Sidebar

13
Qua, Nov

O Conselho de Ensino, Pesquisa e Extensão (CEP), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), aprovou, ontem (20), algumas propostas, sugeridas pela Comissão Central do Vestibular Unificado (CVU), para alterar o regulamento do processo seletivo visando o ingresso nos cursos de graduação da UEM, com vigência a partir de 2019.

As mudanças buscam aumentar a participação de candidatos no processo, reduzir custos com a logística da aplicação das provas, e permitir maior alinhamento com outros processos de ingresso em cursos de graduação no País. 

O vice-reitor da UEM, Ricardo Dias, destaca que o objetivo das mudanças é estimular que um maior número de concluintes do ensino médio tenham acesso à universidade pública e que os recursos para a realização dos vestibulares sejam melhor empregados. 

Uma das alterações é reduzir a duração do Vestibular de três para dois dias e realizar as provas no período da tarde. Nos anos anteriores, o concurso ocorria pela manhã, com duração de quatro horas. O tempo de prova passa a ser de até cinco horas. 

Desta maneira, o processo seletivo ocorrerá em  dois dias consecutivos, composto pelas seguintes provas: no primeiro dia do Vestibular, os candidatos farão as provas de Conhecimentos Gerais (40 questões objetivas interdisciplinares) e de Redação. 

No segundo dia, serão aplicadas as provas objetivas de Língua Portuguesa (10 questões), Literaturas em Língua Portuguesa (5 questões), Língua Estrangeira (5 questões) e Conhecimentos Específicos (30 questões - 15 de cada matéria, definida pelo Conselho Acadêmico de cada curso). 

O Vestibular de Inverno ocorrerá nos dias 14  e 15 de julho. As inscrições, pela Internet, serão aceitas de 8 de abril a 8 de maio.

A presidente da CVU, Maria Raquel Natali, esclarece que outras ações devem ocorrer no futuro visando à melhoria do processo seletivo e que uma comissão de especialistas deverá encaminhar sugestões a serem apreciadas pela CVU, Pró-Reitoria de Ensino (PEN) e, posteriormente, pelo CEP.

Vale lembrar, ainda, que o programa de provas dos vestibulares de Inverno, de Verão e do PAS está disponível no site. Outras informações sobre as mudanças aprovadas pelo CEP irão constar no site da CVU, após a publicação da resolução do Conselho.

(Com assessoria de imprensa da UEM)

https://d.odiario.com/maringa/748370/vestibular-da-uem-passara-de-3-para-2-dias-e-as-provas-serao-a-tarde

Está nas mãos do reitor Julio Damasceno definir se vai manter a atual punição ou reconsiderar e aplicar as sanções previstas, no relatório final da comissão de sindicância, para os dois professores do Departamento de História da Universidade Estadual de Maringá (UEM), que foram alvos da investigação após denúncias de assédio sexual contra alunas em 2016.

A reviravolta veio na noite de ontem (11), quando o Conselho de Administração (CAD) da instituição acatou recurso apresentado pelo Diretório Central dos Estudos (DCE) e pelos departamentos de Letras e Psicologia contra a resolução assinada pelo ex-reitor Mauro Baesso. Em março de 2018, o então reitor considerou parcialmente o relatório final da comissão, aplicando punições consideradas "mais brandas" aos professores denunciados. 

Itamar Flávio da Silveira foi repreendido e Moacir José da Silva, suspenso por 90 dias, sem remuneração. Já a comissão sugeriu que Itamar recebesse a suspensão por 90 dias, sem remuneração e que Moacir fosse demitido do quadro de servidores. 

"Agora o processo será submetido à reavaliação. Esperamos que o novo reitor dê uma resposta diferente às comunidades interna e externa. Os casos são extremamente graves e não merecem penas abrandadas", diz Cassiano Machado Goes, membro do DCE e representante dos discentes no CAD. 

PROTESTOS MARCARAM CERIMÔNIA DE COLAÇÃO DE GRAU DA UEM, NO INÍCIO DE 2018

De acordo com a assessoria de imprensa da UEM, não há um prazo para a análise do processo, que também será novamente avaliado pelo departamento jurídico. Se o reitor decidir manter a portaria assinada por Baesso, segue para validação do Conselho Universitário. Em caso contrário, abre-se o prazo recursal para a defesa dos professores.

