Sidebar

05
Sáb, Dez

Blogs e outros sites
Tools

Projeto recebe prêmio Péter Murányi

PARANAENSES DESENVOLVEM LEITE MATERNO EM PÓ (FOTO: PIXABAY)

Um professor e uma estudante da Universidade Estadual de Maringá (UEM), desenvolveram um projeto para transformar o leite materno em pó. A pesquisa gerou aos paranaenses o prêmio Péter Murányi da 19º edição, focado no tema alimentação. O projeto desenvolvido foi sobre a obtenção das diferentes frações do leite materno em pó como alternativa de armazenamento e transporte para os Bancos de Leite Humano.

A pesquisa mostrou que o leite materno em pó é mais resistente a contaminação e o  transporte é feito de maneira mais simples e gera menos gastos.

O professor Jesuí Vergílio Visentainer e a nutricionista Vanessa Javera, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência de Alimentos da UEM, receberão o prêmio no dia 28 de abril em São Paulo.

Leite materno em pó possui diversos benefícios

No desenvolvimento do leite em pó foram utilizadas diversas técnicas, que consistiam na remoção da água do alimento.

Considerando que o leite materno é altamente perecível, a utilização do mesmo em sua forma em pó pode trazer vários benefícios.

Um deles seria a melhoria sobre o armazenamento e transporte, uma vez que o leite humano em pó é muito mais resistente à contaminação e tem seu período de conservação altamente prolongado.

Outro benefício é que possibilitaria o aumento da distribuição do material, uma vez que, em razão de sua maior durabilidade, o leite humano em pó pode ser distribuído para unidades bem distantes dos setores de coletas. Ou seja, permitira maior acesso ao material disponível.

Além disso, traria a diminuição de gastos, tendo em vista que o processo de conservação do leito humano natural, apesar de simples, é caro, pois além de demandar significativa quantidade de consumo de energia elétrica e recursos humanos, muitas vezes o material armazenado acaba não sendo utilizado em razão da ocorrência de perecimento.

Os bancos de leite materno trabalham com o produto pasteurizado e congelado, cujo tempo de validade é curto e que exige infraestrutura complexa para armazenagem. Com estrutura adequada para estocagem, o produto em pó ampliaria muito a oferta, com a mesma qualidade, sabor e propriedades nutricionais e maior tempo de validade.

Péter Murányi

Para Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi, promotora do prêmio, o leite humano em pó pode ser uma opção clínica e social na manutenção e ampliação do aleitamento materno, que é muito importante para a saúde das crianças.

Na avaliação dela, o grande significado do trabalho vencedor do prêmio é que nada substitui o leite materno, não apenas em termos nutricionais, como também para o desenvolvimento do sistema imunológico.

O prêmio aos dois pesquisadores da UEM será entregue no dia 28 de abril, em São Paulo. Outras informações podem ser obtidas no site.

Já foram entregues 19 prêmios anuais, alternados, nas áreas de Saúde, Ciencia & Tecnologia, Alimentação e Educação. Outros detalhes sobre o trabalho da Fundação no site

https://ricmais.com.br/noticias/saude/paranaenses-desenvolvem-leite-materno-em-po/