Sidebar

13
Seg, Jul

Quatro instituições de ensino de Maringá aparecem entre os dez maiores locais de votação do estado. Foi o que apontou o levantamento divulgado nesta segunda-feira (1º) pelo Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR). Os dados mostram que o campus da Universidade Estadual de Maringá (UEM), na Zona 7, é o segundo maior local de votação, com 10,3 mil eleitores.

A UEM (que corresponde a área da 192ª Zona Eleitoral) fica atrás somente do Colégio Anglo Americano, de Foz do Iguaçu, onde 11,5 mil pessoas estão aptas a votar. Além da UEM, aparecem no “top 10” estadual as maringaenses: Escola Estadual Unidade Polo (no Jardim Alvorada), com 9,5 mil eleitores; o Colégio Estadual Branca da Mota Fernandes (na Zona 23) com 8,6 mil; e a Escola Estadual Doutor Rodrigues Alves (no Parque Industrial) com 8,5 mil votantes.

Juntos, os quatro locais esperam receber 37,1 mil eleitores, o que responde por 14,4% do total de pessoas que tem Maringá como domicílio eleitoral. Para este ano, o Município conta com 256,9 mil votantes registrados.

Os dez maiores locais de votação do Paraná

1) Colégio Anglo Americano (de Foz do Iguaçu) – 11.594 eleitores

2) Universidade Estadual de Maringá - 10.356 eleitores

3) Colégio Estadual Olavo Bilac (de Cambé) – 10.353 eleitores

4) Escola Estadual Unidade Polo (de Maringá) – 9.576 eleitores

5) Colégio Vicente Rijo (de Londrina) – 8.794 eleitores

6) Colégio Estadual Branca da Mota Fernandes (de Maringá) – 8.685 eleitores

7) Colégio Estadual Tiradentes (de São José dos Pinhais) – 8.660 eleitores

8) Escola Estadual Doutor Rodrigues Alves (de Maringá) – 8.529 eleitores

9) Colégio Estadual Nilo Cairo, (de Apucarana) – 8.205 eleitores

10) Colégio Maxi (de Londrina) – 8.175 eleitores

Fonte: Tribunal Regional Eleitoral do Paraná (TRE-PR)

Região

Entre os locais que devem receber grande quantidade de eleitores no próximo domingo (7), também aparecem outros colégios estaduais da região Noroeste, como o Duque de Caxias, de Maringá (7,9 mil); Cianorte, de Cianorte com 7,7 mil; Olavo Bilac, de Sarandi (7,7 mil); Santos Dumont, de Paranacity (7,7 mil); Itacelina Bittencourt, de Cianorte (7,4 mi)l; e Jardim Independência , de Sarandi (7,1 mil).

Cada local de votação conta com várias seções eleitorais. De acordo com o TRE-PR, cada seção corresponde a uma urna eletrônica, tendo um número padrão de 400 eleitores no máximo.

http://www.gazetadopovo.com.br/eleicoes/conteudo.phtml?id=1303055&tit=Quatro-entre-os-dez-maiores-locais-de-votacao-do-estado-estao-em-Maringa 

 

O prazo para as inscrições do Vestibular de Verão 2012 e do Processo de Avaliação Seriada (PAS) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) termina nesta segunda-feira (17). O pagamento e o envio da documentação de ambos os concursos pode ser feito até quarta-feira (19).

As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet nas páginas do vestibular e do PAS.

Candidatos que não dispõem de computador ou de acesso à internet podem ir até a Central de Inscrições (anexa ao Bloco 28 no campus-sede), onde serão disponibilizados gratuitamente computadores e impressora. O local atende das 10 horas às 18 horas.

Em 11 de outubro, será publicada no site do vestibular a relação das inscrições não homologadas. A partir de 19 de novembro, o candidato deverá consultar o local de provas na internet, acessando o Menu do Candidato.

A UEM salienta que não enviará correspondência aos candidatos informando o local de provas.

Testes serão realizados em nove cidades

As provas do vestibular serão realizadas de 9 a 11 de dezembro, das 8h50 às 13 horas, em Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Cidade Gaúcha, Goioerê, Ivaiporã, Maringá, Paranavaí e Umuarama. O resultado do concurso será divulgado às 10 horas de 4 de janeiro de 2013, no site do vestibular.

A matrícula dos candidatos aprovados será realizada de 5 a 7 de janeiro de 2013, exclusivamente pela internet, no site do Diretório de Assuntos Acadêmicos (DAA). O início das aulas será em fevereiro de 2013.

PAS

Além de Maringá, outras 15 cidades do Paraná irão realizar as provas do PAS em 18 de novembro: Apucarana, Campo Mourão, Cianorte, Cidade Gaúcha, Curitiba, Diamante do Norte, Goioerê, Ivaiporã, Loanda, Londrina, Paiçandu, Paranavaí, Pitanga, Sarandi e Umuarama.

Para os alunos da terceira etapa que concorrem ao curso de Música, haverá prova de habilidade específica, de acordo com a Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU).

O resultado também será divulgado em 4 de janeiro. Os aprovados deverão efetuar a matrícula de 5 a 7 de janeiro.

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/vestibular/conteudo.phtml?id=1298143&tit=Inscricoes-para-vestibular-da-UEM-terminam-nesta-segunda-feira 

 

Apesar da greve deflagrada na terça-feira (11) pelos servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM), o Hospital Universitário (HU) vai manter quase todas as atividades nesta quarta-feira (12) – a clínica odontológica é a única que ficará fechada. A informação foi confirmada pelo próprio hospital.

