de gordura e matar o novo coronavírus.

Nesta sexta-feira (20), a UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa) vai entregar o primeiro lote à prefeitura do município. Serão 250 litros de álcool em gel 70%, destinados aos hospitais e Unidades de Saúde de Ponta Grossa.

O produto é elaborado no Lapmed (Laboratório de Produção de Medicamentos) da UEPG. O local será responsável pela produção do álcool em gel. Em contrapartida, a Prefeitura de Ponta Grossa fornecerá matéria-prima e insumos.

“Ao disponibilizar a estrutura e os profissionais, a universidade cumpre neste momento importante papel social, que reforça o conjunto de ações adotadas pela instituição desde o início da pandemia”, afirma o reitor da UEPG.

Na UEM (Universidade Estadual de Maringá) a procura pelo álcool em gel fez a produção aumentar em 3.000%. A produção diária, que era de 1 kg, passou a ser de 30 kg. O produto abastece os setores internos da universidade. Além disso, é disponibilizado para o Hospital Universitário Regional de Maringá e a comunidade externa.

Na Unioeste (Universidade Estadual do Oeste do Paraná), em Cascavel, a produção diária passou de 1 kg para 5 kg.

https://paranaportal.uol.com.br/cidades/alcool-em-gel-producao-universidades-parana-coronavirus/