Sidebar

31
Dom, Mai

Desde 2014, essa é a primeira nomeação de professores para as universidades estaduais feita espontaneamente pelo governo

“Hoje é um dia especial para as universidades estaduais do Paraná”. A afirmação é do reitor da UEM, Julio César Damasceno, e foi feita hoje (12) pela manhã, no Palácio do Iguaçu, em Curitiba, logo após o governador Carlos Massa Ratinho Júnior ter assinado a autorização para nomeação de 263 docentes para as seis universidades estaduais do Paraná. São profissionais de diversas áreas acadêmicas aprovados em concursos públicos realizados em anos anteriores e que ainda não haviam sido chamados.

Segundo informações divulgadas pela Agência Estadual de Notícia (AEN), a UEM terá 55 professores nomeados, a UEL 69, a Unioeste 59, a UEPG 47, a Unespar 21 e UENP 12.

“A autorização do governador é um ato de respeito em relação aos docentes aprovados em concurso e em relação às universidades que também aguardavam as nomeações”, disse Damasceno, destacando que a formação do quadro efetivo é um requisito fundamental na busca da consolidação e da excelência dos cursos e do desenvolvimento de pesquisas em uma instituição como a UEM.

Desde 2014, essa é a primeira nomeação de professores para as universidades estaduais feita espontaneamente pelo governo. Em matéria publicada pela AEN, o superintendente de Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, Aldo Bona, destacou que nos últimos anos as nomeações foram, todas, via judicial.

O superintendente também disse que “essa medida mostra a sensibilidade do governo para com as universidades, o reconhecimento de que o sistema precisa ter as condições para realizar um trabalho de excelência”. Bona ainda afirmou que “a ação também garante que as universidades estaduais cada vez mais possam se conectar com as demandas regionais, induzindo e promovendo o desenvolvimento do Estado”.

O pró-reitor de Recursos Humanos da UEM, Luis Otávio Oliveira Goulart, disse que recebeu do governo a informação de que o processo de contratação dos docentes ocorrerá em breve, mas que ainda não tem uma definição de data. 

 

Para a pró-reitora de Ensino, Alexandra de Oliveira Abdala Cousin, as nomeações são de grande importância para a UEM que precisa recompor seu quadro docente, a partir de vagas abertas pelas aposentadorias e exonerações.

Recredenciamento

Na mesma cerimônia o governador anunciou o recredenciamento institucional da UEM, UEL, UEPG, Unicentro e Unioeste. A nota atribuída à Universidade de Maringá foi a maior: 4,91, bem perto da pontuação máxima que é 5. A UEL recebeu nota 4,20; UEPG 4,02; Unicentro 4,27; e Unioeste 3,79.

O processo de recredenciamento ocorre a cada dez anos e é requerido pelo Conselho Estadual de Educação e coordenado pela Seti. Nele as universidades passam por uma avaliação que envolve organização institucional; políticas, normativas e práticas institucionais para o ensino (graduação e pós-graduação), pesquisa e a extensão; corpo social; e infraestrutura.

O parecer é dado pelas comissões de avaliação, formadas por membros que possuem experiência e vivência no meio acadêmico.

Benjamim de Melo Carvalho, professor da UEPG, foi um dos avaliadores designados para a UEM. Ele comentou que sempre teve a Universidade de Maringá como uma excelente referência. “Para mim foi muito rica a participação na comissão de avaliação, trabalhando junto com as professoras Ana Cleide (Ana Cleide Chiarotti Cesário, professora aposentada e ex-pró-reitora de Planejamento da UEL) e Maria Amélia (Maria Amélia Sabbag Zainko, professora aposentada, ex-pró-reitora de Graduação e ex-vice-reitora da UFPR)”.

Julio Damasceno declarou que o desempenho no processo de recredenciamento UEM é mérito de toda a comunidade universitária, “atores de fato destes resultados”. O reitor ainda manifestou agradecimento especial às pessoas que se envolveram diretamente, levantando e sistematizando informações, dando forma aos relatórios e recebendo os avaliadores, de maneira a fazer aparecer nossas virtudes, justificar nossas fraquezas e mostrar que somos uma universidade de excelência”

https://www.casadenoticias.com.br/noticias/31942-nomeacao-de-docentes-e-recredenciamento-da-uem-foram-anunciados-hoje

Na comparação com o produto pasteurizado e congelado disponível nos bancos de leite materno, foram mantidas todas as propriedades nutricionais.

