Sidebar

15
Ter, Out

Mesmo diante de um cenário de grandes desafios e de crise, a Universidade Estadual de Maringá (UEM) tem avançado em vários aspectos, armou o vice-reitor da instituição, Ricardo Dias Silva, na semana em que ele junto ao reitor Júlio César Damasceno completaram um ano de gestão.

“Foi um ano difícil. Crise econômica não só no país, mas na universidade. Tivemos o contingenciamento, no início do ano, de 20% dos recursos que são repassados pelo Estado. E recursos captados pela universidade foram transferidos para o Estado. Também tem a questão do quadro de servidores, há muito tempo não temos autorização para repor professores exonerados, que saíram ou morreram”, comenta.

Apesar desse cenário, Silva descreve os avanços conquistados em sua gestão.

“Fortalecemos ações de planejamento criando a pró-reitoria de planejamento; possibilitamos que estudantes carentes tivessem acesso a alimentação gratuita no RU (Restaurante Universitário), o que é algo importante para diminuir a evasão; fizemos mudanças no vestibular o que provocou o crescimento de candidatos”, conta.

De acordo com ele, também houve avanços nas obras do câmpus de Maringá e de outras cidades. “Acabamos com a la de atendimento no pronto-socorro, fizemos nova pavimentação no estacionamento, foi feito heliponto para o helicóptero do Samu pousar.

Também estamos finalizando as obras de 108 novos leitos. Vamos entregar a expansão da clínica de odontologia e o espaço para o serviço de oncopediatria está quase pronto”, diz.

Ainda sobre obras, o vice-reitor conta que logo no início de 2020 deve ser inaugurada a Universidade Aberta à Terceira Idade (Unati) e o Centro de Handebol, que será referência no país.

Foto: Divulgação

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/apesar-da-crise-estamos-avancando-avalia-vice-reitor-da-uem

No Ranking Universitário Folha (RUF) de 2019, elaborado pela Folha de S.Paulo e divulgado nesta segunda-feira (7), a Universidade Estadual de Maringá (UEM) é apontada como a 6ª melhor universidade estadual do país, informação corroborada pelo Índice Geral de Cursos (IGC) do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais “Anísio Teixeira” (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC).

Entre as 197 universidades públicas e privadas avaliadas pela Folha de S.Paulo, a UEM está na 24ª posição. No Estado do Paraná, é considerada a 3ª melhor instituição de ensino superior: fica atrás somente da Universidade Federal do Paraná/UFPR (8ª geral) e da Universidade Estadual de Londrina/UEL (23ª geral).

“O ranking, muito respeitado, reforça o bom trabalho que vem sendo desenvolvido na UEM, a seriedade com que formamos nossos alunos e a seriedade das pesquisas realizadas”, analisa Ricardo Dias Silva, vice-reitor.

Se contadas apenas as públicas, a UEM sobe dois degraus no panorama nacional do RUF e fica na 22ª colocação. E em comparação com o ano de 2018, subiu na listagem, pois anteriormente estava no 25º lugar geral. Voltando para 2019, o pódio fica com Universidade de São Paulo/USP (1ª), Universidade Estadual de Campinas/Unicamp (2ª) e Universidade Federal do Rio de Janeiro/UFRJ (3ª).

“Esses resultados devem impactar positivamente na decisão de candidatos aos cursos de graduação, pós-graduação e pesquisadores, tanto nacionais quanto estrangeiros. Além de impactar diretamente na ampliação da atratividade de recursos provenientes de parcerias com a iniciativa pública e/ou privada”, estima Márcia Marcondes Altimari Samed, assessora especial de gestão estratégica da UEM.

Dias Silva determina que o ótimo posicionamento da Estadual de Maringá no Folha RUF é motivo de comemoração, principalmente porque atesta que ela continua sendo referência, além de “confirmar a excelência das universidades públicas em meio a um momento de tantos ataques”. Ao verificar o cenário apresentado pelo estudo, o vice-reitor atenta-se para o fato de que majoritariamente são nas públicas onde a pesquisa e a produção de conhecimento ocorrem.

