O Diário do Norte do Paraná
Tools

A Sanepar realiza vistorias em imóveis residenciais, comerciais e industriais na região da microbacia do Córrego Mandacaru, que compreende cerca de 40 bairros da região norte de Maringá. Os trabalhos começaram em julho deste ano e devem prosseguir até o ano que vem.

Nesse período, serão vistoriados aproximadamente 21 mil imóveis que estão ligados à rede coletora da Sanepar e têm os seus esgotos sanitários tratados na Estação de Tratamento Mandacaru.

Durante as vistorias, técnicos da companhia procuram identificar possíveis irregularidades nos ramais internos e nas ligações de esgoto.

Desta forma, os despejos clandestinos de resíduos domésticos e industriais nas galerias pluviais, que acabam poluindo o córrego, e o lançamento de esgoto industrial e água de chuva na rede coletora são eliminados.

O uso correto das caixas de inspeção e de gordura, entre outros problemas, também são verificados. Nestes quatro meses de trabalho já foram visitados cerca de 3.700 imóveis e identificadas aproximadamente 990 irregularidades.

De acordo com o gerente regional da Sanepar, Antônio Carlos Aredes Rosa, durante a vistoria os técnicos adicionam um corante em vasos sanitários, pias, tanques e ralos para verificar o destino do esgoto e da água de chuva.

“Se o imóvel não está com a ligação correta, o proprietário é notificado e tem um prazo máximo de 30 dias para fazer a adequação. Depois deste período os técnicos da empresa retornam para nova vistoria e se a ligação não tiver sido corrigida o morador poderá ser multado”, alerta Aredes.

Os técnicos da companhia também verificam o tipo de esgoto lançado por empresas na rede coletora. Aredes explica que os sistemas de tratamento das estações de Maringá foram concebidos para receber apenas esgotos domésticos.

“O esgoto industrial deve receber um pré-tratamento antes de ser lançado na rede da Sanepar. Se isto não acontecer, ele prejudica a eficiência da unidade de tratamento, comprometendo sua qualidade”, enfatiza o gerente.

Por medida de segurança a Sanepar comunica previamente os moradores por meio de um folheto. Os funcionários da empresa realizam as visitas devidamente uniformizados e identificados com crachá e veículos da empresa.

Durante a vistoria, que é gratuita, são solicitados o número do CPF e o telefone do usuário somente em casos de atualização cadastral. Se houver alguma dúvida por parte do morador, ele poderá ligar para o telefone 115 para obter mais informações.

A ação visando a despoluição do córrego Mandacaru integra o programa “Viva a Natureza - Se Ligue na Rede”, coordenado pela Diretoria de Meio Ambiente e Ação Social da Sanepar e desenvolvido em todo o Estado em parceria com diversos órgãos.

Na primeira etapa os trabalhos são desenvolvidos apenas por funcionários da empresa, mas deverão envolver outras instituições estaduais, municipais, Promotoria de Meio Ambiente, Polícia Florestal, Núcleo Regional de Ensino, Universidade Estadual de Maringá, associações de moradores, órgãos de imprensa e comunidade em geral.

No período de setembro de 2006 a maio de 2008, a Sanepar realizou o “Se Ligue na Rede” nos bairros da região da microbacia do Ribeirão Morangueiro.

Na ocasião, as equipes da empresa fizeram mais de 23 mil vistorias visando identificar ligações irregulares de esgoto. Deste montante, cerca de 10,77% apresentou algum tipo de não-conformidade.

As mais comuns foram a presença de caixas de inspeção e de gordura do ramal interno de esgoto irregulares.