Tools

2019 04 30 Propriedade Intelectual no Esporte MG 7595

Palestrante Edmila Denig; confira mais fotos do “Seminário Propriedade Intelectual e Esportes” neste link

Edmila Adriana Denig, advogada da Atlas Marcas e Patentes e bacharel em Ciências Econômicas, aponta que a proteção de marcas esportivas dá tanto mais oportunidades para atletas quanto fomento à economia como um todo, seja para empresários, seja para o público consumidor. Hoje (30) pela manhã, ela foi palestrante no “Seminário Propriedade Intelectual e Esportes: alcançar o ouro”, evento da Universidade Estadual de Maringá (UEM) que continua à tarde.

Realizado gratuitamente, mediante inscrição prévia, o seminário ocorre no Anfiteatro do Departamento de Economia (DCO), Bloco C-34 do câmpus sede da UEM, em Maringá (PR), e relembra o Dia Mundial da Propriedade Intelectual, celebrado na última sexta-feira (26). Inclusive, a Assessoria de Comunicação (ASC) da UEM aproveitou a data para fazer a série de reportagens “Especial Patentes”.

“Propriedade intelectual é uma forma de proteger as criações, os ativos intangíveis do intelecto humano. Os mais conhecidos são marcas, patentes, desenhos industriais, direitos autorais e indicações geográficas. Para o empresário, a marca resguardada é essencial, porque vai protegê-la contra cópias e garantir todo o investimento feito para uso daquele nome”, explica Denig. E é a partir desta proteção que há movimentação na economia, principalmente a partir de grandes marcas. “Essas empresas investem em desenvolvimento tecnológico na área do esporte, seja em equipamentos, produtos ou para paratletas, por exemplo. E só investem porque têm o sistema da propriedade intelectual como segurança”.

Atrelado à propriedade intelectual, as organizações patrocinam várias modalidades esportivas. “Os atletas se beneficiam muito disso. Uma pessoa poderia nunca ter tido oportunidade se uma empresa não visse a capacidade dela e levasse a marca dela para frente junto ao esporte”, finaliza a advogada, que também falou de curiosidades sobre a Copa do Mundo de 2014 e dos “privilégios que a Fifa [Federação Internacional de Futebol] teve, no Brasil, de conseguir os registros de graça e em tempo recorde”.

 

2019 04 30 Propriedade Intelectual no Esporte MG 7578

Evento voltado à Educação Física ocorre no Anfiteatro do Departamento de Economia

 

Programação – O “Seminário Propriedade Intelectual e Esportes: alcançar o ouro” também contou com apresentação de cases por parte de professores do Departamento de Educação Física (DEF) da UEM. O evento será retomado às 14h, com as seguintes palestras: Ricardo Machado Leite de Barros, doutor em Educação Física e docente na Universidade Estadual de Campinas (Unicamp); e Angelo José Marcolino Junior, chefe da Divisão de Propriedade Intelectual do Núcleo de Inovação Tecnológica (NIT) da UEM.

O seminário foi aberto com composição da mesa principal: Clóves Cabreira Jobim, pró-reitor de Pesquisa e Pós-Graduação da UEM, Luiz Fernando Cótica, diretor de pesquisa e coordenador do NIT, Marcia Edilaine Lopes Consolaro, diretora de Pós-Graduação da UEM, e Pedro Paulo Deprá, professor da UEM e coordenador geral do evento.

uem tv