Sidebar

12
Dom, Jul

Hoje Maringá
Tools


O ministro do Planejamento, Paulo Bernardo, cumpriu agenda de inaugurações ontem em Maringá: o projeto de Acessibilidade das Instalações Educacionais, na Universidade Estadual de Maringá (UEM), e o lançamento do projeto Extensão Industrial Exportadora (PEIEx) na sede do Sindicato da Indústria do Vestuário (Sindivest). O ministro esteve acompanhado do secretário do Planejamento, Ênio Verri, que recebeu a imprensa no escritório político.

Paulo Bernardo comentou vários assuntos como o avanço das obras no Novo Centro e as idealizações feitas acerca do tema pelo falecido prefeito, José Cláudio. Sobre as obras do Contorno Norte, ele disse que a tendência final do governo é não ter mais obras para inaugurar. Ele ressaltou que a irregularidade já foi corrigida e que a empresa de fiscalização já foi contratada para monitorar a empreiteira. O próximo passo do governo Lula será implantar em Maringá o projeto federal “Minha Casa, Minha Vida”.

O político explicou o objetivo de incentivar os gastos públicos como estratégia diante da crise. “O Brasil é um país complexo de realidade tão diversa e a solução precisa ser diversificada”, comparou. Segundo ele, o Brasil está sólido, não precisou de ajuda financeira externa. “Não vamos aumentar impostos, estamos desenvolvendo projetos para Educação, projeto de infraestrutura como o PAC (Projeto de Aceleração do Crescimento), estamos investindo muito”, completou.

Projeto de Acessibilidade

O Projeto de Acessibilidade das Instalações Educacionais, na Universidade Estadual de Maringá (UEM) é uma iniciativa do governo do Paraná. O projeto propõe ações que garantem o acesso a pessoas com necessidades especiais às instituições de ensino superior públicas. O objetivo é a realização de reformas para a adequação dos espaços físicos e a aquisição de material didático específico para a acessibilidade: instalação de elevadores, plataformas verticais e rampas de acessos nos blocos, além da compra de ônibus adaptados a cadeirantes e materiais didáticos, como computadores, impressoras e máquinas de escrever em braile.

Na ocasião, houve a liberação dos recursos para a realização das obras propostas. O investimento total no projeto é de aproximadamente R$ 1,5 milhão. Os recursos são provenientes de emendas parlamentares da bancada do Paraná, na Câmara dos Deputados, de fundos dos ministérios da Educação e do Planejamento, além de verbas do governo do Paraná e secretarias do Planejamento e da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior (Seti).

Incentivo à Exportação

As autoridades políticas também participaram do lançamento do Projeto Extensão Industrial Exportadora (PEIEx) na sede do Sindicato da Indústria do Vestuário (Sindivest). O Projeto é o resultado de um convênio entre a Secretaria de Estado da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior e a Agência Brasileira de Exportação (Apex Brasil), tendo a Fundação Araucária e a Universidade Estadual de Maringá como executoras.

Serão cadastradas 224 empresas do setor de confecção instaladas em Maringá e nos municípios da área de abrangência da Associação do Municípios do Setentrião Paranaense (Amusep). O processo de assessoramento às empresas será gratuito para o empresário. O que se pretende é ajudar a empresa a se organizar melhor, diminuir custos, modernizar processos e aumentar a competitividade no mercado. Exportar ou não será uma consequência natural do processo. Serão investidos inicialmente R$ 400 mil para pagamento de pessoal, compra de equipamentos de informática e outras necessidades para o funcionamento do escritório, na sede do Sindivest.