O Diário do Norte do Paraná
Tools

Pessoas com suspeitas de câncer de pele poderão fazer um diagnóstico da doença neste sábado. Uma parceria entre a Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD) e o Hospital Universitário (HU), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), vai viabilizar a consulta de 50 pacientes.

Para serem atendidos, os interessados deverão pegar as senhas na recepção do ambulatório do HU, a partir das sete horas. O atendimento será feito por médicos voluntários, que foram recrutados pela SBD - Distrital Norte do Paraná e pelo Departamento de Medicina, da UEM.

O mutirão tem o objetivo de atender as pessoas com suspeita de câncer de pele e iniciar o tratamento no mesmo dia e local, no ambulatório do HU.

Segundo a médica e professora da UEM, Fabíola Tasca, tão importante quanto o número de pessoas atendidas é oferecer um alto grau de solução ou encaminhamento dos casos que eventualmente surgirem.

Fabíola e a também médica dermatologista Sineida Ferreira, presidente da Distrital Norte do Paraná da SBD, são as responsáveis pela organização do evento.

O câncer de pele é o tipo de câncer mais freqüente, correspondendo a cerca de 25% de todos os tumores malignos registrados no Brasil. Se descoberto precocemente, apresenta altos porcentuais de cura.

É o mais comum em indivíduos com mais de 40 anos e raro em crianças e negros, exceto naqueles que apresentam doenças cutâneas prévias. Pessoas de pele clara, sensível à ação dos raios solares ou com doenças cutâneas prévias são as principais vítimas do câncer de pele.

Este tipo de câncer se caracteriza por um tumor formado por células da pele que sofreram uma transformação e multiplicam-se de maneira desordenada e anormal dando origem a um novo tecido (neoplasia).

Entre as causas que levam ao início desta transformação celular estão a exposição prolongada e repetida à radiação ultravioleta do sol.

Cerca de 90% das lesões estão localizadas nas áreas da pele que ficam expostas ao sol. Assim, a proteção solar é a principal forma de prevenção da doença.

Segundo o Instituto de Dermatologia de Porto Alegre, o câncer da pele é o mais comum e o que mais rapidamente vem se alastrando pelo mundo. Apenas nos Estados Unidos, 800 mil pessoas são afetadas todos os anos.