Estudo feito pelos pesquisadores Vanessa Bueno Javera Castanheira Néia e Jesuí Vergílio Visentainer, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), relativo à produção de leite humano em pó, foi o vencedor da 19ª edição do Prêmio Péter Murányi, focada no tema Alimentação.

A tecnologia aplicada para conservar o leite humano à temperatura ambiente deve manter suas propriedades nutricionais e biológicas. Na conversão em pó, foram aplicados dois processos que atenderam a esses critérios: liofilização; e secagem por spray drying ou atomização, método realizado a partir de um líquido ou suspensão por secagem rápida.

Na comparação com o produto pasteurizado e congelado disponível nos bancos de leite materno, foram mantidas todas as propriedades nutricionais.

Na visão dos pesquisadores, a produção do produto em pó tem plenas condições de atender à demanda reprimida, aumentando o número de bebês de até seis meses de idade alimentados com leite humano e não fórmulas infantis.

Até agora, os bancos de leite materno trabalham com o produto pasteurizado e congelado, cujo tempo de validade é curto e que exige infraestrutura complexa para armazenagem. Com estrutura adequada para estocagem, o produto em pó ampliaria muito a oferta, com a mesma qualidade, sabor e propriedades nutricionais e maior tempo de validade.

Fruto da pesquisa de Vanessa Néia para o Programa de Pós-Graduação em Ciência de Alimentos (PPC), o trabalho ganhador tem o título de "Leite humano em pó: avaliação de diferentes tecnologias de obtenção em relação aos componentes nutricionais e imunológicos como medida alternativa na rede de bancos de leite humano".

Vanessa Néia é aluna do curso de doutorado e tem como orientador o professor Jesuí Visentainer. Além de dar aulas no PPC, ele é docente no Programa de PósGraduação em Química (PQU), ambos da UEM.

Para Vera Murányi Kiss, presidente da Fundação Péter Murányi, promotora do prêmio, o leite humano em pó pode ser uma opção clínica e social na manutenção e ampliação do aleitamento materno, que é muito importante para a saúde das crianças.

Na avaliação dela, o grande significado do trabalho vencedor do prêmio é que nada substitui o leite materno, não apenas em termos nutricionais, como também para o desenvolvimento do sistema imunológico. Isso, segundo Vera, em que pese serem "numerosos os bebês não amamentados pelas mães, por distintas razões, aos quais tem de ser ofertadas fórmulas infantis".

O prêmio aos dois pesquisadores da UEM será entregue no dia 28 de abril, em São Paulo. Outras informações podem ser obtidas no site.

Fundação Peter Muànyi

Criada em 1999, a Fundação Péter Murányi tem por objetivo reconhecer e premiar trabalhos que, de forma inovadora, melhorem a qualidade de vida das populações em desenvolvimento.

A Fundação premia pessoa física ou jurídica, entidade particular ou pública, de qualquer parte do mundo, que mais tenha se destacado na descoberta ou progresso científico, que beneficie o desenvolvimento e bem estar das populações situadas abaixo do paralelo 20 de latitude norte, especialmente o Brasil, seja no tocante à saúde, alimentação, educação ou desenvolvimento científico e tecnológico.

A entidade pode ainda patrocinar outras atividades que contribuam para atingir a finalidade principal, bem como promover e patrocinar quaisquer outras atividades culturais e assistenciais.

Já foram entregues 19 prêmios anuais, alternados, nas áreas de Saúde, Ciencia & Tecnologia, Alimentação e Educação. Outros detalhes sobre o trabalho da Fundação no site.

https://www.casadenoticias.com.br/noticias/31777-estudo-converte-leite-pasteurizado-em-po-mantendo-as-propriedades-e-permitira-ampliar-a-oferta-do-produto

Interessados poderão se inscrever em novembro; são 22 vagas no o curso de mestrado e 15 no de doutorado

O Programa de Pós-Graduação em Biologia Comparada (PGB), da Universidade Estadual de Maringá (UEM), vai abrir, em novembro, prazo de inscrição para selecionar candidatos aos cursos de mestrado e doutorado em Biologia das Interações Orgânicas, turma 2020. Tanto para o mestrado, com 22 vagas, quanto para o doutorado, com 15 vagas disponíveis, as inscrições serão aceitas de 4 a 22 de novembro, por meio de comunicação direta com o orientador e preenchimento de ficha de inscrição a ser entregue ao orientador.

