Tools

Revoluções contemporaneas Luiz Felipe e Marcela Cristina MG 1053 Editar

Livro aborda os movimentos transformadores e transgressores que ocorreram não apenas em períodos históricos relativamente curtos

Os professores Luiz Felipe Viel Moreira, da Universidade Estadual de Maringá (UEM), e Marcela Cristina Quinteros, da Universidad Nacional de Córdoba, na Argentina, acabam de lançar o livro "As Revoluções na América Latina Contemporânea. Entre o Ciclo Revolucinário e as democracias restringidas", segundo volume de uma trilogia sobre a temática das revoluções na América Latina.

A partir do estudo de alguns casos (Colômbia, Paraguai, Argentina, Venezuela, El Salvador e Bolívia), a obra trata do fato de que o desenlace de impasses e disputas gestadas muitas vezes em décadas de contradições nas sociedades latino-americanas, tendo como base as históricas injustiças e as profundas desigualdades na distribuição da renda, nem sempre terminou em crises revolucionárias.

Entretanto, as reformas e modificações econômico-sociais, de diferentes intensidades e marcadas pelo signo da violência política, foram um denominador comum a quase todas as histórias nacionais.

Em resumo, o livro traz estudos que analisam os movimentos transformadores em países latino-americanos na segunda metade do século 20, em particular nas nações citadas acima. São experiências de lutas sociais enfrentadas violentamente pelas classes dominantes. "Os que sonharam com um avanço progressivo no continente, desencantaram-se com um século banhado pelo sangue e um final pleno do neoliberalismo", descreve trecho da contracapa da obra.

A edição e publicação do livro é uma parceria entre o Programa de Pós-Graduação em História da UEM (PPH), a Pulso & Letras Editores, e a Universidad de Antioquia, na Colômbia.

Além de textos escritos por Luiz Felipe Viel Moreira e Marcela Cristina Quinteros, a obra, dividida em sete capítulos, traz textos de mais 9 autores, de vários países latino-americanos. Os interessados em adquirir o livro podem entrar em contato pelo e-mail "Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.".