Na portaria, Baesso considerou que "após detida análise do conjunto probatório, verifico que as sanções disciplinares sugeridas pela comissão processante não guardam proporcionalidade com as naturezas das infrações efetivamente comprovadas nos autos."

À época, por meio de nota, a defesa dos docentes destacou que os professores possuíam mais de duas décadas de serviço público honrado e reputação ilibada, mas que num “estalar de dedos” passaram a ser chamados de abusadores.

“O acolhimento parcial do nefasto relatório da comissão processante pela reitoria da UEM se deu unicamente por pressões exercidas por movimentos raciais previamente ensaiados”, dizia a nota.

Itamar está aposentado desde o dia 1º de janeiro deste ano. Já o professor Moacir segue com as atividades na docência.   

https://d.odiario.com/maringa/736868/cad-acata-recurso-e-caso-sobre-assedio-contra-alunas-volta-para-reitor

Anualmente, a UEM (Universidade Estadual de Maringá) forma mais de dois mil profissionais nos cursos de graduação que a instituição mantém. Presenciais e a distância. O calendário da 62º Colação de Grau Conjunta inicia nesta quinta-feira, dia 7, e encerra no dia 22 de fevereiro.  Uma novidade este ano é que as solenidades dos cursos a distância e presenciais serão realizadas no mesmo dia. Os formandos EAD participam da colação no câmpus mais próximo do polo de apoio presencial em que está matriculado.

Os primeiros a receberem o diploma da UEM neste ciclo são os oito formados do Câmpus Regional do Arenito, em Cidade Gaúcha. A cerimônia será realizada amanhã (7/02) no auditório do Câmpus, com início às 19 horas. O professor Marcelo Alessandro Araújo é o paraninfo geral.  Entre os formandos estão alunos do curso de Engenharia Agrícola e de dois cursos EAD do polo de Cidade Gaúcha.

Na sexta-feira, dia 8, a UEM entrega mais 37 diplomas na cerimônia do Câmpus Regional do Vale do Ivaí, que será realizada no Ginásio de Esportes Sapecadão, em Ivaiporã, a partir das 19 horas. A professora Paula Marçal Natali foi escolhida como paraninfa geral. Os formandos são dos cursos de Educação Física (12), História (8), Serviço Social (15), além de Letras (1) e Pedagogia (1)  EAD, do polo de Siqueira Campos.

O calendário de formaturas segue na semana seguinte, nos dia 13, 14 e 15 de fevereiro, nos Câmpus Regionais de Goioerê, Umuarama e Cianorte respectivamente. No dia 13 também colam grau os formandos dos cursos EAD dos polos de Goioerê, Flor da Serra do Sul, Nova Santa Rosa e Ubiratã. No dia 14 dos polos de Umuarama e Cruzeiro do Oeste.

A entrega dos diplomas da turma de 2018 termina nos dias 21 e 22 de fevereiro para os alunos dos cursos oferecidos no câmpus sede e também para os matriculados em 20 polos presenciais dos cursos EAD.

Vale lembrar que a UEM já realizou algumas formaturas antecipadas, que geralmente atende graduandos que passaram em cursos de pós ou concursos públicos e necessitam ter em mãos o diploma antes da data marcada para colação conjunta. No total ocorreram oito solenidades.

https://d.odiario.com/maringa/736559/uem-realiza-primeira-colacao-de-grau-conjunta

O Cursinho UEM (Universidade Estadual de Maringá) está com pré-inscrições abertas para a nova turma do semiextensivo preparatório para o vestibular. Inicialmente serão ofertadas 100 vagas, podendo ampliar esse número conforme a disponibilidade de salas. Os interessados têm até 20 de fevereiro para fazer a pré-inscrição pelo site www.cursinhouem.com.br.

As aulas serão ofertadas de segunda a sexta-feira no período noturno, das 19 às 23 horas, no Bloco 33, no campus de Maringá. A previsão é que o semiextensivo comece no dia 20 de março e se estenda até 15 de julho.

As vagas são para servidores e dependentes de servidores da Universidade e também para a comunidade externa em geral. Há reserva de 20% das vagas para candidatos que se autodeclarem afrodescendente ou indígena.

