Tools

Abertura

Novo protocolo abrange os exames de sorologia para hepatites

 

Uma parceria entre o Setor de Vigilância Epidemiológica Hospitalar e o Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Universitário Regional de Maringá (LAC/HUM) vem agilizando, desde maio, a realização de exames de sorologia para hepatites no Hospital. A iniciativa foi baseada na necessidade do Setor de Vigilância Epidemiológica em obter resultados de alguns exames com maior rapidez e agilidade, o que seria ideal para tomada de decisões necessárias para prevenir consequências mais graves para a saúde dos pacientes e, até mesmo, dos servidores do Hospital. 

Segundo a coordenadora da Vigilância Epidemiológica Hospitalar, doutora Odete Correia de Oliveira, otimizar o resultado de um exame de hepatite em pacientes que sofrem violência sexual em curto prazo de tempo é importante. “Se o paciente não possui a vacina contra a doença, os profissionais podem realizar a administração de imunoglobulina para que ele não contraia hepatite. Com o resultado rápido do exame define-se a necessidade de realizar esse tipo de tratamento, já que se trata de um medicamento de alto custo. Assim, há duas questões em jogo, a saúde do paciente e a gestão de recursos do Hospital”, explicou a coordenadora. 

A solicitação da Vigilância foi recebida e acatada pela chefia da Divisão de Análises Clínicas, pelo bioquímico Marcos Antonio Américo e pela Diretoria de Análises Clínicas e Farmácia Hospitalar, que tem a frente o farmacêutico Cleverson Antônio Poças. Segundo o diretor, “é importante melhorar a nossa produtividade em prol do paciente que é atendido no nosso serviço. Quando a equipe reconhece que é necessário haver melhorias, ela se planeja e acata a demanda, ampliando e criando novos procedimentos”. 

De acordo com a bioquímica responsável pela Gestão da Garantia da Qualidade do Laboratório de Análises Clínicas do Hospital Universitário Regional de Maringá (LAC-HUM), Solange Cardoso Martins, foram feitos todos os levantamentos de informações técnicas e orçamentárias necessários e, a partir disso, as residentes em Farmácia com Ênfase em Análises Clínicas na Atenção à Urgência e Emergência do laboratório, Paula Pessoa Moreira e Mariana Aparecida de Oliveira Madia, desenvolveram um curso, sob coordenação dos bioquímicos envolvidos no processo de implantação, em que foram definidos todos os critérios técnicos e organizacionais para a criação do novo protocolo. 

equipe exames

“É preciso verificar toda a questão técnica para determinar a rotina do nosso setor e encontrar a melhor forma de implantação, portanto, estabeleceu-se um protocolo, onde os exames que não são considerados urgentes são realizados duas vezes na semana, enquanto os pacientes considerados de urgência, que sofreram abuso, em no máximo, cinco horas o resultado é liberado. A realização desses exames foi perfeitamente acomodada nas rotinas atuais do LAC, porém ocorreu um aumento no investimento com os kits laboratoriais, despesa que vêm sendo financiada pelo serviço de vigilância epidemiológica do hospital”, explicou Solange Martins. 

As modificações em relação à realização de exames no HUM abrangem os exames de sorologia para hepatites (Anti HBc Total, Anti HBs, Anti HCV e HBsAg). Estes marcadores é que foram implantados no LAC/HUM em maio deste ano, por solicitação da Vigilância Epidemiológica e pelo Superintendente, Dr. Mauricio Chaves Júnior.

Maquina da hepatite

Serviço – O Laboratório de Análises Clínicas (LAC) do Hospital Universitário Regional de Maringá (HUM), beneficia os pacientes atendidos no Pronto Atendimento (PA), internados nos diferentes setores de internação (Clínicas Médica, Pediátrica, Cirúrgica, Ginecologia e Obstetrícia, Alojamento Conjunto, UTI Adulto, UTI Neo Natal e UTI Pediátrica), pacientes que fazem acompanhamento no Ambulatório de Especialidades e pacientes atendidos no Hemocentro Regional de Maringá. Realiza em média 26 mil exames ao mês. O LAC/HUM dispõe de equipamentos totalmente automatizados para os diferentes setores de atuação, onde são realizados diferentes exames, entre eles:

Setor de Hematologia e Imunohematologia: hemograma, contagem de plaquetas, contagem de reticulócitos, tipagem sanguínea, teste de Coombs Direto, teste de Coombs Indireto, Velocidade de hemossedimentação.

Setor de Bioquímica, Gasometria e Hormônios: Perfil Gasométrico Arterial, Gasometria Venosa, Dosagens de glicose, creatinina, uréia, enzimas hepáticas, enzimas cardíacas, eletrólitos, hemoglobina glicada, microalbuminúria, PCR, bilirrubinas total e frações, colesterol total e frações, colinesterase, amônia, vancomicina, TSH, T4 livre, Ferritina, Vitamina B12, Vitamina D, Ácido Fólico, Dosagens bioquímicas em líquor e líquidos biológicos.

Setor de Coagulação: Tempo de atividade de protrombina e tempo de tromboplastina parcial ativada.

Setor de Microscopia, Urinálise e Parasitologia: Rotina de Líquor e líquidos biológicos, Parcial de urina, Parasitológico de fezes, Pesquisa de sangue oculto nas fezes.

Setor de Microbiologia: Bacterioscopias, Culturas e antibiogramas em geral (sangue, secreções, urina, fezes, líquor e líquidos biológicos) Culturas de Vigilância.

Setor de Imunologia: Dosagem de Beta HCG (Teste de gravidez), Pesquisa de Antígeno Criptocócico, Pesquisa de Antígenos Bacterianos no líquor, VDRL, Teste Rápido para HIV, Teste Rápido para Dengue, Pesquisa de toxina A e B para Clostridium difficile, Sorologia para Toxoplasmose, Sorologia para Hepatites (Anti HBc Total, Anti HBs, Anti HCV e HBsAg).

Coautoria de Mariana Paiva Costa