Sidebar

25
Dom, Out

Nesta quinta-feira (1), o Governo do Estado informou que a reitoria da Universidade Estadual de Maringá (UEM) ainda não autorizou a Secretaria da Administração a transferir os recursos da folha de pagamentos dos servidores da instituição para a Caixa Econômica Federal.

A adesão ao sistema de gestão da folha do funcionalismo, o chamado Meta4, é obrigatória a partir desse ano, mas muitas reitorias não aceitaram a decisão, alegando que seria retirada a autoridade das universidades.

Os funcionários da Universidade Estadual de Londrina (UEL) decidiram entrar greve, que seria iniciada na próxima segunda-feira (5), por falta de pagamento dos salários de janeiro, mas cancelaram a decisão ainda no final da tarde desta quinta, quando o governo estadual anunciou que o pagamento tinha sido feito.

O representante dos professores da UEL, Nilson Magagnin Filho, disse que mesmo a greve não acontecendo, os professores das sete universidades estaduais vão se reunir para debater o sistema de pagamentos.

“A deflagração ou não da greve em função da existência do pagamento dos professores e do encaminhamento dado nessa reunião conjunta com sete sindicatos “, disse.

Já no caso da Universidade Estadual de Maringá (UEM), o reitor Mauro Baesso desmentiu a justificativa do Governo e disse que o Estado quer forçar a adesão ao Meta4.

“Agora vem com essa história dizendo que nós temos que assinar um ofício que eles querem que nós assinemos, porque na verdade eles colocaram dentro do ofício que nos obriga, nos coloca dentro do Meta4, e ainda nos quebra contrato com a Caixa Econômica”, argumentou.

A justiça estabeleceu uma multa diária de R$ 500 para os reitores que não aderirem ao sistema, que segundo a decisão, é obrigatória por ser a única solução para o controle e execução orçamentária e financeira de pessoal

Até agora, o governo estadual liberou a folha salarial dos servidores da Unicentro, Unioeste, UEPG e UEL.

http://paranaportal.uol.com.br/cidades/governo-diz-que-falta-de-pagamento-na-uem-e-culpa-da-reitoria/

Em assembleia, o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) aprovou nesta quinta-feira (1º) uma greve geral a partir da próxima segunda-feira (5) na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Cerca de 100 trabalhadores participaram da assembleia ontem à tarde, no auditório do Hospital Universitário. Três votaram contra a deflagração da greve de professores e técnicos administrativos.

Mais de 4 mil servidores da instituição estão com os salários atrasados desde o dia 31 de janeiro. O atraso aconteceu porque a universidade é contra a adesão ao sistema de gestão da folha do funcionalismo do governo do estado (RH – Paraná – Meta-4). A UEM é a única universidade estadual que ainda não está integrada ao sistema porque, segundo a reitoria, a integração tiraria a autonomia da universidade.

De acordo com o diretor de finanças do Sinteemar, Éder Adão Rossato, novas assembleias estão marcadas para segunda-feira. “Faremos uma nova avaliação para vermos se o governo do Paraná está sensível quanto à situação dos trabalhadores, uma vez que o pagamento dos salários está atrasado”, disse.

Caso os salários sejam depositados pelo governo nas contas dos servidores até segunda-feira, a paralisação poderá ser suspensa. “Se o pagamento não estiver devidamente creditado, a greve será deflagrada imediatamente e também outras ações serão tomadas, como a suspensão da formatura e a não realização de matrículas de novos alunos”, afirmou Rossato

A assessoria de comunicação informou que a reitoria da UEM prefere não se pronunciar sobre a decisão dos servidores porque os sindicatos têm autonomia em questões relativas à greve.

O governo do estado informou ontem que a reitoria da UEM não havia autorizado até ontem a Secretaria da Administração e Previdência (Seap) a transferir os recursos da folha de pagamento dos servidores para a Caixa Econômica Federal. Toda a documentação necessária para o processamento da folha foi conferida e aprovada.

Ainda segundo o governo, foram liberados as folhas salariais dos servidores da Unicentro (Guarapuava), Unioeste (Cascavel), UEPG (Ponta Grossa) e UEL (Londrina). Para os servidores dessas instituições, os salários foram depositados ontem de forma gradativa, conforme a finalização da análise das documentações enviadas nos últimos dois dias pelas reitorias.

Meta-4

Desde 2012, o governo do Paraná alerta as universidades para a necessidade de integração das despesas salariais ao sistema de gestão da folha do funcionalismo. Para 2018, a obrigatoriedade consta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Além disso, a inclusão na plataforma obedece preceitos da Lei de Responsabilidade Fiscal e de transparência dos gastos públicos.

