Sidebar

21
Qui, Jan

Centenas de estudantes da Universidade Estadual de Ma­­ringá (UEM) ocuparam a Reitoria da instituição na tarde de ontem. Os universitários protestam contra o corte de verbas da educação feito pelo governo estadual no início do ano, a falta de estrutura do Restaurante Universitário (RU) e a inexistência de unidades do RU nos outros câmpus da instituição.

O movimento, que teve início por volta das 14h30 e contou também com a participação de alunos dos câmpus de Cianorte, Umua­­rama e Cidade Gaúcha, é organizado pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) e por centros acadêmicos da universidade, que planejam ficar no local até a próxima segunda-feira. Segundo a assessoria de comunicação da UEM, o prédio ficou danificado durante a ocupação, que reuniu cerca de 400 manifestantes.

Cartazes contra o governo

Na ocasião, os estudantes colocaram cartazes em frente da Rei­­toria, muitos dos quais protestando contra o governo do estado. Os universitários também realizaram uma assembleia improvisada dentro do prédio. Funcionários da universidade, profissionais da imprensa e até a Polícia Militar foram impedidos de entrar na Reitoria.

Um dos integrantes do centro acadêmico de economia, Felipe Augusto de Paula Bento, que apoia o movimento, disse que houve empurra-empurra entre estudantes e vigilantes antes da entrada no prédio da Reitoria, mas que não havia feridos.

Promessa de melhoria

A assessoria de comunicação da UEM disse que um documento assinado pelo reitor seria entregue aos estudantes, relatando o que foi realizado para atender às reivindicações acadêmicas nos últimos 15 dias.

No documento, o reitor Júlio Santiago Prates Filho informa que já foi feito o pedido de contratação de mais seis servidores para o RU; que o projeto de expansão do restaurante e o cardápio vegetariano estão sendo viabilizados; e de que estudos estão sendo feitos para instalar unidades do restaurante nos câmpus.

Prates Filho deixou o prédio por volta das 18 horas, sendo escoltado por seguranças da instituição. Segundo a assessoria, ele concederá uma coletiva de im­­prensa na manhã de hoje, em frente da Fundação de Apoio ao Desen­­volvimento Científico (Fadec).

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1162381 

O Vestibular de Verão 2011 da Universidade Estadual de Maringá (UEM) registrou 16.634 inscrições para concorrer às 1.514 vagas oferecidas para mais de 60 cursos. Os cursos mais concorridos são medicina, com 137,6 candidatos por vaga; arquitetura e urbanismo (52,6); engenharia civil no campus sede (38); direito (noturno) (35,3) e odontologia (33,4).

Em 2010, foram 18.591 inscritos, o recorde da instituição, com 10,5% mais candidatos do que neste ano. Emerson Arnault de Toledo, presidente da Comissão do Vestibular Unificado (CVU), explica que, no ano passado, o número de vestibulandos foi maior porque havia uma demanda reprimida para cursos como engenharia elétrica e comunicação social – multimeios, cujas primeiras vagas foram ofertadas no Vestibular de Verão 2010

Apesar do decréscimo de inscritos, a relação média de candidato por vaga aumentou porque, segundo Toledo, parte das cadeiras dos novos cursos já foram ofertadas no Vestibular de Inverno 2011, realizado no meio deste ano. Com isso, o número de vagas para o próximo concurso diminuiu, aumentando a concorrência. No ano passado, o número geral de candidatos por vaga era 8,39 e neste ano, 10,99.

PAS 2011

O Processo de Avaliação Seriada (UEM), outro concurso para o ingresso na universidade, recebeu 22.893 inscrições para as três etapas – a terceira será realizada pela primeira vez neste ano. O programa, um sistema de avaliação dos alunos nos três anos do Ensino Médio, começou em 2009 e destina 20% das vagas de cada curso, disponíveis no ano de ingresso na UEM, para os candidatos selecionados pelo processo. Neste ano, os alunos incluídos no PAS podem se candidatar a 750 vagas nos mais de 60 cursos

São 3.628 inscritos na terceira etapa, resultando numa relação média de candidato por vaga de 4,84. Os cursos mais concorridos são medicina (48,3 candidatos por vaga), arquitetura e urbanismo (23,8) e engenharia mecânica (16).

Para a primeira etapa são 12.194 inscritos, quantidade 11,85% maior do que a registrada no ano passado. Já para a segunda etapa, são 7.071 estudantes, número 21,03% do que o de 2010.

No total, 18 cursos apresentaram número de inscritos inferior ao número de vagas ofertadas pelo PAS, como filosofia, pedagogia (noturno) e química (licenciatura). Nesses casos, os candidatos precisam apenas não zerar as provas de alternativas múltiplas e conseguir, no mínimo, 24 pontos na redação para serem aprovados.

No PAS, a primeira etapa é disputada por estudantes do primeiro ano do ensino médio; a segunda etapa, por alunos do segundo ano; e a terceira etapa, por matriculados no terceiro ano.


Provas

As provas do Vestibular de Verão 2011 vão ocorrer de 11 a 13 de dezembro. No primeiro dia, os candidatos vão responder as questões de conhecimentos gerais (alternativas múltiplas). Já no segundo dia, serão testes de língua portuguesa, língua estrangeira, literatura e redação. No último dia, serão aplicadas provas de conhecimentos específicos (alternativas múltiplas) sobre duas matérias, de acordo com o curso escolhido.

