Gazeta do Povo
Tools

 

 

 

 

 

O dia ontem foi de muito trabalho em Maringá, para os reparos dos danos causados pelo temporal de granizo da última segunda-feira. Os trabalhos devem prosseguir até o fim da semana. Mais de 1,2 mil casas sofreram danos. Hoje será decretado estado de emergência. A prefeitura deve comprar 10 mil telhas para entregá-las entre hoje e amanhã.

As secretarias municipais de Serviços Públicos e de Assistências Social, o Corpo de Bombeiros e a Defesa Civil mobilizaram cerca de 50 pessoas, divididas em dez equipes, que saíram pelos bairros vistoriando casas, entrevistando moradores, tirando fotos e fazendo relatórios para avaliar quais são as principais necessidades. Até o fim da tarde de ontem o Corpo de Bombeiros tinha 1,2 mil pedidos de auxílio.

Foram distribuídos em menos de dois dias mais de 14 mil metros de lona para cobrir telhados e móveis. Era esperada até a manhã de hoje a chegada de mais 10 mil metros. A prefeitura trabalhou com mais de 300 funcionários e 22 veículos para remover dez árvores que caíram e limpar as ruas que ficaram cobertas por folhas.

Com a casa destelhada pela terceira vez, no Jardim Alvorada, o aposentado José Correia Guimarães gastou cerca de R$ 2 mil do próprio bolso para comprar telhas mais grossas. A família Silva, do bairro Tuiuti, só conseguiu comprar telhas em Jandaia do Sul, a cerca de 50 quilômetros de Maringá, pois não havia mais nenhum depósito na cidade com o produto em estoque. O movimento também aumentou nas vidraçarias porque o granizo quebrou diversas vidraças.

Parte do teto do hipermercado Big desabou e o local deve só reabrir no fim de semana. No Parque de Exposições Francisco Feio Ribeiro, 18 pavilhões tiveram as telhas de amianto quebradas. Arnoldo de Oliveira Júnior, diretor da Sociedade Rural de Maringá, estimou um prejuízo de R$ 250 mil. A troca das 7 mil telhas começou ontem para não atrapalhar a 36ª Expoingá, no mês que vem.

A Estação Climatológica da Universidade Estadual de Maringá registrou chuva de 30,8 mm e ventos de 79,2 km/h entre a tarde de segunda-feira e a manhã de ontem. Em alguns pontos da cidade caíram pedras do tamanho de um ovo de galinha. O fenômeno foi registrado das 14h58 às 15h06 do dia 21.

O Instituto Tecnológico Simepar prevê que a temperatura aumente no Paraná e pare de chover até o fim de semana. O tempo nublado, com possíveis chuvas, permanece na maioria das regiões do estado até amanhã.