A partir de janeiro deste ano, entrou em operação o Novo Siaf, que não prevê outra solução para controle e execução orçamentária e financeira de pessoal que não seja o sistema integrado com o Meta-4, que já é usado pelos demais órgãos do Estado.

Em 2017, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinou que as universidades enviassem os documentos necessários para a inclusão da folha das instituições de ensino superior no sistema Meta-4. No ano passado, o governo também acionou a Justiça para que as universidades agilizassem a integração de dados.

Em outubro passado, a 3a. Vara da Fazenda Pública concedeu liminar em favor do governo, entendendo que a medida não fere a autonomia universitária. Há uma semana, o mesmo juízo estabeleceu multa aos reitores que ainda se negavam a transmitir as informações para a plataforma.

http://paranaportal.uol.com.br/cidades/627-greve-uem/

Em assembleia, o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) aprovou nesta quinta-feira (1º) uma greve geral a partir da próxima segunda-feira (5) na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Cerca de 100 trabalhadores participaram da assembleia ontem à tarde, no auditório do Hospital Universitário. Três votaram contra a deflagração da greve de professores e técnicos administrativos.

Mais de 4 mil servidores da instituição estão com os salários atrasados desde o dia 31 de janeiro. O atraso aconteceu porque a universidade é contra a adesão ao sistema de gestão da folha do funcionalismo do governo do estado (RH – Paraná – Meta-4). A UEM é a única universidade estadual que ainda não está integrada ao sistema porque, segundo a reitoria, a integração tiraria a autonomia da universidade.

De acordo com o diretor de finanças do Sinteemar, Éder Adão Rossato, novas assembleias estão marcadas para segunda-feira. “Faremos uma nova avaliação para vermos se o governo do Paraná está sensível quanto à situação dos trabalhadores, uma vez que o pagamento dos salários está atrasado”, disse.

Caso os salários sejam depositados pelo governo nas contas dos servidores até segunda-feira, a paralisação poderá ser suspensa. “Se o pagamento não estiver devidamente creditado, a greve será deflagrada imediatamente e também outras ações serão tomadas, como a suspensão da formatura e a não realização de matrículas de novos alunos”, afirmou Rossato

A assessoria de comunicação informou que a reitoria da UEM prefere não se pronunciar sobre a decisão dos servidores porque os sindicatos têm autonomia em questões relativas à greve.

O governo do estado informou ontem que a reitoria da UEM não havia autorizado até ontem a Secretaria da Administração e Previdência (Seap) a transferir os recursos da folha de pagamento dos servidores para a Caixa Econômica Federal. Toda a documentação necessária para o processamento da folha foi conferida e aprovada.

Ainda segundo o governo, foram liberados as folhas salariais dos servidores da Unicentro (Guarapuava), Unioeste (Cascavel), UEPG (Ponta Grossa) e UEL (Londrina). Para os servidores dessas instituições, os salários foram depositados ontem de forma gradativa, conforme a finalização da análise das documentações enviadas nos últimos dois dias pelas reitorias.

Meta-4

Desde 2012, o governo do Paraná alerta as universidades para a necessidade de integração das despesas salariais ao sistema de gestão da folha do funcionalismo. Para 2018, a obrigatoriedade consta da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Além disso, a inclusão na plataforma obedece preceitos da Lei de Responsabilidade Fiscal e de transparência dos gastos públicos.

A partir de janeiro deste ano, entrou em operação o Novo Siaf, que não prevê outra solução para controle e execução orçamentária e financeira de pessoal que não seja o sistema integrado com o Meta-4, que já é usado pelos demais órgãos do Estado.

Em 2017, o Tribunal de Contas do Estado (TCE) determinou que as universidades enviassem os documentos necessários para a inclusão da folha das instituições de ensino superior no sistema Meta-4. No ano passado, o governo também acionou a Justiça para que as universidades agilizassem a integração de dados.

Em outubro passado, a 3a. Vara da Fazenda Pública concedeu liminar em favor do governo, entendendo que a medida não fere a autonomia universitária. Há uma semana, o mesmo juízo estabeleceu multa aos reitores que ainda se negavam a transmitir as informações para a plataforma.

http://paranaportal.uol.com.br/cidades/627-greve-uem/

Os resultados contemplam o Vestibular de Verão, EaD e PAS 2017

 

A Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná, liberou os resultados de seus processos seletivos. Podem consultar os resultados os estudantes que participaram do Vestibular para cursos a distância (EaD), do Processo de Avaliação Seriada (PAS) de 2017 e do Vestibular de Verão 2017.

