Sidebar

17
Qua, Jul

O Diário do Norte do Paraná
Tools
Força-tarefa é simpática à idéia e Prefeitura diz que, se movimento aprovar, o local será cedido aos estudantes
 

No próximo vestibular da Universidade Estadual de Maringá (UEM), entre trinta de novembro e dois de dezembro, uma força-tarefa entrará em ação novamente para impedir a bagunça e a venda de bebidas alcoólicas em parte do quadrilátero formado pela Avenida Colombo e Rua Vitória e Avenida Morangueira e Rua Quintino Bocaiuva.

As entidades que integram a ação estudam a proposta do presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE), da UEM, Caetano Roma, de cessão de parte das instalações do Complexo da Vila Olímpica para a realização de atividades culturais e esportivas para vestibulandos e universitários.

A proposta será formalizada na próxima reunião, prevista para segunda-feira. Roma explica que a sugestão "é uma alternativa para tirar os estudantes da rua, liberando o espaço nos arredores da UEM para a passagem dos veículos".

Além disso, acrescenta, a movimentação não incomodará os moradores da região, que sempre reclamaram da bagunça generalizada nos dias das provas.

"É uma maneira de preservar a imagem dos estudantes e oferecer a eles uma opção de diversão", afirma.

Segundo a Assessoria de Imprensa da Prefeitura, se as entidades que compõem a força-tarefa aprovarem a proposta, a Vila Olímpica será cedida.

Para a psicóloga Célia Regina Cortellete Silva, integrante do Conselho Comunitário de Segurança de Maringá (Conseg), todas as entidades julgaram interessante a sugestão do DCE, mas a aprovação só deve ocorrer na próxima reunião.

"Se assim for, as atividades terão horário para começar e terminar e, além disso, oficiais da Polícia Militar e funcionários da Secretaria Municipal dos Transportes (Setran) estarão presentes para garantir a segurança dos participantes", explica.

Ao contrário do que ocorreu na última edição do vestibular, a Avenida Morangueira e a Rua Vitória poderão comercializar bebidas alcoólicas. As entidades entendem que os dois locais não prejudicam o objetivo da força-tarefa.

O tenente Alexandro Marcolino Gomes, oficial de Comunicação Social do 4º Batalhão de Polícia Militar, adianta que será também uma oportunidade de conscientizar os estudantes sobre a necessidade de respeitar os direitos dos outros moradores, evitando bagunça também nas noites de quinta-feira, principalmente na Rua Paranaguá e na Avenida Doutor Mário Clapier Urbinati.

"Ultimamente, em vez de realizar operações enérgicas, a PM prioriza ações planejadas, voltadas para a conscientização", explica. Além do Conseg e PM, participam da força-tarefa a Prefeitura de Maringá e a Associação de Moradores da Zona 7.