Sidebar

28
Qua, Out

O Diário do Norte do Paraná
Tools

Hospital quer se dedicar mais aos atendimentos de alta complexidade. Os casos simples devem ser tratados nos postos de saúde


 

Referência para Maringá e os 29 municípios da 15º Regional de Saúde no atendimento de casos graves, o Hospital Universitário atende todo mês um volume considerável de pacientes com problemas de saúde que fogem à sua competência. O enfermeiro Marinaldo José dos Santos, chefe da divisão de atendimento, explica que a exigência de profissionais e de espaço físico criada pelos pacientes de demanda espontânea acaba desviando o foco do atendimento de alta complexidade. Esses atendimentos correspondem a cerca de 30% do movimento total do hospital, que em novembro foi de 3.749 atendimentos.

Na tentativa de diminuir a demanda espontânea por atendimento em casos simples, o HU inicia, na semana que vem, a distribuição de folhetos explicativos sobre as situações nas quais o pronto-socorro do hospital deve ser procurado. O material será distribuído em todas as recepções, acompanhado de orientações fornecidas pelos servidores.

Além dos folhetos, três placas informativas serão instaladas em pontos estratégicos: na avenida Mandacaru, na entrada do hospital e nas proximidades do pronto-socorro.


Opção

Em geral, os pacientes de demanda espontânea buscam atendimento no HU à noite, normalmente para retirada de sondas, com cortes simples ou apresentando sintomas de gripe forte. Estes casos, de acordo com Santos, devem ser tratados no Hospital Municipal ou na Policlínica Zona Norte no período noturno. Durante o dia, o paciente deve se dirigir a uma das 24 unidades básicas de saúde.

Com o HU ficam os casos graves, a exemplo das vítimas de tiros, facadas, quedas, intoxicação com veneno químico ou de animais peçonhentos e de acidentes de trânsito, entre outros. “Todo paciente que procura o hospital é atendido, mas enquanto a equipe se envolve com alguém que está com cólica forte, pode deixar a desejar na assistência daquele que foi intoxicado, por exemplo”, diz o chefe da divisão de atendimento.