Tools

Foto 3

O tema da campanha, em 2018, é Amamentação, alicerce da vida

De 1º a 8 de agosto, o Banco de Leite Humano (BLH), do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM), comemora uma data muito importante: a XXVI Semana Mundial da Amamentação. Juntamente com ela, também é celebrada a XXII Semana Maringaense de Amamentação. Para falarmos sobre este assunto, convidamos a Christyna Beatriz Tavares Genovez, enfermeira obstetra e coordenadora do BLH.

Para entendermos a importância de uma campanha como essa, é preciso saber que o aleitamento materno é a base para o desenvolvimento saudável de uma criança. “O bebê que mama no peito consegue crescer, se desenvolver tanto do ponto de vista biológico, como do social, emocional. Então, a gente não fala isso só porque somos apaixonadas pela amamentação. Estudos comprovam isso. E são muitos estudos. Esse é um tema muito discutido no meio científico”, explica Christyna Beatriz.

Em 2016, uma pesquisa publicada na revista científica The Lancet, pelo professor César Victora, da Universidade Federal de Pelotas (UFPEL), ganhou o Prêmio Gairdener de Saúde Pública. Nesse estudo, foi comprovado que as crianças que, nos primeiros meses de vida, mamam no peito possuem maior Q.I e têm maior renda na vida adulta. O professor Victora acompanhou um grupo de crianças por 30 anos e chegou nestes resultados. “Essa informação é muito importante, fora a comprovação de todos os valores biológicos que o leite humano tem, de proteger contra doenças, de ser o alimento mais completo que existe, de ser nutricionalmente perfeito para a criança. Então, o aleitamento vai proteger o bebê no momento que ele está mamando e, também, vai trazer benefícios futuros”, comenta a enfermeira obstetra.

bia e vivi

Por tudo isso, o Governo Federal instituiu uma lei que promove o aleitamento durante todo o mês: o Agosto Dourado. “Assim, a semana de promoção torna-se um mês de incentivo”, acrescentou Beatriz Genovez (na foto acima, com um dos bêbes atendidos no colo).

BLH - O Banco de Leite do HUM atua em duas vertentes principais. A primeira é assistencialista, que dá apoio e incentiva a amamentação. A segunda é uma vertente mais técnica, que é a coleta, pasteurização e distribuição às mães que não produzem leite suficiente ou nenhum.

A experiência das atividades do BLH vai dar apoio à programação da XXII Semana Maringaense de Amamentação, que começa no dia primeiro de agosto com um curso de capacitação, destinado aos profissionais da área da saúde, sobre o aleitamento materno e como lidar com suas adversidades. Será no Auditório da Santa Casa e conta com duas turmas, uma no turno da manhã, 8 às 12 horas, e outra à tarde, 13h30 às 17h30.

A equipe do Comitê de Aleitamento Materno de Maringá e os servidores das Unidades Básicas de Saúde (UBS) participam dos eventos, para falar sobre as suas práticas e sanar dúvidas dos profissionais da 15ª Regional da Saúde – órgão que gere e fiscaliza toda a rede do Sistema Único de Saúde (SUS) em Maringá e região. “A função principal do curso é criar multiplicadores, ou seja, os profissionais participantes têm como objetivo replicar o conhecimento adquirido a outros servidores”, explicou a coordenadora do BLH. 

Programação da Semana - No dia 3, sexta-feira, ocorre o Café com Leite Materno, uma roda de conversa com as mães para a promoção da amamentação. O evento conta, ainda, com o testemunho da Madrinha da Semana de Amamentação, Juliana Batista da Silva Afonso. Será no Salão da Obra do Berço, às 9 horas. A roda de conversa, que contará com um café da manhã, tem como público-alvo todas as mães interessadas sobre aleitamento.

No período da tarde, nesse mesmo dia, será realizada uma palestra com a professora Lilian Cordova, destinada aos profissionais da área da saúde. Acontecerá no auditório da Santa Casa, às 14 horas. Para mais informações sobre a XXVI Semana Mundial de Amamentação e XXII Semana Maringaense de Amamentação, acesse o site do HUM: www.hum.uem.br.

uem tv