Sidebar

05
Sex, Jun

Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa

Uma assembleia durante a manhã desta terça-feira (23) decidiu uma paralisação dos trabalhadores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) na próxima segunda-feira (29). O ato de alerta quer chamar a atenção do governo do Paraná por causa da data-base.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino de Maringá (Sinteemar), José Maria Marques, o motivo é a defasagem salarial que os trabalhadores alegam ter desde 2017.

“As nossas perdas salariais já estão em 16,24%. [Ficamos] sem reajuste em 2017, 2018 e o governo disse que também não vai dar em 2019. Quando eu falo em reajuste, é só a inação, não é nem ganho real.

Não há impedimento nenhum para o governo não nos dar a data-base”, diz Marques.

Segundo ele, durante a campanha eleitoral no ano passado, uma das propostas do governo era reunir os sindicatos e fazer um planejamento de reajustes para quatro anos. No entanto, conforme destaca Marques, não houve negociação para a data-base de 2019 e o encontro foi adiado para o ano que vem.

A paralisação vai reunir servidores da UEM e de outros sindicatos. Também está marcada uma grande manifestação dos trabalhadores em Curitiba.

Servidores durante a assembléia na manhã desta terça (23). Foto: Valdete da Graça
https://gmconline.com.br/noticias/cidade/em-assembleia-servidores-da-uem-decidem-paralisacao

 

Foto:Divulgação UEM

Estão abertas, em segunda chamada, na Universidade Estadual de Maringá (UEM), as inscrições para a seleção de candidatos ao auxílio alimentação, benefício voltado à concessão de refeições aos estudantes de graduação e pós-graduação da UEM em situação de vulnerabilidade socioeconômica.

Os alunos selecionados receberão gratuitamente duas refeições diárias, almoço e jantar, servidas pelo Restaurante Universitário. Serão oferecidos 180 benefícios de auxílio alimentação, com base no percentual de 1% dos estudantes matriculados nos cursos de graduação presencial.

A supervisão do processo seletivo será feita pela Pró-Reitoria de Recursos Humanos e Assuntos Comunitários (PRH), por meio da Diretoria de Assuntos Comunitários (DCT).

Os interessados no auxílio deverão se inscrever até o dia 30 de maio, mediante a entrega, na secretaria da DCT, das 8 às 11 horas e das 14 às 17 horas, do formulário específico preenchido e da entrega dos documentos exigidos. A secretaria da Diretoria de Assuntos Comunitários fica no bloco P-03, subsolo da Biblioteca Central, sala 11.

O auxílio alimentação será válido até 18 de dezembro, término do ano letivo. Outras informações na DCT ou e-mail:Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. . O candidato pode baixar o edital pelo link e baixar o formulário de inscrição por meio do endereço eletrônico.

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/uem-seleciona-alunos-para-receber-auxilio-alimentacao

 

Foto: Divulgação/UEM

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) é a universidade estadual da Região Sul que mais realiza pesquisa no Brasil e a quinta em âmbito nacional.

As informações são referentes a dados da Web of Science, com compilação da Clarivate Analytics, a pedido do Jornal da USP. Segundo o levantamento, a UEM publicou 3.656 artigos científicos entre os anos de 2014 e 2018, correspondendo por 1,7% da produção de pesquisa em todo o país. Este percentual coloca a UEM entre as 25 instituições nacionais que mais publicaram nos últimos cinco anos.

“O ranking tem um significado muito importante para a UEM, que é a primeira universidade estadual da Região Sul. É um reflexo dos trabalhos que os pesquisadores da UEM têm desenvolvido na instituição e que são divulgados em periódicos científicos de qualidade. Então, a UEM ter publicado 3.656 artigos de 2014 a 2018 é extremamente significativo”, comemora o Dr. Clóves Cabreira Jobim, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UEM.

Para a professora Dra. Rosilene Fressatti Cardoso, vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Ciências da Saúde (PCS), ao Programa de Pós-Graduação em Biociências e Fisiopatologia (PBF) e ao Laboratório de Ensino e Pesquisa em Análises Clínicas (Lepac), com atuação na linha de pesquisa sobre doenças bacterianas e virais, “a pesquisa atua de forma a consolidar o ensino de futuros profissionais”.

Farmacêutica graduada na UEM em 1984 e com pós-doutorado concluído em 2017, observa que “o avanço científico, para ter sua validade, deve chegar à comunidade com o objetivo primordial de melhorar a qualidade de vida dos indivíduos”.

A UEM tem 56 programas de pós-graduação em todos os centros de ensino, que contribuem por grande parcela da produção científica da universidade. Destes, há: 12 mestrados profissionais; 28 programas de doutorado, sendo cinco consolidados com inserção internacional e conceito 6 (o máximo é 7) atribuído pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes). A UEM também soma: 238 grupos de pesquisa certificados pelo Diretório dos Grupos de Pesquisa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq); e 747 bolsistas do CNPq, dentre os quais 146 professores doutores pesquisadores, 161 bolsistas de pós-graduação e 282 graduandos (bolsas de iniciação científica).

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/no-sul-a-uem-e-a-universidade-estadual-que-mais-faz-pesquisa

 

 

Foto: Rodisley Souza/CBNMaringá

O Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Maringá (Ipplan) se reuniu com o reitor e representantes do Conselho de Desenvolvimento Econômico (Codem), para retomar a discussão sobre a construção de uma via pública passando por dentro da Universidade Estadual de Maringá (UEM).

É o que diz Edson Cardoso, presidente do Ipplam, "Recomeçamos a conversa há cerca de 15 dias, prefeito autorizou o Ipplan fazer a negociação junto à UEM e tocar esse assunto para gente ir avançando e chegar num dominador. A ideia é atravessar a avenida Herval, agora por onde ela vai passar na UEM é que é o grande desafio, de fazer com que tenha a mobilidade correta e que tenha o menor prejuízo para a UEM", afirma.

Outro projeto que está sendo retomado é a revitalização da Avenida Brasil. Nesta etapa está sendo elaborado um termo de referência que será a base para um concurso que irá escolher o melhor projeto. A ideia é que as calçadas sejam ampliadas e um Veículo Leve sobre Trilhos (VLL) seja o principal meio de transporte na via.

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/projeto-de-prolongamento-da-herval-atravessando-uem-e-retomado

 

A jaguatirica de aproximadamente três anos que morreu após ser atropelada nesta quinta-feira (11) na PR-546, entre os municípios de Floresta e Ivatuba, vai demorar para passar pelo processo de taxidermia.

Ela foi trazida para o Museu Dinâmico Interdisciplinar (Mudi) da Universidade Estadual de Maringá (UEM), porém outros 80 animais estão congelados no local aguardando pela técnica, que é um sofisticado processo onde só a pele do animal é aproveitada.

Atualmente, no Mudi da UEM existe cerca de 40 animais taxidermizados, entre exposição e reserva técnica. Os maiores são um avestruz, um tamanduá bandeira e onças parda e pintada. Nos dias 27 e 28 deste mês, o museu sediará um curso de taxidermização.

Outra edição está agendada para os dias 25 e 26 de maio. A ideia é ter mais profissionais de ciências biológicas e áreas afins aptos para o serviço. Outras informações sobre a capacitação no site: www.mudi.uem.br

Foto: Divulgação/UEM
https://www.gmconline.com.br/noticias/cidade/taxidermia-da-jaguatirica-atropelada-na-regiao-vai-demorar

Mais Artigos...