Sidebar

06
Qui, Ago

Gazeta do Povo
Tools

Nada de violência ou humilhação. Depois de casos graves denunciados em trotes, a modalidade solidária tem ganhado força, e boas ideias surgem em instituições de todo o Brasil. Além de desencadear a convivência entre calouros e veteranos, as iniciativas contribuem com a formação, a solidariedade e o meio ambiente. Confira alguns projetos:

Vassourada (1)

No ano passado, a integração dos novos alunos da Faculdade Doctum, em Vila Velha (ES), foi marcada pela arrecadação de garrafas pet. O material foi encaminhado para a União de Cegos Dom Pedro II, que usa garrafas na fabricação de vassouras ecológicas. Além de ajudar no recolhimento, os estudantes criaram um site para a divulgação permanente da campanha. Em Vitória, os alunos da instituição promoveram uma campanha – com caminhadas, panfletagem, coleta de assinaturas e roda de leitura com crianças – para conscientizar a população sobre o valor do voto.

Casa nova (2)

Reforma completa. É isso que acontece com as casas de famílias carentes de Ponta Grossa selecionadas por calouros e veteranos do Centro de Ensino Superior dos Campos Gerais (Cescage) como alvos da campanha Calouro Humano. Em uma ação conjunta dos alunos, as habitações passam por mudanças estéticas e estruturais, com a implantação de sistema de captação de água de chuva e aquecimento solar por meio de estrutura com garrafas pet.

Mar azul (3)

Uma parceria entre o Instituto EcoFaxina e a Universidade Santa Cecília, de Santos (SP), promove o trote solidário abaixo d’água. Com o Diretório Acadêmico de Biologia Marinha, os calouros são convidados a participar de uma ação de limpeza do ambiente marinho. Enquanto dão destino correto ao lixo recolhido no mar, os alunos aprendem mais sobre as espécies encontradas no passeio.

Mãos na massa

Limpeza, pintura, reforma e construção. Os alunos de Arquitetura e Urbanismo da Universidade Estadual de Maringá estão engajados neste ano com a reforma de uma creche da cidade. De acordo com Ricardo Dias Silva, diretor do Centro de Tecnologia, a escolha da instituição é feita pelos alunos do 2º ano. “Como em todos os anos, os estudantes levantam as demandas de uma instituição, propõem a intervenção, coletam recursos na comunidade e realizam a ação em conjunto”, diz.

Calouro sem dono

Pela sede da Universidade Federal do Rio de Janeiro não é difícil encontrar adesivos com a mensagem “Veterano não é dono de calouro!”. Segundo Tadeu Alencar, integrante do Diretório Central dos Estudantes, o objetivo da campanha é incentivar o trote da integração e não permitir trote machista, racista ou homofóbico. “Não tem problema pintar e fazer brincadeiras, desde que isso não sirva para humilhar”, conta.

Abaixo ao cigarro

Calouros e veteranos do Instituto Metropolitano de Ensino Superior (Univaço), de Ipatinga (MG), levantaram bandeiras contra o tabaco na acolhida aos recém-chegados à instituição. Os acadêmicos levaram a campanha às ruas e escolas da região, promoveram palestras e desenvolveram atividades educativas sobre os riscos do cigarro para a saúde.

Unidos por uma cadeira (4)

A vida do estudante Amilton Lira (foto), 38 anos, mudou com um trote. Cadeirante há 16 anos e com dificuldade de usar as mãos, ele dependia da ajuda de amigos e familiares até para ir às aulas de Direito na Fundação Educacional Machado de Assis, em Santa Rosa (RS), onde estuda. Pela iniciativa dos colegas, a recepção dos calouros em 2012 foi baseada em uma campanha para arrecadar dinheiro para comprar uma cadeira de rodas motorizada para Lira. Neste ano, os alunos farão uma passeata em homenagem às vítimas de Santa Maria.

Hora do lanche (5)

Além das atividades promovidas pela PUCPR, como palestras, arrecadação de alimentos, doação de sangue e cadastro para doação de medula óssea, vários cursos organizam ações próprias para recepcionar os calouros. A turma de Gastronomia, por exemplo, preparou em 2012 um lanche especial (foto) para as crianças do Centro Social Eunice Benato e desta vez o local selecionado foi o Asilo São Vicente de Paula. Outras ações têm o intermédio da Pastoral da PUCPR, como a reforma do parquinho de uma escola feita pelas turmas de Arquitetura no ano passado.

Competição do bem (6)

Alunos de todos os períodos do curso de Administração da Faculdade Dinâmica das Cataratas, em Foz do Iguaçu, participam de uma competição de arrecadação de donativos para serem distribuídos a entidades carentes. No ano passado, os estudantes arrecadaram cinco toneladas de alimentos não perecíveis. O encerramento do trote solidário ocorre com um almoço de confraternização organizado pelos próprios acadêmicos.

Prêmio reconhece boas ideias de trote solidário em todo o país

Até o dia 5 de abril estão abertas as inscrições para o prêmio Trote da Cidadania, criado há 14 anos pelo grupo DPaschoal, rede de serviços automotivos. A coordenadora do prêmio, Marina Carvalho, conta que a iniciativa visa reconhecer e incentivar boas práticas de recepção de novos alunos nas universidades. Entre os prêmios para as universidades e os alunos selecionados estão iPads e iPods, além de participação em workshop de empreendedorismo e cidadania na sede da DPaschoal, em Campinas (SP). Entre os trotes destacados nesta página, as ideias da cadeira de rodas, do antitabagismo, da vassoura ecológica e do voto consciente concorreram ao prêmio em anos anteriores. As inscrições de projetos podem ser feitas pelo site www.trotedacidadania.org.br.

>>> Mais algum? Você conhece outras ideias que incentivam o trote solidário? Como elas são? Deixe seu comentário!

http://www.gazetadopovo.com.br/vida-universidade/nocampus/conteudo.phtml?tl=1&id=1347526&tit=Sem-lama-sem-tinta-e-sem-ovo