Vestibular de Verão 2017

Aprovados PAS 2017

Vestibular EaD 2017

O procedimento de matrículas será feita em duas etapas, sendo a primeira virtual nos dias 5 e 6 de fevereiro. Até o dia 7 seguinte, os aprovados devem enviar a documentação necessária via correspondência. A relação de documentos e outras informações podem ser obtidas nesta página.

Provas

No caso do vestibular EaD do PAS 2017 as provas foram aplicadas no dia 19 de novembro e compostas por 40 questões de Arte, Biologia, Filosofia, Física, Geografia, História, Matemática, Química, Sociologia, Língua Portuguesa e Língua Estrangeira. 

Já o Vestibular de Verão 2017 teve suas provas aplicadas entre os dias 10 e 12 de dezembro para mais de 15 mil candidatos. Eles responderam questões conhecimentos gerais e específicos, conforme o curso.

Veja as provas e os gabaritos

Vagas

A oferta foi de 1.518 vagas para o Vestibular de Verão, sendo 287 para cotistas. Já para o vestibular EaD, foram 1.350 oportunidades, das quais 270 são reservadas para as ações afirmativas. No caso dos participantes da terceira etapa do PAS a oferta foi de 752 vagas em cursos superiores da UEM.

Para mais informações, acesse os Editais.

http://vestibular.brasilescola.uol.com.br/noticias/uem-divulga-lista-aprovados-seus-vestibulares/341917.html

A Universidade Estadual de Maringá (UEM), no Paraná, disponibilizou na manhã desta terça-feira, 30 de janeiro, a relação de aprovados nos seus Vestibulares de Verão e na modalidade de Ensino a Distância (EaD), além do Programa de Avaliação Seriada (PAS) 2017. Confira:

Aprovados Vestibular de Verão 2017

Aprovados Vestibular EaD 2017

Aprovados PAS 2017

Todos os candidatos ingressantes deverão realizar a efetivação da matrícula via internet entre os dias 05 e 06 de fevereiro. Posterior a esta etapa, eles deverão entregar a documentação exigida até o dia 07 seguinte. 

Contudo, a documentação exigida para matrícula não pode ser entregue pessoalmente.  É obrigatório o envio pelos correios ou outra forma de postagem dentro do prazo máximo informado no calendário de matrícula.

A relação dos documentos exigidos dentre outras informações podem ser visualizadas neste link.

Vestibular de Verão

As provas do Vestibular de Verão foram aplicadas entre os dias 10 e 12 de dezembro do ano passado, nas cidades em que existem unidades da universidade.

No primeiro dia, os participantes responderam 40 questões de Conhecimentos Gerais. No dia seguinte, foram 20 questões de Literatura, Língua Estrangeira, Língua Portuguesa e Redação. No último dia, foram 40 questões Conhecimentos Específicos.

A UEM ofereceu 1.518 vagas, das quais 287 foram destinadas aos cotistas. As oportunidades são para Maringá, Umuarama, Cianorte, Cidade Gaúcha e Goierê. 

Mais informações nos Editais. 

PAS e Vestibular EaD

No dia 19 de novembro foram realizadas as provas do PAS e do Vestibular EaD 2017. Elas foram aplicadas em Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Goioerê, Ivaiporã, Loanda, Londrina, Maringá, Paranavaí, Umuarama, Cidade Gaúcha e Diamante do Norte, sendo essas duas últimas cidades só para o vestibular EaD.

As provas foram compostas por 40 questões de conhecimentos gerais, língua portuguesa e literatura, língua estrangeira e, no caso da 3ª etapa do PAS, conhecimentos específicos ao curso escolhido.

Ao todo, 4.901 estavam inscritos na 3ª etapa do PAS da UEM. Eles concorreram a 752 vagas. O curso de Medicina foi o mais buscado, com 64,1 de concorrência. 

O Vestibular EaD recebeu 1055 inscrições, sendo 109 de cotistas, para 1.350 vagas nos cursos a distância em Administração Pública, Ciências Biológicas e Tecnologia em Gestão Pública. Do total de vagas, 270 são para cotistas.

Mais informações nos Editais e no site da CVU (Comissão de Vestibulares Unificados).

http://vestibular.mundoeducacao.bol.uol.com.br/noticias/uem-divulga-resultado-pas-dos-vestibulares-verao-ead-2017/336021.html

Mais Artigos...