Gazeta do Povo
Tools

Um projeto pioneiro de moradia popular para idosos deve ser entregue, até o fim do ano, em Maringá, no Noroeste do estado. O condomínio de 40 casas, com 40 metros quadrados cada uma, está sendo construído no bairro Cidade Nova. A segunda fase prevê ainda um prédio de apartamentos. Desenvolvidos em parceria com o curso de Arquitetura da Universidade Estadual de Maringá, os imóveis foram projetados para garantir total acessibilidade aos idosos, inclusive na disposição dos cômodos e móveis na parte interna, para evitar acidentes. “Vamos dar todas as condições dos próprios idosos gerenciarem o seu cotidiano”, explicou o coordenador de Políticas Urbanas da prefeitura, Jurandir Guatassara Boeira.

As unidades não serão vendidas. A distribuição das moradias vai seguir critérios de seleção que vão avaliar a vulnerabilidade do idoso, condição social, estado civil e abandono familiar. Cada morador vai pagar uma taxa mensal de 20% do salário mínimo. Ao ser desocupado, o imóvel será repassado ao próximo candidato cadastrado na prefeitura. Cerca de 200 idosos já se inscreveram para o programa.

Em uma área total de 1,8 mil metros quadrados, o condomínio vai incluir ainda instalações para um refeitório, lavanderia, praças e uma Aca-demia da Terceira Idade (ATI), conjunto de equipamentos de ginástica dirigido à terceira idade que a prefeitura mantém em áreas públicas. A primeira fase está orçada em R$ 1,48 milhão. O projeto é uma parceria entre o governo federal (R$ 802 mil) e a prefeitura municipal (R$ 682 mil).