diabetes 2

A programação começa com uma caminhada pela avenida Mandacaru, às 9 horas

As equipes da área da saúde que fazem o Hospital Universitário Regional de Marigá (HUM) funcionar diariamente vão promover uma grande mobilização para marcar o Dia Mundial do Diabetes. As atividades ocorrerão no sábado, 11 de novembro, no estacionamento do hospital, na avenida Mandacaru.

O Dia Mundial do Diabetes é celebrado no dia 14 de novembro. A Campanha foi criada em 1991, pela Federação Internacional do Diabetes (IDF, sigla em inglês), em conjunto com a Organização Mundial da Saúde (OMS), em resposta às preocupações sobre os crescentes números de diagnósticos no mundo.

A pesquisa Vigilância de Fatores de Risco e Proteção para Doenças Crônicas por Inquérito Telefônico (Vigitel), divulgada este ano, pelo Ministério da Saúde, mostrou que o número de brasileiros diagnosticados com diabetes cresceu 61,8% nos últimos 10 anos, passando de 5,5% da população, em 2006, para 8,9%, em 2016. Os dados revelam, ainda, que as mulheres registram mais diagnósticos da doença – o grupo passou de 6,3% para 9,9% no período, contra índices de 4,6% e 7,8% registrados entre os homens. Por esse motivo, em 2017, a campanha vai abordar o tema Mulheres e Diabetes: nosso direito a um futuro saudável, como parte do que vem a ser chamado pelas autoridades de saúde de Novembro Azul.

Programação – Aqui em Maringá, “as atividades em alusão à data vão ser realizadas no sábado, dia 11, para que a população possa participar e nos ajudar a divulgar a necessidade de prevenir esta doença silenciosa, que pode trazer comprometimentos severos à saúde como cegueira, problemas circulatórios graves e, por causa deles, provocar amputações”, alertou oorganizador do evento, o médico endocrinologista do HUM e professor do curso de medicina da Universidade Estadual de Maringá (UEM), Wilson Eik.

A mobilização do grupo do HUM vai montar uma grande tenda no estacionamento do hospital, à beira da avenida Mandacaru. Ali, residentes, internos e servidores vão orientar a população sobre o diabetes, além de realizar ações como a aferição de pressão, peso, altura e glicemia. O interno do quinto ano de medicina da UEM e presidente da Liga Acadêmica de Endocrinologia de Maringá (LEMA), Rodolfo Luis Silva Souza, disse que a diabetes é causada pela incapacidade do corpo de absorver e levar o açúcar até os músculos. “Por isso, fazemos a medição da glicemia como primeiro fator para avaliarmos a probabilidade de uma pessoa a desenvolver a doença”, explicou o acadêmico, que ainda informou que a tenda ficará montada das 8h30 às 16 horas.

Além desse atendimento, os organizadores estão convidando a população para uma caminhada que vai começar em frente ao HUM, com preparação às 8h30 e saída às 9 horas. “Como a atividade física é uma das formas de combater os males que levam ao diabetes, como a obesidade, vamos começar o dia nos exercitando”, acrescentou Souza.

Qualquer pessoa pode participar das atividades, mas os organizadores estão pedindo que a população se inscreva nas Unidades Básicas de Saúde (UBS). “É uma forma de nós conseguirmos dimensionar o evento e organizar melhor as ações. Além disso, pedimos a todos que compareçam usando camiseta azul, que é a cor da nossa área e do Novembro Azul, mês em que pensamos a saúde do homem”, anunciou o presidente da Lema.

O evento do Dia do Diabetes está sendo organizado pela Lema, pelo Departamento de Medicina (DMD/UEM), pelo Departamento de Educação Física da UEM (DEF), pela nutricionista do HUM e professora do curso de nutrição da UniCesumar, Natalia Scaliante, além dos professores do DMD, Wilson Eik e Mirian Takahashi, e da Assessoria de Ensino, Pesquisa e Extensão do HUM. Informações sobre o evento podem ser obtidas pelo e-mail Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo..