Sidebar

22
Seg, Abr

Os aprovados exercerão a função no campus de Maringá por no máximo 2 anos. (Foto: Arquivo/Gazeta do Povo)

Estão abertas as inscrições do processo seletivo para advogados da Universidade Estadual de Maringá – UEM, no estado do Paraná. Conforme o edital de abertura, a seleção terá 5 vagas imediatas.

As inscrições serão recebidas entre os dias 15 e 29/10/2018 no site da própria universidade, com taxa de participação no valor de R$ 65,07. Os aprovados serão empregados temporários regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) e contratados por até pelo prazo máximo de 2 anos, já considerando as prorrogações permitidas em lei.

Os candidatos farão provas objetiva e dissertativa em Maringá no dia 11 de novembro de 2018, com posterior prova de títulos e avaliação de currículo. A prova objetiva compreenderá 40 questões de Estatuto da Criança e do Adolescente, Língua Portuguesa e Conhecimentos Específicos. Já a prova dissertativa será a elaboração de uma peça processual.

https://www.gazetadopovo.com.br/blogs/concurseiros/2018/10/17/universidade-estadual-de-maringa-abre-processo-seletivo-para-advogados/

Inscrições vão até o dia 4 de outubro

UEM oferece mais de 1.500 vagas para cerca de 60 cursos - Foto:Ivan Amorin/Agência de Notícias Gazeta do Povo

As inscrições para o Vestibular de Verão da Universidade Estadual de Maringá (UEM) já estão abertas. Desde a última segunda-feira, os estudantes que querem ingressar no Ensino Superior podem se candidatar a uma das 1.518 vagas oferecidas pela instituição. As inscrições devem ser feitas exclusivamente pela internet até o dia 4 de outubro.

A taxa de inscrição é de R$ 150 e deve ser paga até o dia 8 de outubro. E as provas acontecem já na sequência. De acordo com a UEM, o processo seletivo está agendado para os dias 9, 10 e 11 de outubro. O resultado está programado para sair no próximo dia 30 de janeiro.

Do total de vagas disponibilizados para os mais de 60 cursos de graduação oferecidos, a universidade destinou 287 delas para cotas sociais, beneficiando candidatos que estudaram apenas em escola pública e têm baixa renda.

Além disso, a universidade anunciou que vai disponibilizar um aplicativo para que o usuário possa acompanhar o processo de efetivação. Com isso, ele pode checar o local de prova, informações sobre concorrência para o curso escolhidos, assim como o desempenho no vestibular e alerta de resultados. O app Vestibular da UEM pode ser baixado gratuitamente para Android e iOS.

Isenção

Os estudantes que estão inscritos no Cadastro Único para programas Sociais do Governo Federal (CadÚnico) com ganhos de até meio salário mínimo por pessoa ou renda total familiar de até três salários mínimos mensais. O pedido deve ser feito entre os dias 4 e 10 de setembro.

Para solicitar o benefício é necessário acessar a página da UEM, imprimir e preencher o requerimento para isenção da taxa de inscrição e encaminhar o documento à Comissão de Vestibular Unificado da universidade.

https://www.gazetadopovo.com.br/curitiba/uem-abre-inscricoes-para-vestibular-de-verao-cldgrk84bno96id5qa9i6n0vo/

Projeto foi enviado pelo Executivo em junho e alterado pelos deputados estaduais (Foto: José Fernando Ogura/ANPr)

A governadora Cida Borghetti (PP) vetou parcialmente um projeto de lei que trata da TIDE (Tempo Integral e Dedicação Exclusiva) dos professores universitários. Além de pacificar o entendimento da TIDE como regime de trabalho dos professores com dedicação exclusiva e em tempo integral, o projeto permitia sua incorporação na aposentadoria dos docentes.

O texto foi enviado pelo próprio governo à Assembleia Legislativa no mês de junho, entretanto, um substitutivo geral foi aprovado pelos parlamentares. Com a mudança, a avaliação do governo é que o projeto de lei passou a ter pontos inconstitucionais.

LEIA MAIS: Em campanha, Cida vê cheio caixa que Richa dizia estar vazio

Um dos pontos criticados pelo texto do veto é a flexibilização de atividades paralelas que poderiam ser realizadas pelos professores em dedicação exclusiva. Segundo o governo, as modificações feitas no texto possibilitariam que os docentes tivessem um total anual de 1984 horas de atividades excepcionais.

“O que o substitutivo propõe, em linhas gerais, é um regime de dedicação exclusiva em que os docentes possam exercer, paralelamente à docência nas instituições de ensino superior, praticamente toda e qualquer atividade, durante praticamente todo o tempo que desejarem”, diz o veto.

Outro ponto destacado pelo Executivo é a respeito da possibilidade de os professores empregados em regime de dedicação exclusiva assumirem cargos em comissão no governo estadual.