A primeira decisão do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar) era de manter contingente de servidores mínimo ao longo da greve, com 30% dos funcionários e 50% das atividades. No entanto, na terça-feira (11), uma assembleia definiu pela manutenção da maioria dos serviços.

A diretora de organização do Sinteemar e enfermeira do HU, Luciene Bueno, afirmou, no entanto, que a decisão vale apenas para esta quarta-feira (12). Segundo ela, alguns servidores do ambulatório devem parar na quinta-feira (13).

“Isso [a adesão á greve] pode aumentar gradativamente na medida em que outras pessoas [servidores do HU] façam parte da greve”, disse.

Reivindicações

A principal reivindicação dos funcionários é um novo Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) e a realização de concursos para novas contratações. “Queremos ser atendidos e tratados como os professores. Queremos a mesma atenção para resolver os nossos problemas”, defendeu o secretário do Sinteemar, Almir Carvalho de Oliveira.

De acordo com ele, a falta de funcionários sobrecarrega os servidores atuais, afetando, também, a qualidade dos serviços prestados. Para ele, o governo estadual prometeu discutir as reivindicações dos servidores no mesmo projeto de lei que atendeu às solicitações dos docentes das universidades estaduais, no final de agosto. “Eles já voltaram atrás algumas vezes. Marcam conversa com nossos representantes estaduais e desmarcam.”

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1296465&tit=Apesar-da-greve-da-UEM-HU-mantem-maioria-dos-servicos-nesta-quarta-feira 

 

Os servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) deflagaram greve por tempo indeterminado nesta terça-feira (11). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensinos de Maringá (Sinteemar), cerca de 80% do quadro dos funcionários aderiram à paralisação.

O secretário do Sinteemar, Almir Carvalho de Oliveira, afirma que a paralisação já afeta alguns serviços da biblioteca do campus de Maringá, do Restaurante Universitário (RU) e do Hospital Universitário (HU).

De acordo com Oliveira, os serviços de laboratórios de pesquisas permanecem em funcionamento nesta terça-feira (11), mas também devem parar nos próximos dias. A greve deve afetar todos os alunos dos campi da universidade. “Sem esses serviços técnicos não há possibilidade de os professores continuarem com as aulas.”

A principal reivindicação dos funcionários é um novo Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) e a realização de concursos para novas contratações. “Queremos ser atendidos e tratados como os professores. Queremos a mesma atenção para resolver os nossos problemas”, defende Oliveira.

De acordo com secretário, a falta de funcionários sobrecarrega os servidores atuais, afetando, também, a qualidade dos serviços prestados. Para ele, o governo estadual prometeu discutir as reivindicações dos servidores no mesmo projeto de lei que atendeu às solicitações dos docentes das universidades estaduais, no final de agosto. “Eles já voltaram atrás algumas vezes. Marcam conversa com nossos representantes estaduais e desmarcam.”

Ainda segundo Almir de Oliveira, os servidores da UEM querem que o atual reitor, Júlio Santiago Prates Filho, trate com mais atenção e defenda as reivindicações dos funcionários. “A universidade é um todo que depende, além de professores e alunos, dos funcionários. Posso afirmar que nunca fomos tão desassistidos como na atual gestão.”

Em nota, a reitoria afirma “vir a público manifestar seu apoio às reivindicações apresentadas, solidarizando-se com os objetivos do movimento que busca a devida valorização dos Agentes Universitários por meio da reformulação do Plano de Cargos, Carreira e Salários.”

No mesmo documento, a reitoria garante interesse de alcançar o mais breve retorno à normalidade, sobretudo das atividades essenciais, como as desenvolvidas no HU. “A UEM está mantendo contato com os reitores das universidades e governo estadual para que as reivindicações sejam prontamente atendidas.”

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1296085 

 

A Universidade de São Paulo (USP) lidera o Ranking Universitário (RU) divulgado nesta segunda-feira (3) pelo jornal Folha de S. Paulo. A lista, produzida pela redação do jornal em parceria com um grupo de pesquisadores liderados pelo cienciometrista (ciência que estuda a produção científica) da USP Rogério Meneghini, avalia a qualidade das universidades brasileiras. Nesta edição, o elenco inclui 191 universidades e 41 centros universitários ou faculdades.

O segundo e terceiro lugares no ranking são ocupados pelas federais de Minas (UFMG) e do Rio (UFRJ). Entre as paranaenses, a melhor colocada é a Universidade Federal do Paraná (UFPR), que aparece em sétimo lugar. Entre as 100 primeiras colocadas, estão outras sete instituições do Paraná: a Universidade Estadual de Maringá (19º), a Universidade Estadual de Londrina (25º), a Pontifícia Universidade Católica do Paraná (27º), a Universidade Estadual de Ponta Grossa (54º), a Universidade Estadual do Oeste do Paraná (57º), a Universidade Tecnológica Federal do Paraná (77º) e a Universidade Estadual do Centro-Oeste (85º).

De acordo com a Folha, para produzir o elenco foram levantados dados de publicações acadêmicas e ouvidos centenas de cientistas e profissionais de Recursos Humanos. Dos quatro aspectos analisados pelo RU (pesquisa, ensino, reputação no mercado de trabalho e inovação), a USP apenas não é primeira colocada em termos de inovação, indicador que a Unicamp lidera.

Veja aqui o ranking completo.

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/conteudo.phtml?id=1293348&tit=USP-lidera-ranking-nacional-das-melhores-universidades- 

Mais Artigos...