As provas do PAS serão realizadas em uma única tarde no dia 20 de novembro. Os candidatos da terceira etapa respondem questões de alternativa múltiplas e redação.

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/vestibular/conteudo.phtml?id=1181443 

 

O Ministério Público informou nesta sexta-feira (7) que entrou uma ação civil pública ambiental, com pedido de liminar, contra a Universidade Estadual de Maringá (UEM) para suspender a utilização de cães para experimentos e outros procedimentos clínicos pelo curso de Odontologia. O caso chegou até a Promotoria de Justiça de Proteção ao Meio Ambiente, Fundações e Terceiro Setor por meio de um abaixo-assinado com cerca de 6 mil assinaturas.

Segundo a ação apresentada pelo promotor José Lafaieti Barbosa Tourinho, cães da raça beagle são mantidos em condições precárias de higiene no Biotério Central da UEM e utilizados em experimentos odontológicos dolorosos, sem anestesia adequada. Um laudo do Conselho Regional de Medicina Veterinária (CRMV-PR) também confirma as irregularidades. O MP acusa que os cães são sacrificados com overdose de anestésico e as carcaças são incineradas.

Beagles estão entre os animais mais usados em pesquisas científicas na UEM

Os cachorros da raça beagle estão entre os mais utilizados em pesquisas científicas na Universidade Estadual de Maringá (UEM). Embora a prática seja autorizada pela Lei nº 93 de 2008 e pelo decreto 6.899 de 2009, o assunto gera polêmica.

O abaixo-assinado que circula pela internet contra esta prática tem uma carta de apresentação assinada por Angela Lamas Rodrigues. Nela, a autora diz que a instituição escolhe beagles para experiências científicas pelo fato de que “sua doçura torna mais fácil o manuseio [do animal durante o trabalho]”.

Angela reconhece que a prática obedece as diretrizes nacionais, mas questiona a postura ética. “Os Beagles reproduzidos e manuseados no Biotério e nos laboratórios da UEM não podem, obviamente, se defender ou mesmo protestar contra os experimentos ou a favor de sua vida [sic]. Dessa forma, o que se apresenta não é uma conduta ética, mas um exercício de poder do forte contra o fraco, que se encontra submisso e dominado”, argumenta Angela no texto de apresentação do documento.

“A situação de maus-tratos aos animais é evidente, eis que o biotério não apresenta condições satisfatórias de higienização, os cães estão vulneráveis a condições climáticas (frio) e submetidos a uma superfície imprópria (dura e áspera); há medicamentos vencidos (alguns há quase 10 anos), reutilização de agulhas e seringas contaminadas, potencialmente causadoras de abscessos e dor; sofrem intenso estresse, com alterações comportamentais e físicas; o protocolo de eutanásia em ao menos um dos procedimentos se mostrou absolutamente inadequado, além de a anestesia geral ser realizada por leigo, em afronta ao artigo 47 da Lei de Contravenções Penais, podendo os animais sentir dor”, informa a ação.

Tecido semelhante ao dos humanos

O responsável pelo Departamento de Odontologia da UEM teria informado ao promotor os cães beagle estão sendo utilizados “porque é uma raça cujos tecidos e respostas teciduais são amplamente conhecidos pelos pesquisadores e semelhantes aos dos seres humanos”. No entanto, o Ministério Público argumenta que há métodos alternativos à experimentação animal, podendo-se citar os dados epidemiológicos e os testes em voluntários, com resultados mais eficazes do que os experimentos feitos em animais não humanos e que não causam o sofrimento e a morte.

Além da suspensão do uso de cães ou de qualquer outro animal em pesquisas do Departamento de Odontologia, o MP ainda defende disponibilização dos animais a entidades protetoras dos animais ou a pessoas idôneas que deverão se responsabilizar por suas guardas.

UEM não se manifestou

A reportagem entrou em contato com a assessoria de comunicação da UEM. A informação é de que a procuradoria jurídica da universidade não foi citada e que a instituição só vai se manifestar depois que for notificada.

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1177940 

Em setembro, entre os dias 11 e 14, a cidade de Maringá receberá o 7.º Colóquio de Moda, promovido pela Associação Brasileira de Estudos em Moda (Abepem) e realizado pela REDEModa, formada pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), Centro Universitário de Ma­­ringá (Cesumar), Unipar, Univer­sidade Estadual de Maringá (UEM) e Universidade Tecnológica Federal do Paraná (UTFPR).

O evento reunirá estudantes e pesquisadores de vários cursos de graduação e pós-graduação e ocorrerá no câmpus do Cesumar. O Colóquio de Moda foi criado em 2005 com o objetivo de se tornar um espaço privilegiado para discussão e divulgação da produção acadêmica de moda e suas interfaces, motivando o debate na área e contribuindo para o conhecimento e divulgação de pesquisas e estudos realizados. Góya Lopes, Laura Novik e Alessandra Vaccari são alguns nomes que estão inseridos na programação do evento. As inscrições vão até 30 de agosto no site www.coloquiomoda.com.br.

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/nocampus/conteudo.phtml?tl=1&id=1154937&tit=UEM-realiza-7-Coloquio-de-Moda 

Mais Artigos...