Sidebar

26
Dom, Mai

Paraná On-line
Tools

 

 

Foto: Arquivo

UEM substitui as questões discursivas pelas objetivas com somatória.

Mais de 22 mil candidatos iniciam hoje a disputa por uma das 1.542 vagas - distribuídas em 47 cursos de graduação -, ofertadas no vestibular de inverno da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

A partir desta edição do concurso, que segue com provas até terça-feira, a universidade substitui as questões discursivas pelas objetivas com alternativas múltiplas (somatórias), além da prova de Redação.

Mais uma vez, Medicina é o curso mais concorrido com 204,2 candidatos por vaga, seguido por Arquitetura e Urbanismo (39,9) e Engenharia Mecânica (37,9). A UEM promete divulgar o resultado do vestibular no 1.º de agosto.

Nesses três dias do concurso as provas serão realizadas das 9h às 13h. A orientação da Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU) é que os candidatos cheguem uma hora antes da abertura dos portões.

Hoje os vestibulandos respondem questões de Conhecimentos Gerais, e amanhã, de Língua Portuguesa e Estrangeira, Literatura e Redação. Já na terça-feira é a vez das provas de Conhecimentos Específicos. Além de Maringá, o vestibular também será realizado em Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê e Umuarama.

De acordo com o levantamento da CVU, com base no questionário socioeconômico preenchido no ato da inscrição, a maioria dos vestibulandos tem menos de 20 anos (82,4%), é do sexo feminino (54,6%), e solteira (96,6%).

Cerca de 70% são do Paraná, sendo que 51% moram em Maringá e região. Do total de 22.410 inscritos, 39,7% estudaram integralmente em escola pública no ensino fundamental, e 41% estudaram integralmente em escola particular no ensino fundamental.

No ensino médio, 34,9% estudaram integralmente em escola pública, e 54,1% estudaram integralmente em escola particular. Quase metade dos inscritos termina o ensino médio este ano (48,2%), sendo que 41,8% nunca prestou vestibular e 52,8% não freqüentou curso pré-vestibular.

A maioria (61,4%) dos candidatos diz ter escolhido a UEM por ser pública e gratuita. 65,6% afirmou que escolheu o curso por considerar a profissão condizente com as suas aptidões, e 17,9% por preparar para uma profissão com bom mercado de trabalho.

Lei seca

E outra novidade nessa edição do vestibular da UEM será a aplicação da lei seca, que valerá para cerca de cerca de 60 bares e lanchonetes que ficam ao redor da universidade. Esses estabelecimentos estarão proibidos de comercializar bebida alcoólica. A medida começou a valer à meia-noite de sábado e vale até a meia-noite de terça-feira.

Os comerciantes poderão abrir as portas, mas quem for pego vendendo bebida alcoólica será multado em R$ 5 mil. Para os ambulantes que ficam nos arredores da universidade, a multa será de R$ 500.

A lei seca foi aprovada pela Câmara de Vereadores de Maringá, depois que vários moradores da região reclamaram do barulho e confusões durante o período do concurso. Uma força tarefa, formado por policiais e funcionários da secretaria do Meio Ambiente vai fiscalizar a aplicação da lei.