Paraná On-line
Tools

A Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior está estudando a possibilidade de uma parceria com o grupo holandês Elsevier, uma das mais antigas e conceituadas bases de dados de publicações científicas. O assunto foi discutido durante o seminário “Saberes em Discussão: Políticas Públicas para a Cooperação com o Mercosul”, no Parque Tecnológico Itaipu.

O evento reuniu aproximadamente 250 pessoas entre pesquisadores, pró-reitores, professores e cientistas do Mercosul. A parceria entre a Secretaria e o grupo holandês visa levar o acervo de periódicos, e-books e enciclopédias online para as instituições de pesquisa e de ensino superior do Paraná, que são administradas pela Fundação Araucária, para fomentar a produção científica no Estado.

Segundo o diretor do Elsevier para a América Latina, Dante Cid, é fundamental, para o desenvolvimento da ciência, que pesquisadores e estudantes tenham acesso às descobertas científicas mais recentes da Europa e Estados Unidos. “Em Cuba, devido ao embargo dos Estados Unidos, os pesquisadores acabam iniciando as pesquisas do zero, pois não sabem o que acontece nos outros países”, afirmou Cid.

Para chegar à proposta, informou o diretor, foi feito um perfil das instituições de ensino e pesquisa no Paraná. Nas universidades estaduais de Londrina (UEL) e Maringá (UEM), por exemplo, as áreas que rendem maior número de publicações são, respectivamente, as de agricultura e biologia, e medicina e bioquímica. O banco de dados oferecido à UEM e UEL seria voltado a essas áreas em que as universidades já são referência.

“Podemos oferecer material de outras áreas que as instituições queiram começar a desenvolver”, ponderou o diretor da Elsevier. De acordo com ele, o acesso maior às publicações científicas proporciona um aumento substancial na produção de artigos da instituição, o que significa uma maior produção científica no país.

A Elsevier foi fundada em 1580 e já publicou trabalhos importantes, como teses de Galileu Galilei, Louis Pausteur, Alexander Fleming, Albert Einstein e de vários ganhadores do Prêmio Nobel. O grupo tem unidades em 24 países, mas suas bases de dados estão presentes em 180. O acervo reúne dois mil periódicos científicos e 1.900 livros para 30 milhões de cientistas.

No Brasil, os periódicos são acessados via Portal de Periódicos da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior(Capes), que tem parceria com a Elsevier. Para Cid, se é comum a leitura de periódicos online, o Brasil ainda não despertou para os e-books. “A universidade compra vários cópias de um livro, quando bastava ter uma única cópia on-line, disponível 24 horas para todos os alunos”, constatou. Os e-books fazem parte da proposta da Elsevier à Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior.

Mestrado em Bioenergia - Durante o seminário, uma palestra trouxe a experiência de três instituições paranaenses (UEL, UEM e Unioeste) na área de energias renováveis. O objetivo é aproveitar a experiência do Paraná neste setor para criar um Mestrado em Bioenergia, que teria sede no PTI e reuniria as seis universidades estaduais e outros órgãos de pesquisa, como o Instituto Tecnológico do Paraná (Tecpar), Embrapa, entre outros.

“O Paraná se destaca na produção de grãos e de oleaginosas e tem domínio técnico na área agrícola”, afirmou a diretora científica da Fundação Araucária, Berenice Jordão. Aqui é o melhor lugar para um mestrado como esse, segundo ela. A localização do PTI, na região da Tríplice Fronteira, estreitaria a ligação com os outros países do Mercosul. A intenção final é que o mestrado tenha a contribuição de pesquisadores desses países.