Gazeta do Povo
Tools

Nesta segunda-feira, os vestibulandos da UEM fazem prova de Português, Línguas e Redação

 

A Polícia Militar de Maringá, Noroeste do estado, registrou mais de 50 ocorrências de consumo de bebida alcoólica no entorno da Universidade Estadual de Maringá no domingo (30). A situação é ilegal, uma vez que desde sexta-feira (29) foi estabelecida a Lei Seca (proibição de venda ou consumo de bebidas alcóolicas) na região, cumprindo a determinação da Lei Municipal 8405/2008.

Segundo o tenente Rodrigo dos Santos Pereira, comandante da força-tarefa que está fazendo um reforço policial durante o vestibular, houve apenas a apreensão das bebidas, mas, caso a pessoa seja flagrada novamente, poderá ser detida por desobediência. Na sexta-feira (29), dois traficantes foram presos, e no sábado, um.

A Lei Seca acabará à meia-noite de terça-feira (02), último dia do vestibular. Segundo o tenente Pereira, a operação deixou o período de provas mais tranqüilo. A força-tarefa foi criada com a intenção é evitar tumulto e aglomerações, que tanto incomodavam os moradores da Zona 7, onde está situada a universidade. A Lei Seca entrou em vigor durante o período do Vestibular de Inverno 2008, realizado em julho deste ano.

A multa é de R$ 5 mil para estabelecimentos que venderem bebida alcoólica e R$ 500 para ambulantes. A pessoa que estiver ingerindo bebidas alcoólicas nas vias públicas terá o produto apreendido ou descartado. Casos mais graves serão encaminhados à 9ª Subdivisão Policial (SDP).

Provas

No segundo dia de vestibular da Universidade Estadual de Maringá, no Noroeste do estado, os vestibulandos farão provas de Português, Língua Estrangeira e Redação. No domingo (30), quando foram realizados testes de Conhecimentos Gerais, dos 16.657 inscritos, 1332 não compareceram, quase 8% dos candidatos. O índice de abstenções e o gabarito oficial da prova desta segunda-feira serão divulgados no site da UEM por volta das 15h.

Segundo presidente da Comissão de Vestibular Unificado, Duarte Andrade, o índice de faltosos está dentro da média esperada. “A maioria dos que não comparecem à prova é por que não conseguiu chegar no horário certo. No entanto, este ano teve um fator novo. Muitos candidatos de Santa Catarina ligaram comunicando que não conseguiriam chegar à prova, devido a situação em que suas cidades se encontram”, conta. Duarte não soube especificar quantos alunos do estado faltaram devido às enchentes. Na terça-feira (02) serão feitas as últimas provas, com testes de Conhecimentos Específicos, que variam de acordo com o curso escolhido pelo vestibulando. O trânsito na cidade está tranqüilo, no entanto, o presidente da Comissão de Vestibular Unificado aconselha que os candidatos cheguem com antecedência no local. As provas começam às 8h50 e se estendem até às 13h.