Apesar de a UEM estar bem estabelecida no levantamento da Folha, o vice-reitor e a assessoram reconhecem que alguns dados demostram a necessidade de haver aumento de investimentos em alguns pontos, como as áreas de mercado, internacionalização e inovação. Isso, inclusive, já vem acontecendo. São os casos de ênfase na internacionalização estratégica e fortalecimento de ações do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) e da Incubadora Tecnológica de Maringá.

Listagem anual também foca nas graduações

Mais do que ranquear as universidades, o Folha RUF classifica 40 cursos de graduação. Os melhores desempenhos da UEM são na área de Ciências Agrárias: Agronomia (9º melhor do Brasil) e Zootecnia (10º melhor do Brasil).

O ranking da Folha existe desde 2012 e, desde então, é publicado anualmente. Considera os critérios de pesquisa (42% da composição nal da nota), ensino (32%), mercado (18%), inovação (4%) e internacionalização (4%). De acordo com a Folha, o levantamento “usa dados nacionais e internacionais e duas pesquisas de opinião do Datafolha”.

Foto: Divulgação/UEM

Por assessoria de imprensa da UEM

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/uem-e-6a-melhor-estadual-do-brasil-diz-pesquisa

Foto: Divulgação/Assessoria de Imprensa

Os candidatos que se inscreveram no Vestibular de Verão e no Processo de Avaliação Seriada (PAS) 2019 da Universidade Estadual de Maringá (UEM) terão mais dois dias para pagamento da taxa de inscrição. O prazo, que foi aberto às 15 horas desta terça-feira (24), estenderá até quinta-feira (26).

A medida foi tomada depois de constatados problemas técnicos no registro de alguns boletos bancários, especialmente no último dia de pagamento dos mesmos, inviabilizando as inscrições. Importante dizer que o prazo de inscrição não foi reaberto. A prorrogação vale apenas para o pagamento da taxa.

Os candidatos que não conseguiram efetuar o pagamento até o dia 20 deverão gerar um novo boleto bancário com a data de vencimento atualizada. Isso deve ser feito através do Menu do Candidato, em www.vestibular.uem.br ou www.pas.uem.br , dependendo do concurso para o qual se inscreveu. É necessário usar o login e a senha registrados no ato da inscrição. Reforçando que o pagamento poderá ser feito só até quinta-feira.

A Comissão Central do Vestibular Unificado informa que os demais prazos dos concursos não sofreram alteração. As provas do PAS serão aplicadas no dia 24 de novembro. No caso do Vestibular de Verão 2019, as provas ocorrem nos dias 8 e 9 de dezembro.

Por Assessoria de Imprensa

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/uem-prorroga-prazo-de-pagamento-da-taxa-do-vestibular-e-do-pas

 

São duas oportunidades para você ingressar na Universidade Estadual de Maringá (UEM) no próximo semestre: por meio do Vestibular de Verão e do Programa de Avaliação Seriada.

Fique atento: as inscrições para ambos finalizam já na quarta-feira desta semana, dia 18. As inscrições são efetuadas pela internet: www.vestibular.uem.br e www.pas.uem.br.

No Vestibular de Verão, com 1.519 vagas (sendo 287 para cotas sociais), as provas serão aplicadas em 8 e 9 de dezembro, das 13h50 às 19h. O candidato pode escolher em qual cidade paranaense quer prestar: Apucarana, Campo Mourão, Cascavel, Cianorte, Cidade Gaúcha, Curitiba, Goioerê, Ivaiporã, Maringá, Paranavaí ou Umuarama. A taxa de inscrição é de R$ 156.

