Sidebar

05
Sex, Jun

GMC Online
Tools

O fato de as mulheres estarem em casa mais tempo devido ao coronavírus pode ser o motivo do aumento da violência doméstica em Maringá. A delegada da Mulher na cidade, Luana Lopes, estima que o número subiu 15% nos últimos dias. Os dados são especificamente aqueles registrados no plantão - que funciona 24 horas por dia, na 9ª subdivisão Policial. Em razão da Covid-19, a delegacia da Mulher, especializada nesse tipo de caso, tem restringido atendimento pessoal.

Aliás, nessa delegacia, que funciona das 9h às 12h e das 14h às 18h, somente situações de prioridade são atendidas. O restante é feito por telefone ou e-mail, diz a delegada.

O aumento da violência é explicado pelo seguinte: com mais tempo em casa, mais a chance de o parceiro cometer alguma ação.

A advogada Crishna Correa, coordenadora do Numape, o Núcleo Maria da Penha, ligado à Universidade Estadual de Maringá, avalia que o protocolo online é uma medida que nem todas as mulheres podem fazer.

Embora entenda a necessidade de alteração de funcionamento devido à Covid-19, ela avalia que há desmobilização.

O Numape atende mulheres que precisam de auxílio jurídico caso estejam sob algum tipo de violência doméstica. No momento, busca informar que órgãos que defendem as vítimas estão funcionando, mesmo que não presencialmente. O Núcleo, por exemplo, funciona de segunda a sexta-feira, das 9h às 15h. O número do celular do Numpae é o (44) 98408-6305.

https://gmconline.com.br/noticias/policial/orgaos-que-auxiliam-vitimas-de-violencia-domestica-continuam-operando

https://gmconline.com.br/noticias/policial/orgaos-que-auxiliam-vitimas-de-violencia-domestica-continuam-operando