Folha de Londrina
Tools

Os consumidores estão mais otimistas em Maringá (Região Noroeste) em abril com relação ao mês anterior. O Índice de Confiança do Consumidor (ICC), que mede a expectativa de consumo, subiu 1,1% atingindo 130,8 pontos. Em comparação com o mesmo mês do ano passado o índice aumentou 11,5 pontos. É o melhor resultado em um ano. As informações são da pesquisa mensal realizada em parceria pela Associação Comercial e Empresarial de Maringá (Acim) e Departamento de Economia da UEM. Foram entrevistados 537 consumidores.

O índice de expectativa de consumo, um dos cinco que fazem parte do ICC, teve queda de 5,1% em relação a março deste ano, mas foi compensado pelo índice de satisfação financeira, que saltou de 128,1 para 135 pontos e pelo aumento da expectativa de emprego, que cresceu 5,7 pontos. Já os índices de expectativa de renda e expectativa nacional tiveram redução, respectivamente, de 1,7 ponto e 0,7 em relação ao mês anterior. O índice crescente de confiança do consumidor apontado mantém fortes expectativas de crescimento de demanda e da atividade econômica de Maringá.

A expectativa de consumo da classe média da cidade ultrapassa os 150 pontos, índice considerado ''excepcional'', de acordo com os parâmetros da pesquisa. Para mais da metade dos entrevistados, os gastos com alimentação somam entre R$ 380 e R$ 1.050. Outro dado revelado é que a renda da população está comprometida com prestações e financiamentos: pouco mais de um terço dos entrevistados não têm prestações e quase um terço (29,6%) gasta entre R$ 101 e R$ 500 com prestações ou financiamentos.

O estudo toma por base 100 pontos que indicam que a confiança do consumidor está neutra. Quando a pesquisa aponta entre 100 e 125 pontos, indica confiança positiva moderada-boa; entre 125 e 150, confiança positiva muito boa; entre 150 e 200, confiança positiva excelente; entre 75 e 100, desconfiança, prenúncio de desaceleração; entre 50 e 75, desconfiança total e recessão.