O PAS é voltado exclusivamente a estudantes do ensino médio. Os que forem prestar a terceira e última etapa desse processo seletivo encontrarão 753 vagas disponíveis para ingresso na universidade. As provas ocorrerão em 24 de novembro, das 13h50 às 19h, em 11 municípios: Apucarana, Campo Mourão, Cascavel, Cianorte, Goioerê, Ivaiporã, Loanda, Londrina, Maringá, Paranavaí e Umuarama. Para se inscrever no PAS há custo de R$ 78.

Mais informações – Leia atentamente ao Manual do Candidato: do Vestibular de Verão 2019 e do PAS 2019. Em caso de dúvida, envie e-mail para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. ou Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Também há o telefone (44) 3011-4450.

Foto: Divulgação/UEM

https://gmconline.com.br/noticias/cidade/inscricoes-para-vestibular-e-pas-da-uem-terminam-nesta-quarta-feira

A Universidade Estadual de Maringá (UEM) deu na sexta-feira (6) mais um passo importante visando a aproximação com a sociedade local por meio do lançamento do Projeto "Conexão UEM - Ensino Médio", pelo qual estudantes do último ano do ensino médio das escolas públicas poderão cursar, a título de aluno ouvinte, disciplinas nos cursos de graduação da Universidade.

No início da tarde, numa das salas da Biblioteca Central da UEM, a pró-reitora de Ensino, Leila Pessôa da Costa, explicou a uma turma de estudantes convidados as regras para o funcionamento do projeto, em nível de ensino, proposto e desenvolvido pela própria PEN.

As disciplinas ofertadas foram apresentadas dentre aquelas cujos professores consultados pelo Projeto concordaram em disponibilizá-las no segundo semestre deste ano. Por conta da greve ocorrida entre 26 de junho a 13 de agosto, as aulas se estenderão por dezembro e janeiro.

Cada aluno poderá cursar uma disciplina e caso haja mais de um pretendente a vaga será definida em sorteio. As aulas têm início nesta segunda-feira (9), nos turnos da manhã, tarde e noite, e os estudantes contemplados assumirão compromisso de não abandonar a disciplina antes do final, pois a frequência deles será monitorada pela UEM.

                                    Foto: Divulgação/UEM

Esta frequência é imprescindível para a emissão do certificado de participação ao encerramento das aulas. Leila pediu comprometimento aos interessados, porque eles precisam ter a consciência de que estarão ocupando o lugar de outro aluno interessado, mas não contemplado, além de não estar contribuindo para o objetivo do Projeto.

O projeto “Conexão UEM - Ensino Médio" está interessado no processo, em como ocorrerá a experiência e a vivência dos alunos. Por isso, a Pró-Reitoria de Ensino promoverá reuniões com os estudantes para analisar o relatório que eles terão que produzir semanalmente.

A ideia é que estes encontros sirvam de base para que os responsáveis pelo Projeto avaliem o grau de satisfação dos participantes.

Leila falou sobre a possibilidade de ampliar a oferta de disciplinas na maior quantidade de cursos, já que nem todos os professores foram convidados pela PEN para aderir ao Projeto.

Ainda segundo a pró-reitora, os docentes consultados acharam a iniciativa ótima.

Foto: Divulgação/UEM

A diretora de Ensino de Graduação, Luciana Martimiano; e a responsável pela Divisão de Apoio Pedagógico da PEN, Alessandra Wihby, também participaram da cerimônia de lançamento do "Conexão UEM - Ensino Médio". Ambas também ajudaram a esclarecer dúvidas sobre o projeto e falar como ele vai funcionar.

Para a solenidade compareceram, a convite, alunos do Colégio de Aplicação Pedagógica (CAP), da UEM; e dos colégios estaduais Doutor Gastão Vidigal e Thomaz Edson de Andrade Vieira.

Duas professoras deste último também estiveram presentes.

https://www.gmconline.com.br/noticias/cidade/alunos-de-escolas-publicas-podem-cursar-a-uem-como-ouvintes

Mais Artigos...