Sidebar

25
Seg, Mai

Portal da Cidade
Tools

Um dos benefícios do estudo é que possibilitaria o aumento da distribuição do produto

Considerando que o leite humano in natura é altamente perecível, a utilização do mesmo em sua forma em pó pode trazer vários benefícios (Foto:Jamie/Getty images)

O professor Jesuí Vergílio Visentainer e a nutricionista Vanessa Javera, doutoranda do Programa de Pós-Graduação em Ciência de Alimentos da Universidade Estadual de Maringá (UEM), foram os vencedores da 19ª edição do Prêmio Péter Murányi, focada no tema Alimentação.

O prêmio é de grande repercussão nacional na área de alimentos. O projeto desenvolvido foi sobre a obtenção das diferentes frações do leite humano em pó como alternativa de armazenamento e transporte para os Bancos de Leite Humano.

No desenvolvimento do leite em pó foram utilizadas as técnicas de liofilização (a água que está congelada/sólida nas amostras é transformada em fase gasosa) e a técnica “spray drying” (secagem por pulverização).

Os princípios das técnicas consistem na remoção da água do alimento sem aquecimento (liofilização) e com aquecimento em condições otimizadas (spray drying). Em relação às determinações dos componentes nutritivos, bioativos e fatores imunológicos, foram utilizados equipamentos que fazem análises de maior complexidade, como o UPLC-MS/MS (cromatografia liquida acoplada ao espectrômetro de massas), o CG-FID (cromatografia em fase gasosa acoplada ao detector de ionização em chama), o Luminex-200 System - Technology Multiplex, dentre outros.

Em relação aos inúmeros fatores avaliados, levando em conta a comparação com a forma in natura do produto, o leite humano em pó apresentou estabilidade dos compostos nutricionais e fatores imunológicos avaliados no trabalho.

Vanessa Javera, aluna do curso de doutorado em Ciência de Alimentos da UEM

Benefícios

Considerando que o leite humano in natura (apesar de ser um alimento completo, rico em componentes nutricionais, fatores imunológicos e microbiota) é altamente perecível, a utilização do mesmo em sua forma em pó pode trazer vários benefícios.

Um deles seria a melhoria sobre o armazenamento e transporte, uma vez que o leite em humano em pó é muito mais resistente à contaminação microbiana e tem seu período de conservação altamente prolongado quando comparado à sua forma in natura.

Outro benefício é que possibilitaria o aumento da distribuição do material, uma vez que, em razão de sua maior durabilidade, o leite humano em pó pode ser distribuído para unidades bem distantes dos setores de coletas. Ou seja, permitira maior acesso ao material disponível.

Além disso, o uso em forma de pó traria a diminuição de gastos, tendo em vista que o processo de conservação do leito humano in natura, apesar de simples, é muito custoso, pois além de demandar significativa quantidade de consumo de energia elétrica e recursos humanos, muitas vezes o material armazenado acaba não sendo utilizado em razão da ocorrência de perecimento.

Os bancos de leite materno trabalham com o produto pasteurizado e congelado, cujo tempo de validade é curto e que exige infraestrutura complexa para armazenagem. Com estrutura adequada para estocagem, o produto em pó ampliaria muito a oferta, com a mesma qualidade, sabor e propriedades nutricionais e maior tempo de validade.

Fruto da pesquisa de Vanessa Javera para o curso de doutorado, o trabalho ganhador tem o título de "Leite humano em pó: avaliação de diferentes tecnologias de obtenção em relação aos componentes nutricionais e imunológicos como medida alternativa na rede de bancos de leite humano".

Jesuí Visentainer, professor de pós-graduação na UEM, orientador da pesquisa

Significado

Vanessa Javera tem como orientador o professor Jesuí Visentainer. Mestre em Ciência (Química) de Alimentos, ele possui doutorado em Química de Alimentos pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pós doutorado pela Laval University, no Canadá. Além de dar aulas no PPC, Jesuí é docente no Programa de Pós-Graduação em Química (PQU), ambos da UEM.

Para Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi, promotora do prêmio, o leite humano em pó pode ser uma opção clínica e social na manutenção e ampliação do aleitamento materno, que é muito importante para a saúde das crianças.

Na avaliação dela, o grande significado do trabalho vencedor do prêmio é que nada substitui o leite materno, não apenas em termos nutricionais, como também para o desenvolvimento do sistema imunológico. Isso, segundo Vera, em que pese serem "numerosos os bebês não amamentados pelas mães, por distintas razões, aos quais tem de ser ofertadas fórmulas infantis".

O prêmio aos dois pesquisadores da UEM será entregue no dia 28 de abril, em São Paulo.

Fundação Peter Muànyi

Criada em 1999, a Fundação Péter Murányi tem por objetivo reconhecer e premiar trabalhos que, de forma inovadora, melhorem a qualidade de vida das populações em desenvolvimento.

A Fundação premia pessoa física ou jurídica, entidade particular ou pública, de qualquer parte do mundo, que mais tenha se destacado na descoberta ou progresso científico, que beneficie o desenvolvimento e bem estar das populações situadas abaixo do paralelo 20 de latitude norte, especialmente o Brasil, seja no tocante à saúde, alimentação, educação ou desenvolvimento científico e tecnológico.

A entidade pode ainda patrocinar outras atividades que contribuam para atingir a finalidade principal, bem como promover e patrocinar quaisquer outras atividades culturais e assistenciais.

Já foram entregues 19 prêmios anuais, alternados, nas áreas de Saúde, Ciencia & Tecnologia, Alimentação e Educação. Outros detalhes sobre o trabalho da Fundação no site.

https://umuarama.portaldacidade.com/noticias/educacao/pesquisadores-da-uem-sao-premiados-por-transformacao-de-leite-humano-em-po-3713