Segundo a coordenação do cursinho, o principal critério de seleção é a idade, com prioridade para os candidatos mais velhos, ou seja, que estão mais tempo longe das salas de aula.

No dia 20 de fevereiro será publicada a lista com o nome dos selecionados, que terão prazo até 27 de fevereiro para efetivar a matrícula. Também estão previstas novas chamadas caso as vagas não sejam totalmente preenchidas.

Os custos do Cursinho UEM são acessíveis e variam conforme a categoria na qual o candidato pré-inscrito for selecionado e matriculado. Servidor ou dependente de servidor da UEM paga quatro 4 parcelas de R$ 96,00; cotistas ou ex-alunos quatro parcelas de R$ 110,00; comunidade externa quatro parcelas de R$ 131,00.

Historicamente, o Cursinho conta com um percentual de aprovação de cerca de 30% nos vestibulares da UEM. Em 2018, as aprovações foram nos cursos de Direito, Medicina Veterinária, Enfermagem, Economia, Psicologia, Agronomia, Artes Visuais, Comunicação e Multimeios, Administração, História, Geografia dentre outros. Destaque ainda para a primeira colocação em Informática e a segunda colocação nos cursos de Tecnologia em Biotecnologia e Pedagogia.

Para outras informações acesse o site do Cursinho da UEM ou entre em contato pelo fone (44) 3011-4210.

https://d.odiario.com/maringa/736448/cursinho-da-uem-abre-pre-inscricoes

A Secretaria Municipal de Meio Ambiente e Bem-Estar Animal (Sema) poderá aplicar uma multa que varia de R$ 1 mil a R$ 10 mil por árvore cortada ilegalmente no campus da Universidade Estadual de Maringá (UEM). A pasta recebeu a denúncia e foi fiscalizar o local tanto na quarta-feira, 30, como ontem, 31, para fazer o levantamento correto de quantas árvores haviam sido cortadas. "Ainda estamos na fase de levantamento. Além de números, precisamos saber quais eram as espécies. Nossa equipe também percorreu outros pontos da instituição para verificar se não haviam mais árvores cortadas", explica Erival Adorno, gerente de Fiscalização da Sema.

O levantamento detalhado poderá sair nesta sexta-feira, 1º, com os valores corretos. "O valor da multa varia de acordo com a espécie, se é nativa, ou não, se é rara, entre outros detalhes que avaliamos", acrescenta.

Por lei, é permanentemente proibido o corte de árvores na cidade, seja no passeio público ou imóvel no perímetro urbano, sem a autorização da prefeitura. A ação acarreta em punição com multa.

O corte de cerca de dez árvores deixou a classe acadêmica e demais simpatizantes da causa ambiental revoltados, e as pessoas têm se mobilizado por meio da internet para preencherem um abaixo-assinado com intuito de proibir outras podas. Foram algumas espécies, mas entre elas, está um pau-brasil, planta rara, protegida por lei, que foi cortado com sinais de motosserra. A árvore ícone nacional marca a 30ª turma do curso de Zootecnia da instituição, em agosto de 1994. A suspeita geral era que os cortes teriam sido feitos a pedido da reitoria, mas de acordo com a própria UEM, a informação não procede e ainda não se sabe quem tomou a iniciativa.

Segundo Elenice Tavares Abreu, assessora ambiental da universidade, a instituição irá fazer o replantio do mesmo número de árvores e espécies que foram retiradas do local, com ou sem a identificação do autor dos cortes. "Também não sabemos quem foi. Estamos em apuração do caso, mas independente disso, faremos o replantio", relata.

Ainda de acordo com ela, com relação a multa, assim que a UEM for notificada, ela terá 30 dias para apresentar a defesa. "Imagino que até lá, esse assunto já estará esclarecido. Não foi um ato da administração da universidade", diz.

Outra questão é o mato alto do campus. A assessora ambiental informa, que, os meses de dezembro e janeiro, típicos de chuva, fizeram com que o mato crescesse rápido.

Mas a UEM deverá roçar o campus para a retomada das aulas.

https://d.odiario.com/maringa/734861/multas-podem-chegar-a-r-100-mil

Mais Artigos...