Gazeta do Povo
Tools

Os servidores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) deflagaram greve por tempo indeterminado nesta terça-feira (11). De acordo com o Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensinos de Maringá (Sinteemar), cerca de 80% do quadro dos funcionários aderiram à paralisação.

O secretário do Sinteemar, Almir Carvalho de Oliveira, afirma que a paralisação já afeta alguns serviços da biblioteca do campus de Maringá, do Restaurante Universitário (RU) e do Hospital Universitário (HU).

De acordo com Oliveira, os serviços de laboratórios de pesquisas permanecem em funcionamento nesta terça-feira (11), mas também devem parar nos próximos dias. A greve deve afetar todos os alunos dos campi da universidade. “Sem esses serviços técnicos não há possibilidade de os professores continuarem com as aulas.”

A principal reivindicação dos funcionários é um novo Plano de Cargos, Carreira e Salários (PCCS) e a realização de concursos para novas contratações. “Queremos ser atendidos e tratados como os professores. Queremos a mesma atenção para resolver os nossos problemas”, defende Oliveira.

De acordo com secretário, a falta de funcionários sobrecarrega os servidores atuais, afetando, também, a qualidade dos serviços prestados. Para ele, o governo estadual prometeu discutir as reivindicações dos servidores no mesmo projeto de lei que atendeu às solicitações dos docentes das universidades estaduais, no final de agosto. “Eles já voltaram atrás algumas vezes. Marcam conversa com nossos representantes estaduais e desmarcam.”

Ainda segundo Almir de Oliveira, os servidores da UEM querem que o atual reitor, Júlio Santiago Prates Filho, trate com mais atenção e defenda as reivindicações dos funcionários. “A universidade é um todo que depende, além de professores e alunos, dos funcionários. Posso afirmar que nunca fomos tão desassistidos como na atual gestão.”

Em nota, a reitoria afirma “vir a público manifestar seu apoio às reivindicações apresentadas, solidarizando-se com os objetivos do movimento que busca a devida valorização dos Agentes Universitários por meio da reformulação do Plano de Cargos, Carreira e Salários.”

No mesmo documento, a reitoria garante interesse de alcançar o mais breve retorno à normalidade, sobretudo das atividades essenciais, como as desenvolvidas no HU. “A UEM está mantendo contato com os reitores das universidades e governo estadual para que as reivindicações sejam prontamente atendidas.”

http://www.gazetadopovo.com.br/vidaecidadania/conteudo.phtml?id=1296085