De caráter interdisciplinar, o PGB é um Programa destinado a profissionais graduados no curso de Ciências Biológicas e áreas afins. A proposta é apresentar, de forma integrada, os diversos organismos e seus habitats, bem como os diferentes modos de examinar e tratar os seres vivos, ambientes e processos vitais. Os professores são ligados ao Centro de Ciências Biológicas, lotados nos departamentos de Biologia; Biotecnologia, Genética e Biologia Celular; e Ciências Morfológicas da UEM, e ao Centro de Ciências Biológicas e da Saúde da Universidade do Oeste do Paraná (Unioeste).

O PGB visa qualificar profissionalmente o biólogo nas diversas atividades previstas pelo Conselho Federal de Biologia, especialmente nas áreas de Botânica, Ecologia, Genética e Zoologia. Com área de concentração em Biologia das Interações Orgânicas, o Programa oferece duas linhas de pesquisa. Uma delas é a de Estrutura e função da diversidade orgânica, que reúne os projetos e docentes que tratam da diversidade e homologia de estruturas de células, tecidos, órgãos e sistemas, mecanismos geradores da diversidade e mantenedores da homologia, além dos processos de desenvolvimento embriológico em eucariotos. 

A segunda linha de pesquisa é a de Estrutura e função das interações orgânicas (interação). Ela engloba os projetos e docentes que tratam dos mecanismos de interações órgão-organismo, organismo-organismo e organismo-meio ambiente, no processo evolutivo e nos processos de desenvolvimento e reprodução microbiológica, vegetal e animal. Vale dizer que a Biologia Comparativa usa variação natural e disparidade para entender os padrões de vida em todos os níveis - dos genes às comunidades - e o papel crítico dos organismos nos ecossistemas. Outras informações sobre o processo seletivo do PGB podem ser obtidas no site ou telefone (44) 3011-3720. O e-mail é Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.. A secretaria do Programa fica no bloco G-80, sala 201.

Fonte: Assessoria de Imprensa

https://www.casadenoticias.com.br/noticias/31137-biologia-comparada-vai-abrir-inscricoes-para-mestrado-e-doutorado

Foco do programa é propriedade intelectual e transferência de tecnologia em inovação

 

Encerram-se na próxima quinta-feira (3), as inscrições para o mestrado oferecido pelo Programa de Pós-Graduação em Propriedade Intelectual e Transferência de Tecnologia para Inovação (Profnit). Trata-se de um curso de mestrado profissional em rede nacional para a turma que vai ingressar em 2020. As inscrições são aceitas somente pela Internet.

Podem se inscrever concluintes e portadores de diplomas de nível superior de instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC). O valor da inscrição é de R$ 250 e a Universidade Estadual de Maringá (UEM) está oferecendo 15 vagas por ser um dos 32 pontos focais do Profnit espalhados pelo Brasil. De acordo com o edital, o processo de seleção se dará em duas etapas: primeiramente haverá a prova nacional no dia 9 de novembro e, depois, uma análise curricular.

O curso de mestrado profissional do Profnit é gratuito, as aulas são presenciais na sexta-feira e/ou sábado e se iniciarão em março de 2020. Saiba mais sobre o Profnit neste site. Dúvidas podem ser enviadas para Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..

Fonte: Assessoria de Imprensa

https://www.casadenoticias.com.br/noticias/31135-termina-na-quinta-prazo-de-inscricao-para-o-mestrado-profissional-em-propriedade-intelectual

As inscrições vão de 1º a 18 de outubro

Imagem ilustrativa. Crédito pixabay

O Programa de Pós-Graduação de Filosofia (PGF) da Universidade Estadual de Maringá (UEM) está com vagas abertas para a turma de mestrado ingressante em 2020. As inscrições vão de 1º a 18 de outubro e podem ser feitas no link .

O edital se endereça aos portadores de diploma em instituições reconhecidas pelo Ministério da Educação (MEC) e, também, para quem irá se graduar no fim de 2019. Quem estiver nesta situação deverá entregar o diploma no ato da matrícula.

Deve ser entregue, ainda, um anteprojeto e uma série de documentos na secretaria do PGF: sala 3 do Bloco H-35 do câmpus sede, em Maringá (PR). As linhas de pesquisa do programa são: Metafísica e Conhecimento; Estética e Filosofia Social.

Fonte: Assessoria de Imprensa

https://www.casadenoticias.com.br/noticias/31117-abertas-inscricoes-de-mestrado-em-filosofia-para-turma-de-2020

Mais Artigos...

Página 1 de 4