Sidebar

26
Dom, Mai

Paraná On-line
Tools

A Revista Brasileira de Geomorfologia publicou um trabalho que traça o panorama da geomorfologia brasileira entre os anos de 2001 e 2005. A base do trabalho foi a análise dos artigos publicados em periódicos nacionais e internacionais nesse período e que, segundo apresentam os autores, “indicam a existência de centros de excelência nacional em algumas das especialidades da geomorfologia”.

O Paraná e a Universidade Estadual de Maringá são destaques nesse estudo dentro da área de geomorfologia fluvial, a temática que concentrou mais artigos, com um percentual de 25,6% do total. O Paraná aparece como o terceiro maior produtor de artigos nessa área, que em índices percentuais significa 18,6%. Ficou atrás de São Paulo (39,6%) e Rio de Janeiro (23,3%).

Em termos de centros de excelência, a produção da UEM fica atrás somente da Universidade Federal do Rio de Janeiro, cujo volume de artigos somam 20,9%. Com 11,6%, a UEM se iguala com a Unesp e Universidade de Guarulhos. Todos esses dados se referem à produção nacional. Os números da produção internacional também colocam a UEM em destaque.

A temática geomorfologia fluvial continua sendo alvo do maior volume de produção (50%) e o Paraná aparece em segundo lugar, com uma porcentagem de 20,8%, atrás somente de Goiás, cuja produção é 25%.
A totalidade da produção do Paraná está concentrada na UEM, onde quem responde pela realização desses trabalhos é o Grupo de Estudos Multidisciplinares do Ambiente. Fundado em 1987, um dos grandes méritos do Grupo, segundo seu coordenador, o professor Nelson Lovatto Gasparetto, é a formação de recursos humanos. “Muitos dos nossos ex-alunos são pesquisadores de outras universidades brasileiras”, afirma.

O artigo publicado pela Revista Brasileira de Geomorfologia foi escrito por André Augusto Rodrigues Salgado e Joseane Biazini, da Universidade Federal de Minas Gerais, e Sebastian Hennig, da Leipzig Universität, na Alemanha.