Sidebar

13
Sex, Dez

O Diário do Norte do Paraná
Tools

A liberação de R$ 59,5 milhões em recursos do Estado para a UEM (Universidade Estadual de Maringá) vai viabilizar a conclusão de obras importantes. Serão aplicados R$ 50 milhões para conclusão de algumas que estão paralisadas e também para novas construções, ampliando a estrutura física da instituição. Os recursos foram anunciados pela governadora Cida Borghetti na última quinta-feira, 29.

O reitor da UEM, Julio Damasceno, destacou que os recursos são bem-vindos e que além de equacionar parte do déficit de obras paradas, irão garantir melhorias na estrutura física da Universidade com ampliação de salas de aulas e laboratórios, beneficiando, além do campus sede, os campus de Cianorte e Goioerê e o Hospital Universitário.

Segundo Damasceno, no total são treze obras que receberão o aporte de recursos. Um dos destaques é Centro de Convenções da UEM, que é uma das obras que atualmente está paralisada. Com mais de 4,5 mil m2, o projeto prevê um auditório com mil lugares e salas de apoio que comportarão, no total, 600 pessoas. Além de amplo estacionamento que abrigará, aproximadamente, mil veículos, incluindo vagas para ônibus.

Sede

Além do Centro de Convenções, no campus de Maringá, os recursos serão usados para a conclusão dos blocos do Centro de Ciências Sociais Aplicadas (B12) atendendo alunos do curso de Ciências Contábeis e Administração; do Centro de Ciências Humanas, Letras e Artes (l24) para estudantes de História, Artes Cênicas, Artes Visuais e Comunicação e Multimeios; do Centro de Ciências Biológicas (l46) para os cursos de Biologia e Biomedicina; do Centro de Tecnologia (C90), para atendimento dos cursos de Engenharia de Produção, Engenharia Elétrica, e Engenharia Mecânica.

Ainda estão previstas a construção de novos blocos para o curso de Psicologia e para a diretoria de material e patrimônio. Obras de acessibilidade na instituição, a exemplo de banheiros e rampas, e a reforma do laboratório de análises clínicas também estão previstas.

Saúde

No Hospital Universitário, serão finalizadas cinco salas cirúrgicas e de recuperação anestésica e uma central de materiais e esterilização no Centro Cirúrgico. O local tem 3,1 mil metros quadrados. Além disso, será concluído bloco industrial do HUM.

No Câmpus Regional de Cianorte, a verba destinada para a construção de um bloco para os alunos de design. Em Goioerê, a UEM utilizará parte do repasse para a construção de uma biblioteca e um centro acadêmico. ///ASC/UEM

https://maringa.odiario.com/maringa/2018/12/recursos-vao-equacionar-deficit-de-obras-paradas/2533558/