“Não faz sentido que alguém receba uma remuneração bastante superior à ordinária, pelo exercício de atividade em regime de tempo integral e dedicação exclusiva, e, ainda assim, exerça, concomitantemente, um cargo em comissão no âmbito do Governo Estadual”, diz o veto assinado por Cida Borghetti.

Reação dos reitores

Nesta segunda-feira (16), reitores de universidades estaduais reagiram à medida ainda com certa cautela. O reitor da Universidade Estadual de Londrina, Sérgio Carvalho, publicou um vídeo no site da instituição afirmando ter recebido os vetos com surpresa. Segundo ele, os reitores das universidades estaduais vão se reunir para traçar uma “estratégia de atuação conjunta das universidades para retirar os vetos, se não na totalidade, aqueles que são mais prejudiciais a carreira docente”.

Mauro Baesso, reitor da Universidade Estadual de Maringá, também em um vídeo publicado no site da instituição comentou o veto. Segundo ele, a ação do governo faz com que a discussão volte ao estado inicial. Ele informou que na terça-feira (17) os reitores das sete universidades estaduais vão se reunir e, posteriormente, irão à Assembleia Legislativa onde se encontrarão com deputados. Baesso qualificou os vetos como uma ação “muito grave”.

A situação é mais um episódio que desgasta a relação do governo com os professores universitários. Após a imposição da adoção do sistema Meta-4 na gestão das universidades, governo e instituições de ensino tem tido diversos conflitos. Em março, por exemplo, algumas universidades tiveram que suspender o início do calendário acadêmico porque o governo não havia liberado a contratação de carga horária suficiente para o funcionamento regular das instituições.

https://www.gazetadopovo.com.br/blogs/joao-frey/2018/07/16/cida-veta-lei-sobre-carreira-e-compra-briga-com-professores-universitarios/

Universidade liberou os resultados de três provas: Vestibular de Verão 2017, Vestibular EAD e última etapa do Processo de Avaliação Seriada (PAS)

 

Saiu nesta terça-feira (30) o resultado dos processos seletivos da Universidade Estadual de Maringá (UEM). Além do Vestibular de Verão 2017, também foram divulgados pela instituição os nomes dos aprovados no Vestibular EAD e na última etapa do Processo de Avaliação Seriada (PAS). Para conferir os nomes, basta acessar o site da instituição.

 

Quem foi aprovado deve fazer a matrícula nos dias 5 e 6 de fevereiro, por meio do site da Diretoria de Assuntos Acadêmicos (DAA) da universidade. Não será aceita matrículas por outros canais. As aulas terão início no dia 12 de março.

De acordo com a UEM, vestibulandos que não foram aprovados nesta primeira etapa podem esperar pelo resultado da segunda chamada. Essa etapa será divulgada no dia 19 de fevereiro, também no dite da DAA. Já a consulta ao desempenho nas provas, nos três concursos, fica disponível no portal até o dia 28 de fevereiro.

PAS

Estudantes que fizeram a primeira e a segunda etapas do PAS já podem verificar as notas da redação desde o dia 29 de janeiro. O resultado final, enquanto isso, sai no dia 9 de fevereiro, às 10h.

Para mais informações, basta entrar em contato com a Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU) da UEM, pelo fone (44) 3011-4450.

http://www.gazetadopovo.com.br/curitiba/uemdivulga-lista-de-aprovados-nos-vestibulares-para-ingresso-em-2018-a8h0xe9arxakyy8kon18l7xjk

Ela foi levada à delegacia e liberada; agora, terá de responder a sindicância da instituição de ensino

Uma aluna de mestrado da Universidade Estadual de Maringá (UEM) foi flagrada pichando uma parede da instituição de ensino. A jovem acabou detida e foi liberada após prestar depoimento.

O flagrante foi feito na madrugada de terça-feira, em um prédio que abriga várias salas de aula. Acompanhada de uma amiga, a estudante do curso de Enfermagem usou um spray de tinta para começar uma pichação – mas foi surpreendida por um vigilante. A Polícia Militar foi acionada e levou as duas à delegacia, onde um boletim de ocorrência foi registrado. 

A universidade informou à Gazeta do Povo que uma sindicância foi aberta para apurar o ocorrido e decidir por uma eventual punição. 

De acordo com o chefe da equipe de vigilância da UEM, Francisco Dourado da Silva, a jovem apresentava sintomas de embriaguez. 

Ainda segundo Francisco, as pichações surgem com frequência nas paredes do campus: “Sempre está aparecendo essas coisas, porque é um pessoal que vem nas escuras e picha. Quando a gente descobre e tenta pegar, não consegue porque eles são muito rápidos”, explica.

http://www.gazetadopovo.com.br/educacao/aluna-de-mestrado-e-detida-fazendo-pichacao-em-universidade-d5y180jium20o7f75uy1yaglr

Mais Artigos...