Sidebar

17
Dom, Nov

O Diário do Norte do Paraná
Tools


 

O Hemocentro do Hospital Universitário de Maringá, que esta semana fez um apelo para que o maringaense doe sangue, reforçou nesta quinta-feira que precisa da colaboração da população para manter os estoques em um nível aceitável.

"Tivemos um problema na última segunda-feira com relação à falta de plaquetas, um componente do sangue com validade curta", disse a assistente social do Hemocentro, Ângela Tessaro.

A população, segundo Ângela, atendeu ao apelo, veiculado pela imprensa.

"Felizmente aquele problema foi sanado", comentou.

Ela acrescenta que, para repor o estoque no período de festas e férias escolares, o Hemocentro precisa de, no mínimo, trinta doadores por dia.

"Como o sangue tem prazo de validade, é importante ter doadores diariamente mas, às vezes, temos apenas cinco" alegou.

Para garantir o estoque nos meses em que o número de doadores costuma cair, o Hemocentro recorre a uma unidade móvel, um ônibus equipado que circula em Maringá e 29 municípios da região.

"Temos que fazer uma programação de coleta externa para manter nosso estoque. Essa unidade móvel responde por 50% do total de sangue coletado", afirmou Ângela.

Doadores

Podem doar sangue pessoas entre 18 e 65 anos, com mais de 50 quilos, que apresentem boa condição de saúde e não tenham ingerido bebida alcoólica nas 12 horas anteriores. Todos os tipos de sangue são bem-vindos.

Para doar, é preciso comparecer ao Hemocentro, na Avenida Mandacaru, anexo ao HU, munido de documento com foto.

"A gente sempre frisa que todo tipo de sangue é importante. Temos que desmistificar que um tipo de sangue é mais importante que outro", explica Ângela.